O dia que nos tornamos Canadenses

Nove de abril de dois mil e dezenove. Certamente um dia que não iremos esquecer nunca. Isso porque este foi o dia que nos tornamos Canadenses, que nos tornamos cidadãos de um país que escolhemos para chamar de nosso, que tivemos a certeza de que quando a gente batalha e busca algo – com vontade e garra – a gente consegue.

Quem acompanha a nossa história desde 2010 – quando chegamos no Canadá – sabe que nós viemos para cá sem o intuito de ficar. A idéia era vir, ter uma experiência internacional para melhorar nosso curriculum, viajar bastante, curtir muito tudo que o país tinha a oferecer e depois de 4 anos voltar para o Brasil e tocar nossa vida. Mas o Canadá nos conquistou e não conseguimos dizer “até logo” para ele. Tivemos que ficar. Tivemos que nos tornar parte dele.

Hoje, um misto de sentimentos passam na minha cabeça e é sobre esses sentimentos que eu quero escrever este texto. Não, não irei falar sobre a cerimônia em si e tudo que aconteceu neste dia 9 de abril de 2019. Eu quero falar deste sentimento louco de pertencer, de lutar, de fazer parte. Porque é tudo isso que eu estou sentindo agora. Eu sinto que eu pertenço ao Canadá, que eu encontrei o meu lugar no mundo e que é aqui que eu quero ficar. O sentimento de lutar faz parte da nossa vida como imigrante, de encontrar nosso espaço no meio de um país que a gente escolheu ser nosso, de mostrar e demonstrar o seu valor a cada minuto para tentar se destacar em uma cultura e um ambiente que não foi o que você nasceu e cresceu. O sentimento de finalmente fazer parte daqui refere-se ao fato de que hoje em sinto que estou no mesmo nível de várias pessoas, que posso me chamar de Canadense, que posso me olhar no espelho e ver que tudo aquilo que idealizei lá no começo tornou-se realidade. Sentimentos loucos, reais, felizes… são eles presentes neste dia que nos tornamos Canadenses.

A cerimônia durou quase 1 hora e durante ela eu me emocionei várias vezes mas nada me emocionou mais do que ter o Ian no colo – dormindo tranquilamente – e pensar em tudo que o Canadá me deu: sucesso profissional, meus filhos, momentos maravilhosos… e como é bom saber que a partir de agora eu faço parte deste país e continuarei colecionando momentos e conquistas e aprendizados, “como Canadense”.

Teoricamente – ou melhor, em termos burocráticos – pouca coisa muda para quem era PR como nós e agora se tornou Canadense. Se não me engano o que mudará é o fato de termos passaporte Canadense e de podermos votar nas eleições daqui. Mas lá dentro de mim muita coisa mudou. Conquistar algo que você queria tanto e que define quem hoje você se tornou é algo maravilhoso e transformador. E saber que o país que eu escolhi para ser meu lar – e da minha família – me acolheu e me recebe de braços abertos é simplesmente uma das melhores sensações do mundo.

Por fim, quero falar do início da cerimônia, que começa com um vídeo do Prime Minister Justin Trudeau. Ele deixa uma mensagem linda para os novos Canadenses – foram 100 na cerimônia que participamos de 27 nacionalidades – e termina falando “Welcome Home”. E esta frase me tocou MUITO. Parece que um peso saiu das minhas costas. Porque o Canadá é nossa casa desde 2010 mas hoje, finalmente, podemos dizer que fazemos parte dela. E como é bom “estar em casa”.

Você pode gostar...

8 Resultados

  1. Gabriel disse:

    Parabéns à família, Gaby.
    Acompanho o Blog há pouco tempo e, mesmo ainda mão mudando de país, me identifico com o sentimento de vocês neste dia. Identifico com a alegria irradiante de finalmente encontrar seu lugar no mundo e agora ser parte oficial dele…
    Muito sucesso e muitas alegrias para toda a família!

  2. Pietra disse:

    Gaby que legallll.
    Parabéns pra voces. Fico muito feliz porque acompanho voces desde 2010 e sei a luta e sei que deve ser muitas incertezas e dúvidas, mas no final tudo da certo.
    Agora sim Canadenses.

    Bjos e fiquem com Deus.

  3. Jacqueline Ernst disse:

    Obrigada por compartilhar este momento! Estamos no começo desta caminhada. Lutamos muito para chegar e para se manter aqui. Acredito que o tempo que o governo exige para dar a cidadania é calculado para que você tenha condições psicólogicas de amar esta terra como se fosse sua. Isto só com o tempo! Até neste sentido eles são perfeitos. Meu objetivo de vida é acolher o Welcome home. Só quero me sentir em casa.

  4. Arthur disse:

    Tem só seis meses que estou aqui (desde o começo como PR) e já estou contando os meses para quando poderei dar entrada no pedido de cidadania. De qualquer forma, já me sinto completamente em casa aqui (Toronto) e não tenho vontade nenhuma de voltar a morar no Brasil.

    Parabéns para vocês, pela dedicação, pela força que tiveram, e agora estão colhendo os frutos dos seus próprios esforços. Isso não tem preço. Muitas felicidades!

  5. Marcela disse:

    Me emocionei! Parabéns pra vc e sua família canadense :) Muito legal ler esse `relato`.
    Vou viajar a passeio para Toronto em maio com meu noivo e descobri o gabynocanada no planejamento da viagem., que aliás, tem sido muito útil.
    Tudo de bom pra vcs!

  6. Ariane disse:

    Nossa, emocionada aqui!! Acompanho o blog desde 2014 quando passei um ano no Canadá e aprendi e me inspirei em muitos posts seus … Hoje de volta ao Brasil sinto mta saudade do Canadá e vivo cogitando voltar agora pra morar… Não é fácil tomar essa decisão mas ver a sua trajetória com certeza é uma inspiração! Parabéns e parabéns!

  7. Nossa Gaby! Faço das suas palavras as minhas, tb me tornei canadense no mês passado e senti exatamente o mesmo que vc, depois de muita luta e espera enfim o dia chegou! E a recompensa é grande, uma oportunidade privilegiada que tivemos de nos tornarmos filhos dessa terra que nos adotou e hoje chamamos de home sweet home. Parabéns e muito sucesso sempre! Te admiro muito!

  8. Priscila K. disse:

    Congratulations Gaby! Eu quero me espelhar essa garra de você! Ainda estou no Brasil, mas quem sabe em breve, possamos nos conhecer! Sucesso e muita prosperidade para você e a sua família. =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *