O 2020 que eu não te contei

Todas as vezes que eu vejo as pessoas que trabalham com redes sociais – e que mostram a vida delas com todos os detalhes no YouTube e Instagram – falarem que aquilo que elas mostram não é nem 10% do que é a vida delas eu sempre me questiono. Mas ai eu me coloco no lugar delas porque, apesar disso aqui não ser meu trabalho, eu levo muito a sério. Tento ser muito verdadeira e mostrar um pouco de tudo que eu vivo para inspirar, ajudar e mostrar a realidade da minha vida no Canadá. Porém eu não consigo – e nem quero – mostrar todos os detalhes dos meus dias. Nem sempre dá tempo. Nem sempre acho necessário. Nem sempre me sinto confortável em falar sobre todos os detalhes da minha vida.

O ano de 2020 foi super movimentado, cheio de altos e baixos que eu provavelmente não compartilhei com vocês. Sempre que dezembro chega eu faço um “balanço” do ano que acabou: eu literalmente vou mês a mês e penso no que aconteceu e tento refletir sobre o que pode ter dado errado, o que eu fiz muito certo, o que pode ser melhorado… e mentalmente eu tenho esse momento comigo mesma, que é muito importante para eu me manter positiva, produtiva e feliz, mesmo sabendo que nem tudo sai como eu planejei.

O blog sempre foi meu diário e os textos postados aqui me ajudam a fazer esta reflexão. Nem sempre os textos em si trazem a profundidade que eu preciso neste momento, mas às vezes eu lembro das mensagens e códigos escondidos nas minhas linhas – só para eu decifrar – que me ajudam muito em lembrar de tudo que eu passei. Hoje comecei a fazer esta reflexão e vi que muito do que não foi falado pode ser compartilhado aqui, porque acho que de alguma maneira irá fazer vocês me conhecerem melhor e também inspirar e informar vocês. E é por isso que eu vou abrir meu coração e contar várias coisas que não falei antes.

Um janeiro de planejamento: um projeto para inspirar, doar e agradecer

Nós começamos o ano dentro de um avião voltando da Flórida depois de passar um mês viajando entre o México e os USA. Passamos o Natal com a família, viajamos muito e vimos amigos especiais. Nós nunca nos apegamos ao Reveillon e como as passagens são mais baratas acabamos voltando nesta data em quase todas as viagens que fizemos nesta época do ano (que por sinal acabam sendo super caras porque é uma época super procurada por todos para viajar). Nós voltamos para casa e começamos a conversar sobre o ano em si, que seria quando iríamos comemorar 10 anos de Canadá.

Lembro do meu marido virar para mim logo na primeira semana do ano e falar: temos que fazer algo muito especial. E naquele mesmo mês começamos a planejar uma viagem incrível: iríamos tirar 40 dias de férias e cruzar o Canadá com nosso Tesla, voltando de avião. Não iríamos somente viajar e mostrar as belezas do Canadá, porque isso não teria a mensagem que queríamos trazer para vocês. A idéia era encontrar brasileiros que moram em diversas cidades e ouvir suas histórias, fazendo uma série de vídeos para o YouTube. Também criamos um sistema de que os likes das fotos que seriam postadas diariamente iriam ser revertidos em dinheiro, que iríamos doar para uma entidade carente. Pensamos fazer isso porque conseguimos várias parcerias e não iríamos pagar praticamente nada da viagem. A mensagem que nós queríamos com esta viagem de comemoração era muito mais do que dar dicas de hotel, restaurantes e mostrar o Canadá para vocês: a idéia era inspirar e agradecer.

Lembro da notícia que ouvi sobre o coronavírus antes mesmo da nossa viagem para o México e de, durante o planejamento, olharmos as políticas de cancelamento de todos os hotéis para termos um plano caso o vírus viesse para cá. A gente não imaginava que tudo isso fosse acontecer. Obviamente não fomos e todos os planos foram cancelados: não era sobre viajar, era sobre inspirar e conhecer pessoas. Então não achamos válido dar continuidade com o projeto. Mas ele segue organizado e esperando para ser feito quando for possível.

Um março de susto. Um março de alívio.

Desde que o Ian entrou na creche em agosto de 2019 ele sofreu muito com infecções de ouvido. Ele teve 10 no total. Todas tomando muito antibiótico. Foi um momento muito delicado nas nossas vidas, porque eu via que meu filho não estava bem e eu não sabia o que fazer para ajudá-lo. Fevereiro todo ele passou tomando antibióticos e foi ai que dois médicos sugeriram que ele fizesse uma cirurgia: colocar tubos no ouvido para drenar o líquido e não ter mais infecções. Na época eu li muito e fiquei apreensiva porque o procedimento seria no hospital e ele teria que tomar anestesia geral. Eu não conseguia imaginar meu bebê passando por isso, mas também não aguentava mais ver ele sofrendo. Tomamos a decisão de prosseguir com a cirurgia e ela foi marcada para meio do mês de abril.

No meio de fevereiro estávamos em um cottage com amigos – veja aqui – e recebi uma ligação do médico (sim, ele mesmo me ligou!) falando que ele conseguiu encaixar o Ian para fazer sua cirurgia no início de março, porque sabia o quanto ele precisava do procedimento e não queria que ele ficasse esperando tanto tempo. Lembro de concordar na hora mas depois ficar bem nervosa. Eu estava também preocupada com o fato do COVID já ter chego no Canadá e talvez a cirurgia nem acontecer se demorasse muito. Fizemos a cirurgia uma semana antes de Toronto – e o mundo – parar por causa do COVID e eu sou muito grata por essa cirurgia ter sido antecipada e por tudo ter sido um sucesso. Os médicos nos falavam que as infecções recorrentes podiam atrasar a fala e afetar o equilíbrio da criança, já que era como se o ouvido dele estivesse embaixo da água. Dito e feito: Ian nunca mais teve nenhuma cirurgia e a fala dele se desenvolveu MUITO depois disso.

Fazendo a diferença, 1062 respostas depois

Quando as escolas fecharam em Toronto por causa do COVID no meio de março eu achava que a doença iria ser contida em semanas. Lembro de ter tido uma reunião no hospital que trabalho e eles terem falado que por causa do SARS outbreak de 2003 o local tinha ficado fechado por 2 semanas, mas que eles não acreditavam que isso iria acontecer desta vez. Para quem não sabe Toronto foi a cidade com o maior surto de SARS fora da Ásia, com quase 250 casos prováveis ​​e pelo menos 38 mortes. Esse outbreak durou 4 meses. Obviamente não foi isso que aconteceu e ninguém estava preparado para os fechamentos e as mudanças na dinâmica de trabalho. Além disso, o medo de perder o trabalho era constante, porque todos os recursos em pesquisa (e o interesse) estavam voltados para essa nova doença.

Eu lembro de estar trancada em casa há 2 semanas e ver que a coisa estava piorando e que não iríamos “voltar ao normal” tão cedo. Eu tirei um dia para ler muito e entender como eu poderia “fazer a diferença” com o que eu sei fazer melhor: pesquisar. Ninguém me pediu – e no começo as pessoas acima de mim acharam que eu não deveria ocupar meu tempo com algo “a mais”. Mesmo assim eu comecei a contactar colaboradores que eu conheço de outros projetos e juntamente com a minha mentora do pós-doutorado (que pensou por 2 semanas antes de me dar o ok) criamos uma pesquisa mundial, para ajudar a entender o impacto do COVID na nossa área e, consequentemente, apoiar os programas e os prestadores de serviço em saúde. Não foi fácil aprender a utilizar um software em 4 dias, organizar um webinar para apresentar o projeto para mais de 300 pessoas e executá-lo em um curto período de tempo e com pessoas de vários lugares do mundo envolvidos (leia: diferentes culturas, diferentes idéias). No fim deu MUITO certo e tivemos 1062 respostas de serviços de saúde de 70 países. Eu me orgulho não só do resultado, mas da minha inquietação de fazer a diferença. Me fez muito bem.

Os passeios de carro e o coração batendo mais forte

Nós sempre gostamos de pegar o carro e sair sem rumo. É assim que a gente descobre lugares incríveis. É assim que a gente se apaixonou pelo Canadá, entendendo que ele vai além de pontos turísticos e cidades famosas. Em um desses nossos passeios nós conhecemos uma região muito linda há 1 hora de Toronto e o nosso coração bateu mais forte. A pandemia chegou e não visitamos mais o local mas sempre ficamos acompanhando venda de casas e notícias sobre a região.

Quando o clima começou a esquentar e as restrições diminuíram resolvemos voltar para a região e ai nos apaixonamos por vez. Então, resolvemos tirar do papel a idéia de termos uma casa maior – até então para o final de semana – e demos entrada em uma casa. Isso mesmo: compramos uma casa em julho deste ano. Demos o cheque de entrada e viemos para casa, quietos e não comemorando muito (o que é muito estranho para o momento, certo). Conversamos muito e concordamos que aquele não era o momento, porque não sabíamos como seria o impacto na economia por causa da pandemia e queríamos esperar saber como seria o outono e a segunda onda, que era inevitável segundo especialistas. Acabamos utilizando a cláusula de desistência de 10 dias e cancelamos o negócio.

Durante estes meses trabalhando de casa eu e o Ju fomos extremamente produtivos, o que contribuiu para a gente entender que esta poderia ser uma opção de trabalho a longo prazo. Não assistimos nenhum vídeo e nenhuma série, mas mesmo assim foram poucos os dias que fomos dormir antes do meio-dia. A gente conversa muito sobre o que queremos alcançar nas nossas vidas e sabemos que muito daquilo que queremos só será possível se a gente trabalhar muito, e achamos que o momento é agora! E foi exatamente isso que fizemos… e foi isso que nossos chefes viram, entendendo que trabalhar de casa era possível para nós.

No meio de tudo isso uma casa perfeita apareceu no local que nós nos apaixonamos. Lembro de olhar no Realtor e mandar mensagem para nossa corretora no mesmo dia, e estar lá no outro dia para ver. Ela era muito linda e tinha muitas coisas que sempre sonhamos em ter, mas como tudo fora de Toronto o valor tinha aumentado muito. Mesmo assim fizemos uma oferta, mas não conseguimos a casa. Nesse meio tempo o local que nos apaixonamos lançou uma nova fase de construção e conseguimos garantir nosso terreno e a nossa casa, que será construída e ficará pronta em 2022. E nesse tempo decidimos que não valia manter a townhouse em Toronto, pelos preços dos imóveis estarem baixando muito aqui (prometo que vou falar mais sobre isso aqui no blog). Pensamos muito, conversamos muito, pesquisamos muito e decidimos que a gente tinha que vender. Não foi fácil porque quem me conhece sabe que eu AMO Toronto e AMO a região que moramos e a nossa casa, que tem muita história para contar. Mas Toronto estará sempre aqui, esperando pela gente se quiséssemos voltar. Vendemos nossa townhouse no final de novembro e terminamos 2020 com muitas mudanças e projetos.

Quilos e quilos e quilos

Tudo na vida tem equilíbrio: quando a gente ganha de um lado, a gente perde do outro. E se eu ganhei em projetos e profissionalmente, eu perdi em saúde. É assim que eu vejo. Quem me acompanha por aqui sabe que eu engordei muito nas minhas duas gestações e fiz uma dieta incrível no final de 2019 e perdi 16kg – leia mais sobre aqui. Quando a pandemia começou e fomos obrigados a ficar em casa eu pensei “vou conseguir manter meu peso, porque o que me fazia querer sair da dieta eram os passeios e restaurantes”. Não foi bem isso que aconteceu. Ficar dias, semanas em casa não me ajudaram. Não me exercitei. Engordei. E não consegui encontrar força para retomar a alimentação saudável que me fez muito bem. Eu estou ciente disso e já estou com um plano incrível de retomada do Metabolic Balance em 2021, e vou mostrar para vocês todos os detalhes. Mas quero deixar aqui registrado isso, pois é algo que eu não contei para ninguém durante o ano que passou.

O reconhecimento e o medo de perder “isso aqui”

Eu não gosto de expor muito meu trabalho e minha vida profissional. Sou muito protective de tudo que eu vivo e tenho vários exemplos e motivos que me fazem ser assim, um deles é um comentário que recebi no meu post sobre a formatura do meu doutorado – este aqui – de uma pessoa que disse que minhas publicações científicas eram medíocres e que estar dedicando tempo para outras assuntos que não minha vida acadêmica eram um dos vários motivos dos latinos serem considerados medíocres. Esse comentário – que ainda está lá porque eu não apago comentários ruins não – foi um dos muitos que recebi (e recebo) questionando meu trabalho, mesmo sem conhecer. Então resolvi me fechar e realmente focar aqui na família e vida no Canadá e não na parte profissional.

No último mês eu recebi dois importantes convites profissionais: ser co-chair de um projeto incrível e ser Associate Editor da melhor revista científica na minha área de pesquisa. Eu recebi os dois convites na mesma semana – com dois dias de diferença entre eles – e meu coração bateu mais forte. Sim, fiquei feliz e aceitei, mas sei a responsabilidade que isso vai trazer. Eu tenho uma dinâmica de trabalho incrível e consigo me organizar e ser produtiva. Eu gosto de colocar a cabeça no travesseiro e saber que eu fui produtiva naquele dia. Também gosto de saber – em detalhes – o que eu irei fazer no dia seguinte.

Hoje o blog tem 2250 posts, em 10 anos de existência. Se fizermos a matemática temos uma média de 225 posts por ano, o que corresponde a 60% do ano tendo posts diários. Escrever aqui no blog é um prazer e uma maneira de eu continuar mantendo minha cabeça ativa – já que ela não pára nunca – mas relaxar e escrever sobre assuntos diversos, que me fazem feliz. É quase que uma terapia, que me faz muito bem – e sei que ajuda muitos. O “sim” para estes dois projetos – somados aos vários outros projetos que eu tenho, os filhos, o marido, a família e agora a obra – vai resultar em um “não” para outras coisas e confesso para vocês que tenho um certo medo de perder minha frequência e compromisso aqui no blog. Vou levar um dia de cada vez e torcer para eu continuar achando tempo para compartilhar um pouco da minha vida no Canadá e inspirar vocês a seguir atrás dos seus sonhos, onde quer que vocês estejam.

Que tenhamos um 2021 bom!

18 Resultados

  1. Clarissa dos Santos Padilha disse:

    Que demais Gaby! Acompanho seu blog desde 2013 e é maravilhoso acompanhar suas conquistas e evoluções. Parabéns

  2. Bruna disse:

    Lindo texto Gabi…
    Esperando vc ser nossa vizinha na regiao de KW hahaha
    Boas festas :)

  3. Samira Tosas disse:

    Como sempre amo seus posts! Fico muito feliz em saber sobre a casa nova. Te acompanho há tempo e morei em Toronto por um ano e meio. Depois me mudei para San Diego, lembra que te disse? Aqui compramos nossa casa também novinha, linda, e muito afastada da cidade. Respiramos ar puro, natureza, silêncio, paz e tranquildade, longe da agitação do centro urbano. Nosso filho ama viver aqui e brincar em nosso quintal. Já estou ansiosa pelos seus posts lindos na casa nova. Eu acho que sei aonde vocês compraram a casa, pois foi um dos lugares que me apaixonei mas na época não tínhamos como morar longe e trabalhar em Toronto. Acho que uma poucas coisas positivas que a pandemia trouxe foi justamente mostrar para todos e para as empresas que é possível sim se trabalhar desde casa e ser produtivo. Parabéns Gaby!! Um beijo e que Deus os abençoe cada vez mais.
    Ps: não liga para o (a) latino (a) medíocre que desmereceu o seu trabalho, dever ser inveja.
    🥰😘

  4. Luanda disse:

    Uauuuu, ameiiiiii!!!! Obrigadaaaa por compartilhar tantas coisas maravilhosas!!!
    Vc me inspira muito!!!!!!! Que possa continuar por aqui tb mesmo com uma frequência menor!
    Parabénsssss!!!!!!!

  5. Jaqueline Paim disse:

    Que texto bem escrito, como sempre. Adorei ler e saber um pouco mais de como tudo está indo por aí. As incertezas de 2020 foram e são assustadoras, mas a gnt segue em frente! Parabéns pela ótima profissional q vc é, e por esse blog espetacular q tanto ajudou na minha ida a Toronto! Beijao

  6. Vivian Borges disse:

    Que belo texto! Quanta emoção pro próximo ano! Obrigada por compartilhar sua vida conosco!

  7. Thayla disse:

    Gaby, que reflexão inspiradora! 2020 foi um ano de superação. 2021 será um ano de muitas conquistas e realizações. Parabéns pelas escolhas. É possível ver a sua dedicação de longe, em tudo que você faz.

  8. Jemima disse:

    Lindo, lindo, lindo! Obrigada por compartilhar Gaby… você é um exemplo e tenho muito orgulho de ti…. muito feliz por todas as conquistas de vocês neste ano, meu desejo é que Deus continue abençoando muito a tua família e a vida de vocês! Feliz 2021 pra vocês!

  9. Rejane disse:

    Gaby, obrigada por abrir seu coração, que ano emocionante hein?! Se é que podemos chamar assim… Aproveita suas novas oportunidades e sua família que vamos sempre estar por aqui quando você quiser escrever. Que Deus abençoe sempre vocês!

  10. Mariana Day disse:

    Baaaaaah que post mais lindo Gaby. Amei saber mais sobre ti! ❤️

  11. Ana Luísa disse:

    A cada conquista que partilhava só conseguia sentir orgulho! Apesar de só conhecer através de um ecrã, saber que é uma guerreira, trabalhadora e uma mulher incrível só me faz querer dizer que tudo isso é mais que merecido e só grandes pessoas conseguem atingir esses patamares, a Gaby é uma delas! 2020 vai acabar e 2021 vai ser um ano ainda melhor! 🙏🏻 Beijinhos para os 4 daqui de Portugal 🇵🇹

  12. Lidia disse:

    Parabéns pelas conquistas! Obrigada por compartilhar tantas coisas conosco. Você sabe que teus posts ajudam muita gente, mas acredito que você não tenha ideia do quanto ajuda. Eu mesma não comento muito, mas sou muito grata por todas as informações que você compartilha.
    Quanto às pessoas que criticam, não dê importância. Tem gente que só se sente melhor fazendo outros se sentirem mal. Mediocridade deles.
    Pelo nível de detalhe que você coloca no blog, consigo imaginar o quão dedicada você é ao teu trabalho. Desejo que você continue colhendo os frutos de tudo o que você planta.
    E que você e tua família tenham um 2021 espetacular!

  13. Bruna disse:

    Amei o texto sincero! Realmente 2020 foi um ano de mudanças e planejamento pra “vida” nova! Um ano de redescoberta, de sair da zona de conforto e andar por novos caminhos, mas ao mesmo tempo dando atenção para o que realmente importa. Um feliz 2021 pra todos nós! 🥰

  14. Angela disse:

    Obrigada por não desistir de nos inspirar! Parabéns por todas as merecidas conquistas, por não se guiar por comentários invejosos e pela forma linda de ver a vida. Fica com Deus!

  15. Flávia disse:

    Parabéns pela conquistas e família… tenho certeza q tudo se acerta da melhor forma!

  16. Anna disse:

    Feliz 2021 para todos nós!😘

  17. Rīta disse:

    Gaby, te sigo no Instagram desde o seu começo lá, então dá para saber que vc é uma pessoa incrível, merecedora de tantas conquistas.
    Parabéns a você e ao seu marido.
    Vai dar tudo certo.
    Será um 2021 muito melhor para todos.

  18. Parabéns pelas conquistas! Texto ótimo e inspirador! Espero que consiga conciliar tudo e continuar a escrever aqui. Feliz 2021!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *