A loucura de viajar para New York City com crianças pequenas

Este foi o título que eu achei que seria mais certo ao escrever este texto. Eu até pensei em escrever algo como “será que vale a pena ir para NYC com criança” mas acho que a questão apontada aqui não é valer ou não a pena, porque eu sinceramente acho que SEMPRE vale a pena viajar com seus filhos. A questão deste texto – que será mais uma reflexão do que um guia de viagem – é relatar como é louco e difícil viajar para uma cidade tão intensa quanto NYC com seus filhos pequenos. Pelo menos essa é a minha opinião.

Em primeiro lugar quero dizer que não foi nossa primeira vez na cidade – que eu me lembre já fui para lá pelo menos 5 vezes -, então eu não tinha necessidade de conhecer atrações turísticas ou ficar visitando todos os cantos da cidade. Nosso intuito era passear, curtir a família e explorar a cidade no ritmo das crianças. Nós até conseguimos estabelecer um roteiro legal e visitamos lugares nunca vistos antes por nós – como o High Line, o Chelsea Market e o Museu de História Natural – mas eu achei que o ritmo da viagem e da cidade não combinam com o ritmo das crianças.

Minha impressão é que NYC não é uma cidade kid-friendly. Estávamos com carrinho de bebê para o Ian e raramente as pessoas davam a vez. E devo confessar que o carrinho foi atropelado algumas vezes pelas pessoas que estavam na correria das ruas. Calçadas cheias, restaurantes com garçons sem paciência com crianças e pouca acessibilidade foi o que eu presenciei nos dias que estivemos por lá. E não, não estou falando que meus filhos não gostaram da experiência ou que não há atrações para crianças na cidade – pelo contrário! O que estou falando é que a cidade em si não curte receber crianças e não achei que é um destino que seus filhos conseguem curtir intensamente.

Eu estava LOUCA para ir no Chelsea Market, mas chegando lá o local estava lotado e foi impossível andar com o carrinho. Também não conseguimos uma mesa e havia fila para comprar nos lugares mais populares. O resultado foi seguir para o café do Starbucks Reserve do outro lado da rua e tomar um café por lá mesmo. Eu estava LOUCA para ir no High Line e apesar de ser super acessível (elevadores para subir no jardim suspenso) achei bem cheio e em alguns lugares onde a trilha era mais estreita as pessoas não tinham paciência em esperar as crianças andarem em um ritmo mais lento ou empurrarmos o carrinho.

Dos lugares que fomos e eu indico para quem, mesmo assim, irá para NYC com crianças é: Central Park (imperdível e perfeito), Museu de História Natural (tem post aqui no blog falando em detalhes sobre este passeio), Eataly (jantamos e fomos surpreendidos pela atenção e delicadeza com as crianças) e Rockefeller Center (cheio de lojas de brinquedos e com a pista de patinação no gelo que as crianças amam).

Uma das melhores maneiras de explorar NYC é utilizando o metro. E nós usamos – MUITO! Mas preciso dizer que o local possui ZERO acessibilidade e também é um lugar estranho para estar com crianças. Eu canso só de pensar nas várias vezes que tínhamos que subir e descer as escadas, para depois subir de novo. E tem também toda a função de tirar e colocar casacos, quando está frio lá fora e um bafo dentro dos túneis do metro. Compramos um passe de 7 dias mas no final já estávamos pegando só Uber, porque não aguentávamos mais a função com o carrinho e com os pequenos.

Quero também deixar aqui destacado o nome do hotel que ficamos, já que além de ser super bem localizado tinha café da manhã incluso na diária – o que é perfeito para quem viaja com crianças, cozinha completa no quarto e área externa para eles correrem soltos sem se preocupar. O hotel foi o Homewood Suites da Times Square. Vale citar que nenhum hotel (bom) em NYC é barato, mas este achamos com preço justo por tudo que oferecia. E, como disse anteriormente, tinha várias facilidades para quem viaja com criança pequena.

Por fim, segue abaixo algumas dicas simples que podem te ajudar a ter uma viagem mais tranquila com crianças (em NYC ou qualquer outra cidade que você quiser visitar):

  • Não tente fazer tudo em um único dia: o ritmo de viagem com crianças é totalmente diferente e você não conseguirá fazer nem 1/5 do que planejou. Vou usar como exemplo o dia que resolvemos explorar o Central Park. Passamos o dia no parque caminhando e explorando cada cantinho deste lugar lindo. Até almoçamos no The Boathouse, que fica dentro do parque. Mas já no final da tarde notamos como as crianças estavam exaustas, sem rumo mesmo. Chegamos no hotel e elas capotaram, sem jantar. E ai caiu a ficha que tínhamos exigido muito delas e isso não era certo.
  • Pegue quartos que possuam um quarto separado: essa dica é ótima mas infelizmente não conseguimos seguir nesta viagem – porque o hotel estava lotado. Sempre que viajamos pegamos um quarto de hotel que tem uma sala a parte, porque as crianças dormem cedo e ai podemos aproveitar enquanto elas dormem (conversar e jantar no hotel). No caso desta viagem as crianças dormiam e nós também!
  • Pague mais para vôos diretos e pague para escolher o assento no avião: fomos para NYC de avião (1h de distância de Toronto) e foi a melhor coisa pegar um vôo em um bom horário, direto e com assentos marcados. Nossos bancos eram os primeiros da classe econômica do avião, super confortáveis e espaçosos. Vale cada centavo investir nesta comodidade quando viajamos com crianças.
  • Olhe o menu dos restaurantes antes: eu raramente peço comida do menu kids para os meninos, porque geralmente só tem fritura e comida que eles não curtem, como pizza e mac’ and cheese. Então eu sempre olho o menu antes de ir em um restaurante para saber se há uma opção de comida que os meninos curtem. Geralmente não tenho problema porque eles comem de tudo, mas sempre olho para não correr risco deles não comerem nada.
  • Sempre inclua uma atividade no dia para seus filhos: não passe o dia todo no Museu de Arte Moderna e queira que seu filho se comporte bem no jantar. Isso não vai acontecer. Criança precisa gastar energia e nós sempre colocamos uma atividade ou atração para elas curtirem, cansarem e ai sim vamos para aquela que é atrativa para nós. Vale parquinho, loja de brinquedo, parque ou o que tiver disponível. No caso desta viagem muitas das atrações foram voltadas para crianças, já que estávamos com 4.

Espero que tenham gostado do meu post e me contem se vocês já foram para NYC com crianças e o que acharam. Ou se vocês planejam ir e o que estão levando em consideração na hora de montar um roteiro.



2 Resultados

  1. Elane Dutra disse:

    Olá Gabi! Muito bom seu texto!

    Estive em NY duas vezes, a primeira vez não tínhamos nossa filha, e na segunda vez já com nossa filha isso em nov/17, ela estava com 1 ano e 5 meses de idade.
    E de fato NY é uma cidade muito acelerada… e por estamos com uma criança pequena nosso ritmo era lento rsrs, e determinados lugares se torna chato e cansativo para a criança. E para mim dos passeios que fizemos o que salva para a criança é o Central Park, pois no parque a gente relaxa mais.
    Mesmo assim tudo foi maravilhoso, pois viajar é maravilhoso!

    ** alugamos um apartamento de um quarto perto da 5 avenida (pelo Booking) e valeu super apena, pois assim eu fazia a comidinha da nossa filha.

  2. JAQUELINE disse:

    Estava considerando levar meu baby pra comemorar o primeiro aninho em NYC… agora vou reavaliar. Adorei o texto e tua sinceridade! Beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *