O plano era voltar

DSC_8533-copy

Com o final do meu doutorado se aproximando é inevitável que as pessoas perguntem “what’s next?” ou “o que você vai fazer agora?”. Mas a principal pergunta é “quando vocês vão voltar pro Brasil?”. Isso porque viemos para o Canadá para eu fazer meu doutorado e depois voltaríamos, esse era o plano… Era! Quando você mora fora do seu pais você conhece novos lugares, experimenta diferentes sensações, conhece pessoas diferentes, apaixona-se por coisas que nem imagina que existiam, visita lugares incríveis, aprende sobre uma nova cultura e fica muito difícil voltar para o que era antes, porque você mudou…

Foi lendo o artigo de Kellie Donnelly sobre a Parte Mais Difícil de Viajar que Ninguém Fala que me dei conta que não me adaptaria mais no Brasil. A autora diz que quando você volta depois de um longo período fora (não, poucos dias não contam, talvez meses e certamente anos) nas primeiras semanas você vira pop star: todo mundo quer te encontrar, ouvir suas histórias, jantares e mais jantares são marcados… mas depois de algumas semanas você percebe que as pessoas ao seu redor estão diferentes – casaram, foram promovidas no emprego, tiveram filhos, se formaram na faculdade, construíram uma casa nova… e parece que você ainda é a mesma pessoa. Mesma pessoa? Bem, você também mudou, de uma maneira menos visível mas você mudou! Não, não foi seu cabelo que mudou ou seu peso (apesar dos quilos extra que você ganhou nos anos morando fora), não foi seu estilo de vestir que mudou… o que mudou foi o que se passa na sua cabeça. Os seus sonhos mudaram, a maneira que você vê o mundo mudou, como você percebe e trata as pessoas mudou, hábitos mudaram (novos surgiram e velhos abandonados), a lista de coisas que você achava importante também mudou. Você quer discutir e compartilhar suas novas idéias com as pessoas mas ninguém mais fala sua língua – não, não quero dizer português ou inglês ou qualquer outro idioma. Quero dizer a língua daqueles que sabem o que é ser cidadã do mundo, não de uma cidade apenas. A língua daqueles que arriscam e ganham cultura, experiência e uma vida plena. Isso é algo que só se consegue quando se sai da sua zona de conforto e se vive fora do seu país de origem… e este é um dos (muitos) motivos pelos quais decidimos continuar nossa experiência Canadense.

O plano era voltar e, assim como nós mudamos, o plano também mudou. Hoje o plano é continuar vivendo em um pais que ainda nos impressiona e nos faz aprender mais e mais sobre vida, comunidade, cultura a cada dia. Hoje o plano é continuar vivendo no Canadá ou, melhor ainda, fora do Brasil.



  • 35 Responses

    1. Mariana disse:

      Adorei o post Gaby! Estou nesse momento de decisão e não sei o que fazer.
      Vim para Toronto para ficar dois anos é agora não sei se extendo meu contrato, se fico de vez ou se vou embora.
      Toronto e um ótimo lugar pra se viver, meu único problema aqui é não conseguir fazer muitos amigos e me sinto muito só, no mais amo a cidade!!

    2. Mariana disse:

      Oi Gaby! Estivemos em agosto no Canadá e gostamos tanto… E usei sim muitas dicas suas e a lembrança daí é encantadora… Sobre esse seu post: não volta não, muito menos agora. É triste de ver como um país tão bonito como o nosso está… Talvez eu e vc, não vejamos ele melhorar tanto, será que nossos filhos verão? É uma pena. Aproveite o que de bom vcs conseguiram! Felicidades!

    3. Arine disse:

      Nossa que legal e que frio na barriga meu deu ler esse seu post!! Acabei de chegar no Canadá para o Pós doc de um ano com meu marido e no momento ainda estamos nos adaptando e a saudade do Brasil e da família é grande. Não consigo me ver morando aqui pra sempre apesar de estar adorando toda a experiência… será que isso muda? E vc como foi a adaptação em um novo país, psicologicamente falando hehehe!
      Amei seu blog, parabéns, com certeza estarei lendo tudo por aqui!!

      • Olá Arine…obrigada pelo recado. Desde o primeiro ano Toronto se tornou uma cidade especial pra mim, algo que seria difícil abrir mao. Mas eu nunca pensei “vou ficar aqui pra sempre” ou não. Na verdade nem hoje eu penso. Eu levo a vida dia a dia e o que for melhor vai ser. A adaptação foi ótima. Até hoje tem coisas que eu não entendo, mas já estou adaptada… Não foi nada muito traumatizante!!!
        Beijos e vamos mantendo contato
        Obrigada pelo recado

    4. Tatiana disse:

      Maravilha! É isso aí.
      Eu tbm não voltaria….rs

      Felicidades para vocês!

    5. Iáfa disse:

      Oi Gabi, não sei se vc vai ler esse comentario, mas acompanho seu blog há um certo tempo (apesar de nunca comentar mesmo AMANDO SEMPRE! – sorry! sou horrivel com isso!!!).
      Estou indo pra Toronto em 10 dias. Estou indo conhecer, mas tenho planos de estudar aí.
      Mas tenho MUITAS dúvidas e questões na cabeça…

      Existiria alguma chance de nos encontrarmos? Prum chopp, café, sorvete?

      Um beijo!

      • Olá! Eu vejo e respondo todos os comentários. Quanto a nos encontrarmos podemos combinar… Durante a semana eu trabalho o dia todo e final de semana geralmente passeio ou viajo, mas me manda uma mensagem via blog ou facebook do blog que tentamos sim! Beijos

    6. camila disse:

      Olá Gaby, seu blog está me ajudando muito. Estarei indo em janeiro de 2015 para Toronto fazer um curso preparatório para o IELTS, o próximo passo será tentar o mestrado em educação em alguma universidade canadense. Ia esperar chegar lé para me informar. Mas será que você pode me adiantar o passo -a- passo? obrigada, bjo

    7. Lis disse:

      Oi Gaby! Vc imigrou antes de começar o doutorado ou no primeiro/segundo ano? Se eu fosse vc, iria fazer um pos-doc em Vancouver. Imagina morar naquele lugar maravilhoso!
      Ab,
      Lis

      • Ola Lis. Eu gosto muito do agito de Toronto e tenho uma grande amiga que mudou-se para Vancouver mas não está gostando… eu AMO Toronto e tudo que ela traz (de bom e de ruim). Por enquanto a continuação dos meus estudos e da minha vida será em Toronto! Beijos

    8. Letícia Giacomin disse:

      Gaby, que post lindo. Eu concordo contigo. Apesar da saudade e de todos os pesares, a impressão que eu tenho (vista de fora de tudo isso) é que aqui a gente parou, enquanto as pessoas que foram para fora continuaram. Aqui ainda é a mesma província florianopolitana, com as mesmas pessoas e o mesmo tipo de coisas (boas e ruins), tudo parece que parou igual. Já as pessoas que vivenciam outras culturas mudam, inevitavelmente, e é sempre pra melhor.

      A saudade vai ser sempre imensa, mas vais estar no meu coração independentemente do fuso horário.
      Beijos mil

    9. Ana disse:

      É assim mesmo, Gabi! Toda vez que vamos ao Brasil notamos essa diferença e nos convencemos cada vez mais que o nosso lugar é aqui. É muito estranha essa sensação. Boa sorte pra vocês nessa continuação da aventura!

    10. Vanessa Sotero disse:

      Nossa, que lindoo! Eu ja sou apaixonada pelo Canadá e vendo você falar , me apaixono mais ainda! Que Deus abençoe vcs nessa mudança de plano.

    11. Grasiela disse:

      oi Gabi…..só agora em julho o Ro deu entrada no meu processo….dependíamos de um documento que chegou na casa dele ai em junho……espero que meu processo nao demore. Ficamos sabendo de 3 casos que andou super rapido o pricesso de sponsor…3 meses….acho que qdo o casal ta um no canada e o outro fora do canada anda mais rapido……acho que novembro to chegando tomará…..beijooo

      Grasi 🙂

    12. Gabriela disse:

      Adorei o texto, parece que essas palavras saíram da minha cabeça, porque me identifiquei muito. Até tentamos morar de novo no Brasil, mas em 2 ou 3 meses já vimos que não foi uma boa ideia e já não nos adaptaríamos mais. Tive a impressão de que era lá que eu estava “fora”.

    13. Taís Hortencio disse:

      Que legal Gabi! Fiquei muito feliz por vcs! Mas como pós graduanda, não posso deixar de fazer esta pergunta: vc vê com bons olhos as oportunidades de trabalho depois do doutorado aí, ou vc pensa em continuar na pesquisa?

    14. Flicka disse:

      Sei bem o que é isso, Gabi! Qdo falamos pra todos que viriamos por 6 meses por causa do trabalho do marido (que acabaria em 6 meses teoricos), todo mundo falava que a gente nao voltaria. Um ou outro que ate morou fira por bons anos disse: vai, fica alguns anos, mas volta. Aahah
      Nao penso em voltar.. Nem daqui uns bons anos. Nao consigo! Ja to morrendo de medo das minha ferias ate… Depois de 2 anos visitar familia e amigos.. E ver como tudo esta. Enfim… Mudanca de planos faz parte e é isso que nos move!

      • 2 anos sem visitar o Brasil? Nós ficamos no máximo 10 meses e mesmo assim já notamos diferença. Imagina 2 anos… mas vai dar tudo certo! 🙂 Beijos e obrigada pelo recado

    15. Edson disse:

      Foi um arrepio gostoso ler esse seu post. Assim como seu blog, acompanho outros relacionados ao Canadá e quanto mais acompanho, mais percebo que nasci no país errado. Acho que o Brasil não é o meu lugar. É um incentivo enorme na preparação para imigrar definitivamente para esse encanto de país.

    16. Camila Novais disse:

      Oi Gaby!
      Espero que Deus continue abençoando a vida e os planos de vcs, sempre.

      Com relação a parte burocrática, vcs irão tentar a imigração? Se sim, é possível que no futuro você fale sobre o processo no blog? Já li mto sobre o assunto mas sempre sobram dúvidas.

      Boa sorte nessa nova etapa!
      xx

      • Oi Camila! Vou falar sim… eu não gosto muito de expor alguns pontos da minha vida – já acho que me exponho no blog demais. Mas já finalizamos o processo de imigração e já somos PR. Mesmo assim nós não sabíamos se iríamos ficar, mas aplicamos para não chegar no final, querer ficar e ter que voltar, entende? Beijos e vou falar mais sobre isso sim!

        • Camila Novais disse:

          Gaby, obrigada pela resposta.

          Entendo a sua posição sobre a questão da exposição de certos assuntos e agradeço por ser acessível aos seus leitores da maneira que é possível sem deixar de preservar a sua vida pessoal.

          Acompanho o blog já tem algum tempo e sempre me perguntei se vocês não teriam o interesse na imigração e agora, sabendo que já são residentes ficou mais claro rs. No final, o tempo provou que tomaram racionalmente a decisão certa para o coração 🙂

          Obrigada mais uma vez.
          xx

    17. Tati disse:

      Gabi, tenho acompanhando seu blog a algum tempo. Estou a uma semana de embarcar para o Canadá num intercâmbio.
      E sabe que este tem sido meu maior “receio”?! Não a cultura nova, outra língua, ter que me virar, morar na casa de alguém que não conheço, mas o voltar.
      Eu tenho pra mim que vai ser um “divisor de águas” sabe? Com certeza pra melhor, mas isso ainda me assusta. Me pergunto, e se eu não quiser voltar? E se me encantar tanto que as coisas aqui, nesta minha vida não tiverem o mesmo encanto? Não falo de família ou amigos, mas o modo de ver o mundo entende?
      Que frio na barriga! rs
      Admiro você e seu marido pela atitude e coragem. Quero poder me espelhar quando estiver prestes a voltar.
      Parabéns pelo blog 🙂

    18. Conheço bem essa historia… em casa foi a mesma coisa, a ideia era ficar 6 meses e veja só, estamos há quase 14 anos fora do Brasil 🙂
      bjão e boa sorte nessa “nova” etapa

      • 14 anos Mirella? Poxa, eu estou a 4 somente… enfim, obrigada pela mensagem! Não considero isso uma “nova” etapa, apenas a continuação de uma etapa boa das nossas vidas! Beijos

    19. cibele disse:

      Oi Gabi

      Imagino que a sensação nunca será a mesma né? Eu li um dia que a partir do momento que você mora fora, nunca mais é igual voltar ao país de origem.

      Me inspiro muito em você para a cada dia que passa, tomar coragem e dar entrada no processo de imigração. Seu blog foi muito importante pra mim!

      Boa sorte pra vocês nessa “nova” etapa da vida !

    20. Fran disse:

      Olha Gabi, entendo perfeitamente o que passas. Morei por quase 3 anos em Londres voltei para o Brasil já fazem 3 anos, e apesar de a vida não estar tao ruim aqui(financeira) eu e o marido percebemos que aqui não era mais o nosso lar. É bem como você, os valores e planos mudam, o que era importante não é mais. Voltei para terminar minha faculdade que estava trancada, e há alguns meses demos entrada no visto canadense. O marido vai fazer um curso em Vancouver, e depois vamos tentar imigrar. Mesmo com o apê todo montado no Brasil e a família aqui, sabe quando aquilo que você tanto quer se torna mais importante? Parece que se ficar aqui não estaria totalmente feliz! Espero em breve te escrever do Canada! ehehhe Beijos

      • Obrigada pela mensagem Fran e entendo perfeitamente: nós tínhamos emprego, apartamento montado mas não era o suficiente. Queriamos algo mais… e conseguimos isso aqui no Canadá. Espero de coração que dê tudo certo e que vc ache aquilo que procura em Vancouver 🙂

    21. Grasiela disse:

      Com certeza Gabi…é isso que meu marido me fala….que depois nao vou mais querer voltar a morar no brasil.

      beijo
      Grasi – Floripa

    1. 11/08/2014

      […] saberem que viemos para o Canadá com o intuito de estudar e ter uma experiência fora do Brasil, e não para imigrar. Esse foi nosso objetivo até nos apaixonarmos perdidamente por Toronto… e acho importante […]

    2. 15/04/2017

      […] pela cidade e pela vida aqui. Sabíamos que seria bom morar aqui, mas não imaginávamos o quanto. O plano era voltar para o Brasil, mas não conseguimos mais largar a vida que temos aqui em […]

    3. 24/04/2017

      […] para estudar – fazer meu PhD na Universidade de Toronto – e só depois de 4 anos é que decidimos ficar. Toronto é considerada a 11o melhor cidade do mundo para estudantes internacionais estudarem […]

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *