O que é um Land Acknowledgement e porque é tão comum aqui no Canadá

Uma das coisas que eu curto aqui no Canadá é como, de alguma maneira, a história do país é preservada, mesmo que sendo uma história recente (o Canadá tem “só” 153 anos). Lembro de chegar aqui e ver as pessoas colocarem na assinatura dos seus emails frases reconhecendo a contribuição indígena e eu não entender nada. Demorou alguns anos para eu pesquisar mais sobre o assunto e devo confessar que só comecei a prestar atenção nisso depois que o Thomas começou a fazer aula online e o professor dele fazia o land acknowledgement antes do hino nacional. Achei interessante trazer isso aqui no blog em forma de post.

O que é um land acknowledgement?

O land acknowledgment (tradução literal para o português: reconhecimento de terra) é uma maneira honesta e historicamente precisa de reconhecer os territórios dos povos indígenas (First Nations, Métis e/ou Inuit) de um lugar. Eles podem ser apresentados verbalmente ou visualmente: alguns lugares são saudações faladas (como o exemplo que eu dei acima da escola do Thomas) e em outros podem estar sinalizados (como em 160 pontos de ônibus espalhados por Toronto). Em resumo, o objetivo desta prática é reconhecer que o local onde estamos (a terra) teve uma influência importante dos povos indígenas e que eles foram o ponto de partida de tudo.

Por exemplo, no início da reunião do conselho da cidade de Toronto, o palestrante reconhece o espaço da reunião como “o território tradicional dos Mississaugas da New Credit First Nation, os Haudenosaunee, os Huron-Wendat e lar de muitos povos indígenas diversos”. Você pode clicar aqui e ver esses reconhecimentos específicos de Toronto e Scarborough.

Um outro exemplo é o Toronto District School Board, que também tem uma página toda dedicada ao assunto: esta aqui. E essa é a passagem que o professor do Thomas lê, todos os dias: “We acknowledge we are hosted on the lands of the Mississaugas of the Anishinaabe, the Haudenosaunee Confederacy and the Wendat. We also recognize the enduring presence of all First Nations, Métis and the Inuit peoples”.

Talvez você leia o que escrevi e pense neste reconhecimento como um gesto simbólico. Na realidade, a idéia é que isso seja uma prática significativa e que as pessoas que estão imigrando para o Canadá – especialmente – considerem o reconhecimento da história e o impacto do colonialismo nos habitantes que moravam aqui antes dos exploradores chegarem. O colonialismo mudou a vida dos primeiros habitantes da terra e o land acknowledgment mostra que nós entendemos o impacto que essa prática trouxe para eles (incluindo a violência e o trauma causados), que sabemos dos privilégios que temos, que buscamos desenvolver relacionamentos com estes povos (seja você ou a empresa que você trabalha).

Onde eu posso achar um land acknowledgement da região que eu moro ou trabalho?

É importante falar que não há uma só forma ou modelo de land acknowledgement: você, a cidade que você mora ou a instituição que você trabalha terá um específico. Pelo que eu li é um processo complicado que leva você a fazer muita pesquisa e há muitos relatos de pessoas frustradas, que não fizeram o reconhecimento correto.

No site do governo canadense – aqui – há uma página dedicada ao assunto com vários links para você aprender sobre os First Nations e várias dicas para criar o seu land acknowledgement.

Qual a importância disso tudo?

Eu penso nisso como algo de grande importância, especialmente para as crianças. Noto que cada vez mais organizações, bibliotecas, governos e conselhos escolares estão fazendo esta prática. Acho que é importante fazer as crianças e jovens pensarem no que aconteceu no passado e quais mudanças podem ser feitas daqui para frente, a fim de promover um futuro mais justo para estes povos.

Se vocês clicarem aqui podem ver um resumo da história dos primeiros povos que habitavam a terra que hoje é o Canadá e que, assim como no Brasil, foram injustiçados (para não usar termos mais pesados). Eu comecei a me interessar muito pela história dos indígenas do Canadá depois que visitei Brantford – clique aqui para ler o post – e soube de algumas histórias terríveis. Sempre que tenho um tempo leio e aprendo sobre o assunto, refletindo também sobre tudo que aconteceu não só aqui mas no Brasil.

Espero que tenham gostado do texto e da curiosidade. A foto deste post é do Canva Pro.

2 Resultados

  1. Alexei disse:

    Eu tive a oportunidade de conviver com pessoas de origem indígena na universidade e vi o quanto se sentem desconfortáveis com tudo isso. Esses acknowledgements, segundo elas, não lhes trazem benefício algum…

  2. Luciene disse:

    Mto interessante! Uma terra super jovem e que legal que reconhecem as origens e tentam preservar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *