Mães no Canadá: Cuidando de mim na correria da vida de mãe expatriada

Hoje é dia do projeto Mães no Canadá aqui no blog – e nos blogs, canais do Youtube e redes sociais de outras mães brasileiras que moram no Canadá. O tema deste mês é sobre cuidados que temos conosco nesta loucura que é a vida de uma mãe expatriada e como conseguimos fazer para mantermos uma vida um pouco mais próxima do normal.

Em primeiro lugar eu preciso dizer que como mãe expatriada e sem família por perto é MUITO DIFÍCIL ter uma vida normal com um bebê pequeno em casa (para quem não sabe estou de licença maternidade e meu filho mais novo – Ian – tem 11 meses). Isso porque ele ainda mama – muito! – e meu marido trabalha – muito também! Resultado: sou eu que cuido e fico com ele 24h por dia, 7 dias da semana. Sim, alguns dias meu marido fica com o Ian para eu poder sair mas, adivinhem, estas minhas saídas envolvem meu outro filho, o Thomas de quase 4 anos. Porque ele também tem vontade e necessidade de fazer programas só com a mãe, então esses poucos momentos eu acabo dedicando a ele.

Falando sobre os cuidados de beleza – cabelo, unha, depilação – eu preciso dizer que normalmente eu já não faço unha e cabelo como fazia no Brasil – a cada semana. Esses cuidados são bem caros e a vida aqui acaba acontecendo e o que a gente menos se importa é de ter a unha feita ou o cabelo escovado. Mas eu faço luzes no cabelo e a última vez que fiz com o Ian pequeno, quando minha mãe estava aqui – e pode ficar com ele no salão enquanto eu estava fazendo as luzes. Ai toda vez que ele chorava parávamos tudo e ele vinha para meu colo mamar. Eu até fui sozinha com ele cortar meu cabelo e ele chorou no carrinho o TEMPO TODO até que uma senhora que também estava no salão se sensibilizou e pegou ele no colo. Eu estou querendo muito retocar minha raiz de luzes mas vou esperar quando minha mãe vier para ela poder tomar conta dele, porque sem isso não tem como.

Depilação é uma coisa que eu não abro mão e faço todo mês. E o Ian vai comigo. A Sandra que me depila desde que eu cheguei em Toronto se vira nos 30 para me depilar e entreter o pequeno. Ele fica no carrinho, no meu colo, no colo de alguém que está no salão, no colo da Sandra e por ai vai. A gente sempre consegue fazer mas tem horas que é um sufoco, porque ele começa a chorar e a coitada da Sandra tem que tirar todos os pêlos bem rápido para eu acalmar o pequeno. No fim eu acho até bom porque o que eu menos me preocupo é com a dor e as últimas vezes passaram bem rápido também (oh, sufoco!).

Em relação a exercícios físicos eu estou fazendo Pilates – na Pilates Brazil de Toronto – desde que o Ian tinha 4 meses de idade. Foi uma maneira de eu sair de casa e fazer algo para mim, me cuidando um pouco em uma fase tão delicada da minha vida e com um bebê tão pequeno. Foi A MELHOR coisa que eu poderia ter feito. As aulas são individuais e o melhor de tudo é que meu bebê está lá comigo e eu tenho a flexibilidade de parar o exercício para cuidar dele e também ter alguém me ajudando a cuidar dele enquanto eu me exercito. Certamente me mexer e ter meu bebê pertinho me ajudou muito em relação a minha sanidade mental no puerpério e eu indico para todo mundo um exercício assim.

Uma coisa boa do Ian – e que me ajuda em relação a momentos que eu quero ter comigo mesma e coisas que eu gosto de fazer – é que os cochilos dele são super longos: 2 horas cada. Isso mesmo: ele dorme 2h de manhã e 2h de tarde, no mínimo. E neste tempo todo eu consigo ter tempo para mim, para o blog, para a casa e para tudo que eu tenho vontade de fazer. Acabo me sentindo bem, produtiva e descansada porque consigo organizar minha cabeça e a casa para quando ele acordar eu ser todinha dele novamente. Eu levo o blog bem a sério – como vocês podem perceber – então acabo escrevendo posts quando ele está dormindo. Isso, obviamente, depois de cozinhar, lavar roupa, limpar a casa e outras coisinhas mais.

Por fim quero falar das minhas noites. As crianças dormem cedo – sozinhas e cada uma no seu quarto – então à partir das 8:30pm eu tenho as noites todas para mim, ou melhor, para curtir com meu marido. Ele anda numa fase de muito trabalho então acaba trabalhando nas noites, mas quando está tranquilo a gente conversa bastante, se curte, assiste filmes e vídeos no Youtube… tudo em casa mesmo. Muita gente me pergunta se eu tenho vontade de sair à noite e a resposta é não. Não me faz mal não poder jantar ou sair à noite por ter que ficar com as crianças. O que me faria mal seria o fato deles não dormirem sozinhos. Se eles estão dormindo bem eu fico tranquila estando em casa, descansando ou fazendo algo que eu gosto.

Como falei anteriormente este post faz parte do projeto Mães no Canadá, no qual eu e outras mães brasileiras que moram no Canadá falamos sobre um mesmo tema, todo dia 20 de cada mês. Como sempre eu vou adorar saber o que vcs acham das minhas idéias e não deixem de conferir também o que as outras participantes do projeto tem a dizer sobre o assunto.

Adriane (Ottawa, ON) | Like a New Home
Alessandra (Bathurst, NB) | Canadiando
Amanda (Richmond, BC) | Viva Canada
Beatriz (Vancouver, BC) | Biba Cria
Carol (Vancouver, BC) | Fala Maluca
Carol (Mississauga, ON) | Minha Neve e Cia
Danielle (Toronto, ON) | Vidal no Norte
Livi (Toronto, ON) | Baianos no Pólo Norte
Mari (Calgary, AB) | De Bem Com a Vida
Renata (Burnaby, BC) | Mala Inquieta



1 Resultado

  1. Dani Vidal disse:

    Aproveitamos o tempo que temos neh Gaby? Eu sempre vejo as fotos suas do pilates e morto de vontade de fazer tb! Quem sabe acho algo por aqui depois que a Claire nascer. Beijoss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *