Nosso processo de imigração para o Canadá [Parte 1]

DSCN0165

Uma das perguntas que eu mais recebo aqui no blog é referente ao processo de imigração Canadense (como fazer? qual a melhor categoria? quanto custa? qual o nível de inglês tenho que ter para aplicar? como nós fizemos para imigrar?). Eu não sou nenhuma expert no assunto (longe disso inclusive), mas como eu e o marido fizemos tudo sozinhos – sem o auxílio de empresas – eu sinto que tenho sim algum conhecimento na área, mesmo que este conhecimento seja somente na nossa categoria. Este foi um dos motivos pelos quais eu resolvi escrever esta série de 2 posts sobre como viemos parar no Canadá e o que fizemos para conseguir imigrar para cá. Confesso que nunca gostei muito de falar sobre o assunto pois acho algo bem pessoal, e por isso fiz este post em forma de depoimento e espero, através da nossa história, poder ajudar outras pessoas.

Eu vim parar em Toronto no dia 30 de Agosto de 2010 para fazer 4 anos de PhD na Universidade de Toronto. Eu vim para estudar e meu marido ia ficar no Brasil – iria fazer um doutorado misto com aulas aqui no Canadá e pesquisa no Brasil (eu não ia conseguir ficar longe dele por 4 anos, claro). Mas depois de 2 meses aqui decidimos que queríamos viver isso juntos, e em janeiro de 2011 meu marido e nosso cachorro Jojoe vieram para Toronto tornar minha vida Canadense mais completa. E por que estou escrevendo isso já que o título do post é “nosso processo de imigração”? Para vocês saberem que viemos para o Canadá com o intuito de estudar e ter uma experiência fora do Brasil, e não para imigrar. Esse foi nosso objetivo até nos apaixonarmos perdidamente por Toronto… e acho importante falar isso pois muita gente me escreve dizendo que vai fazer uma pós para imigrar e eu não entendo. Acho que fazer um mestrado ou doutorado exige muito tempo, dinheiro, esforço e somente quem realmente quer vai se destacar – conseguir bolsas – e vai conseguir finalizar os estudos.

Vale destacar que tenho 3 posts aqui, aqui e aqui no blog aonde conto um pouco da minha experiência para ingressar na UofT e dou dicas de como conseguir o primeiro contato, o que é preciso fazer para ingressar numa Universidade do exterior, como é a vida de estudante, e um pouco sobre despesas, bolsas e vistos.

Eu dei entrada no meu processo para visto de estudante do Brasil depois que eu consegui minha carta de aprovação da Universidade de Toronto. Quando pedi meu visto de estudante pedi um visto para meu marido – e ele ganhou um visto de trabalho aberto. A categoria que aplicamos é chamada de visto de residente temporário e é valida para estudantes e trabalhadores estrangeiros. Clique aqui para maiores informações. Os vistos tem validade de 3 anos da data da primeira entrada no Canadá; e como meu curso é de 4 anos eu fiquei apavorada e eles explicaram que era só aplicar 1 mês antes de vencer e pedir por mais um ano que não teria problemas. Quando entramos no país, além do visto que vem colado no passaporte – muito parecido com o visto de turismo – ganhamos um papel de permissão para estudo (no meu caso) e trabalho (no caso do meu marido).

Depois que meu marido veio para cá pensamos: “Ora, se já vamos ter que ficar aqui por 4 anos por que não damos entrada na residência permanente”? Vai que alguma oportunidade aparece no final do meu curso e ai vai ser tarde demais”. E foi ai que demos entrada no processo de skilled worker, já que minha profissão – fisioterapeuta – estava na lista. Fizemos todo o processo por conta própria, todos os documentos eram revisados por nós dois. Eu lembro de ter pego cartas de todos os empregos que tinha tido no Brasil Morando no Canadá, imaginem o rolo) e traduzido juramentado todas elas ($$$)… além disso, várias taxas pagas, várias idas e vindas de correio, documentos e mais documentos… e depois de quase 2 anos nesse processo todo recebo um email falando que nosso processo havia sido negado pois eu não poderia aplicar para a categoria de skilled worker se eu era estudante de doutorado (e não fisioterapeuta no Canadá). Na época eles estavam lançando o processo no qual estudantes de Doutorado poderiam passar de residentes temporários para permanentes e me encorajaram para eu aplicar para esta categoria… mas eu juro que fiquei arrasada e até decepcionada. Pensava: “Por que não me falaram antes?” e “Esperaram eu gastar tempo e dinheiro para avisarem que a categoria estava errada”…

Mas como dizem que “os opostos se atraem”, eu tenho ao meu lado alguém muito calmo e sensato que me acalmou – porque gente, eu fiquei indignada. E foi ai que sentamos com calma e aplicamos para a categoria correta, aquela que nos trouxe o nosso tão sonhado PR…e não, não foi a categoria que eles nos indicaram. E essa parte da história será contada em detalhes (incluindo datas, links e o passo a passo do nosso processo) na Parte 2 do post que vai ao ar ainda esta semana.



28 Comment threads
20 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
24 Comment authors
Renan

Por favor , Gabi , responda meu comentário :(

Renan

Olá ! Por quê você diz no texto que não entende as pessoas que querem conseguir pós graduação no canadá com o intuito de conseguir um visto permanente ? Você acha que essa maneira é difícil ? Estou me formando em ciência da computação e pretendo imigrar com a minha namorada. Pensei que tentar uma pós graduação me daria mais chances pra conseguir um visto permanente. Estou enganado ? É mais vantajoso eu tentar outros processos de imigração ?

Melissa

Oi Gaby eu gotaria que voce poderia me informar uma coisa
eu moro no Brasil e gostaria de mudar para o Canadá com minha família e minha cachorra ela e uma ihasa apso e tem 1 ano de idade será que ela se adaptaria ai ?é muito cara a passagem ?E é quantas horas daqui até ai ?O seu cachorro passou mal quando foi, ou teve algum problema de ir ou ficou assustado quando entrou no avião?
Se voce puder me responder rapio eu agradeceria muito.
beijos e espero uma resposta logo

Érica

Bom dia Gaby. Gostaria de imigrar para o Canadá coma minha família. Estou adorando seu blog e vendo muitas dicas. Meu marido fala inglês fluente e trabalha na área de engenharia no Brasil. Mas não estamos na faixa de 20 a 29 anos e sim 40 anos. A área de engenharia tem contratado bastante no Canadá? Pelo processo de pontuação será que teremos chances? Obrigada.

Yan

Olá Gaby, bom dia. Estou com uma dúvida referente ao processo de solicitação de visto para o Canadá. Acompanho seu blog e achei que este post é o que mais tem a ver com o assunto. Vou fazer um curso de inglês de 4 semanas em Toronto. O curso já está pago, bem como acomodação, e a passagem aérea também já está comprada. Porém estou um pouco inseguro com relação ao visto canadense, tentei o americano e foi negado. Estudo e trabalho (faço estágio), não declaro IR porque eu não preciso. Diante do exposto, você poderia me dizer, na sua… Read more »