Vale a pena visitar o Royal Ontario Museum de Toronto com criança?

Quem me acompanha nas redes sociais – Facebook, Instagram e Youtube – viu que mês passado fomos visitar o Royal Ontario Museum (ROM) com os pequenos (a primeira vez do Ian em um museu!). Nós já tínhamos ido neste museu algumas vezes mas nunca tínhamos levado os meninos. Pois eis que criamos coragem e fomos e quando compartilhei o passeio com vocês recebi muitas perguntas sobre a experiência e, principalmente, se valia a pena ir no local com crianças. Por isso eu resolvi escrever este post e falar sobre o que eu achei e o que meu filho mais velho curtiu ou não (porque o pequeno dormiu a maior parte da visita).

O ROM é um museu de arte, cultura mundial e história natural em Toronto. É um dos maiores museus da América do Norte e o maior do Canadá. Atrai mais de um milhão de visitantes todos os anos, sendo o museu mais visitado do Canadá. A arquitetura do local impressiona (apesar da faixada estar em reforma) e dentro o acervo é bem diverso. Tem de tudo: dinossauros, animais empalhados, insetos, roupas antigas, múmias, bustos romanos, esculturas, totens, porcelanas antigas e muito mais. Obviamente que um museu assim, tão diverso, agrada uma diversidade enorme de pessoas… mas, e as crianças?

Eu acho que é um lugar imperdível para quem tem filho e vem para Toronto. Meu filho Thomas – de 3 anos e meio – adorou a experiência. E é por isso que eu acho que vale sim levar seu filho no ROM. Mas pense que o museu é enorme e que, se você for com criança, talvez não consiga visitar todas as exposições, porque nem tudo causa interesse nos pequenos. Por exemplo, no primeiro andar há uma exposição de First People – as primeiras pessoas que povoaram o Canadá – que simplesmente não agradou o Thomas. O terceiro andar – dedicado à Africa, Egito, Roma, Grécia e afins – também não agradou. O que o Thomas gostou foi mesmo o segundo andar. E é provavelmente onde você vai passar a maior parte da sua visita se for com criança.

O segundo andar é onde os dinossauros estão. Ali também há exposições de biodiversidade com animais empalhados e insetos. O espaço é interativo e é onde você encontrará a maioria dos pais com seus filhos. Ali também há um local chamado Discovery Gallery, uma espécie de playground onde há brinquedos, fantasias e várias coisas que as crianças podem interagir (e se divertir). O preferido do Thomas foi a escavação de fósseis de dinossauros.

Nós gastamos 2 horas no museu: chegamos às 10am quando estava abrindo e saímos ao meio-dia. Como temos um bebê pequeno já sabíamos que não iríamos ficar muito tempo. Há vários espaços com sofás onde eu vi mães dando aos filhos comida (que trouxeram de casa). Dentro do local há uma deli e eles estão ampliando o museu e parece que vai ter um restaurante novo. Ali perto você também encontra muitas opções de comida.

Em resumo, vale sim muito a pena levar seus filhos para visitar o ROM, mas lembre-se que o museu não é de criança e o local não é um playground; ou seja, nem todos os lugares vão entreter seu filho. Se eu voltaria? Sim, muitas vezes. O Thomas mesmo já pediu para ir ver novamente os dinossauros.

Por fim, quero falar que agora o ROM tem entrada gratuita toda terceira segunda-feira do mês, das 5:30pm até 8:30pm. Esta é uma oportunidade de você visitar o museu sem gastar nada.

Mais informações sobre o museu vocês encontram aqui.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *