Primeiras vezes que vivi em Toronto

Hoje eu irei escrever um post bem pessoal, sobre algumas primeiras vezes que eu tive aqui em Toronto. Para quem não sabe eu moro por aqui há 8 anos e muita coisa aconteceu na minha vida nestes anos, sendo muitas destas coisas as primeiras. Eu confesso para vocês que inicialmente pensei em fazer uma lista de 10 primeiras vezes que vivi em Toronto, mas não consegui pensar em tantas coisas. Então, vai abaixo algumas das minhas primeiras vezes por aqui.

Primeiro celular smartphone

Sim, a primeira vez que tive um celular moderno com câmera, aplicativos e afins foi aqui no Canadá. Antes de vir para cá eu não tinha este luxo, que é absurdamente caro no Brasil. Meu celular era um Nokia daqueles enormes e um ano antes de vir eu estava morando em São Paulo só me preparando para o Doutorado (fazendo a aplicação, escrevendo projeto e artigos, estudando inglês) e nem tinha celular. Lembro que quando cheguei aqui final de agosto de 2010 comprei um iPhone 4 (que tinha sido lançado em junho daquele ano) e pirei. Porque ele era “super rápido” e “moderno” e “tinha uma câmera incrível”. Fiz um contrato de 2 anos com a Bell e desde então renovo com a empresa a cada 2 anos e consigo trocar meu aparelho de celular tranquilamente. Hoje, obviamente, não consigo viver sem meu smartphone.

Primeira cirurgia

Eu fiz minha primeira (e segunda e terceira e quarta e quinta e sexta…) cirurgia aqui no Canadá. Claro que não foi em uma circunstância feliz – pois eu tinha perdido meu primeiro bebê e precisava de uma curetagem – mas lembro que foi uma primeira vez bem difícil não somente por causa do motivo da cirurgia, mas por estar em um país novo e não saber bem como as coisas acontecem em um hospital e realmente não saber o que viria depois. O sistema de saúde do Canadá é bem diferente do Brasil (leia mais aqui) e mesmo hoje, 8 anos depois de utilizá-lo – eu ainda não estou acostumada com algumas coisas.

Primeira vez abastecendo o carro

Sim, foi aqui em Toronto que eu abasteci um carro pela primeira vez, como contei neste post aqui sobre micos. Antes que as pessoas entendem errado eu preciso explicar que no Canadá não há frentistas como lá no Brasil e eu não usava carro nos primeiros meses em Toronto porque morávamos no centro e não havia necessidade (e meu marido era quem usava, cuidava e abastecia o carro nesta época). Mas ai meu marido foi viajar às pressas para o Brasil e deixou o carro comigo. Em um domingo eu quis passear com Jojoe e precisava abastecer pois tinha pouca gasolina. Parei no posto, coloquei o cartão na máquina, escolhi o tipo de gasolina que queria e estava prestes a colocar o combustível mas o tanque não abria. De jeito algum. E eu tentei ligar e desligar o carro, forçar com a chave, e nada. Desisti e só depois à noite conversei com meu marido e ele me explicou sobre a alavanca embaixo do tapete do motorista. E ai abasteci o carro e deu tudo certo.

Primeiro emprego com “carteira assinada”

Isso mesmo, foi aqui no Canadá que eu tive o meu primeiro emprego real, daqueles de ter um vínculo empregatício com vários benefícios, direito de férias, seguro saúde, entre outros. Não sei se já comentei a minha trajetória com vocês mas eu me formei em fisioterapia e montei um consultório para mim com algumas sócias. Eu sempre trabalhei, mas de forma autônoma então se eu não trabalhasse eu não ganhava. Eu não tinha esta “certeza” de salário no final do mês. Além disso, eu nunca parei de estudar então não podia – e nem queria – procurar algo assim, já que queria me dedicar aos meus estudos pois sempre tive uma paixão por pesquisa. E foi assim que continuei trabalhando na clínica entre um mestrado e duas especializações e eis que nos mudamos para São Paulo e neste rolo de mudanças o Doutorado surgiu na minha vida junto com o Canadá… e o resto é história.

Primeiro bebê

Eu confesso que nem ia escrever sobre isso, já que eu não considero o Thomas o meu primeiro filho e sim Jojoe, nosso cachorro scottie que surgiu na nossa vida quando ainda estávamos em São Paulo. Foi Jojoe que acalmou meu coração nos 4 longos anos que tentei ter meu bebê e é ele que me ensina a ter paciência todos os dias. Mas ai eu lembro em como Thomas me mudou e eu não poderia deixar de incluir ele nesta lista, pois certamente foi a primeira vez que eu me senti completa. Eu ainda acho uma loucura pensar que eu tive um filho fora do Brasil ou no Canadá, e que ele está sendo criado em uma cultura completamente diferente da que eu e o pai dele fomos criados, que ele fala duas línguas fluentes e que ele será um cidadão do mundo. Acho que este é um sentimento louco e difícil de explicar.

Primeiro capítulo de livro e meu primeiro curso

Das coisas mais legais que Toronto pode me dar certamente conhecimento foi a principal delas. Por mais que eu já estivesse estudando a um tempão e tivesse feito um monte de cursos antes de vir para cá foi durante meu Doutorado de 4 anos na Universidade de Toronto que eu abri a minha cabeça e comecei a pensar em pesquisa científica de uma maneira completamente diferente. Meus questionamentos mudaram, minha linha de pesquisa mudou e a maneira crítica de eu discutir os resultados mudou. É como se as certezas que eu tinha tivessem mudado e foi incrível ter este conhecimento. Mas ter este conhecimento e não o compartilhar não teria o menor sentido. E foi ai que eu fui convidada a dar meu primeiro workshop na minha área (em 2014) e escrevi meus dois primeiros capítulos de livro (em 2017). Sou muito orgulhosa da minha jornada e, mais importante ainda, de ter a oportunidade de compartilhar ela cientificamente.

E ai, gostaram das minhas primeiras vezes em Toronto? Vou adorar saber o que vocês fizeram aqui pela primeira vez. Este post faz parte do projeto #vidaemTO onde eu e outras blogueiras brasileiras que moram em Toronto falam sobre um mesmo tema, todo dia 15 do mês. Espero que tenham gostado da maneira que abordei o tema e não deixem de conferir os posts sobre este assunto nos outros blogs que participam deste projeto:

Danielle | VidalNorte
Mari | Virei Canadense
Sil | Mundo da Sil

A foto que ilustra este post é designed by Freepik.



3 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors

Gostei muito do post Gaby! Queria deixar uma sugestão de post, de uma coisa que tenho muita dúvida, rs…
Como são os direitos de quem tem carteira assinada aí no Canadá ou na província de Ontario? Eu já li seu post sobre Licença Maternidade e achei maravilhoso o tempo que a mulher pode ter para ficar com o filho.
Queria saber mais sobre férias, banco de horas, horas extras, atestado..
Beijos!

Nossa, minha primeira abastecendo o carro no estilo Self-Service foi aqui tb ahahahahah ainda sofro com isso, não consigo entender como calcular a quantidade que preciso abastecer hahahahahhaahhahahaha

Acho incrível sua jornada como pesquisadora, sempre dedicada (como em tudo que vc faz), curiosa e com sede de aprendizado. Eu fico feliz de saber que existem pessoas como você nessa e em tantas areas importantes <3
Eu não sabia que foi aqui o seu primeiro trabalho de "carteira assinada". Que legal!