Sobre ser plagiada, me tornar a vilã da história e maneiras de identificar plagiadores

Quem acompanha a página do blog no facebook deve ter notado que semana passada foi agitada por lá. Isso porque várias pessoas começaram a me escrever apontando para um site que havia plagiado meus posts. A autora do blog havia copiado mais de 10 posts meus assim, na íntegra e na maior cara de pau e em alguns deles ela havia juntado mais de um post em seus textos. Aliás, ela copiou dois posts super populares no blog, o de 10 coisas para não fazer em Toronto e o Sobre criar expectativas em relação a uma cidade ou viagem (se você ainda não os leu vale a pena), e acho que foi ai que o pessoal que é leitor assíduo se deu conta do que estava acontecendo e foi me avisar.

Plagio

Screen Shot 2016-03-30 at 7.16.36 PM

Quando vi meus posts copiados eu fiquei super brava. Eu trabalho com pesquisa e textos são uma das coisas mais valiosas que eu tenho/faço. Escrever dá trabalho e é uma mistura de foco e prazer: para escrever bem a gente tem que se dedicar, mas ler um texto seu bem escrito depois dá muita satisfação. Posso ter o blog somente como um hobby, sem ganhar nada com ele, mas tudo aqui é de minha autoria – tirando as fotos que são do maridão na maioria das vezes – e eu levo a sério teste “trabalho”. Enfim, fiquei tão brava que compartilhei um post indignado com vocês lá no facebook falando que meu post de 10 coisas para não fazer em Toronto havia sido plagiado, e coloquei o link do blog que havia copiado o texto. Dentro de poucos minutos recebi mensagem da autora do texto me pedindo desculpas, dizendo que ela estava errada mas que precisava destes textos, ou melhor, publicá-los e mantê-los no ar por mais 2 semanas pois ela havia ganhado uma bolsa de estudos e como pré-requisito para tal ela tinha que escrever textos. A menina foi super educada mas o fato dela não estar sendo leal e ter se aproveitado de mim (não vejo outras palavras para escrever isso) me deixou muito mais brava ainda. Publiquei outro post com trechos do que ela havia me escrito e falando como eu estava chateada com a situação e que dava muita vontade de parar de escrever o blog, pois do que adiantava todo o trabalho e dedicação para acontecer algo como aquilo.

Pronto! Este foi o estopim de tudo. Recebi MUITAS mensagens de leitores, 90% me apoiando, falando para eu denunciar a menina e que isso era realmente um absurdo. Porém, 10% das pessoas me escreveram dizendo que eu estava fazendo drama, que a menina não iria “concorrer comigo ou com o meu blog” (já que estava escrevendo só pela bolsa), que se eu denunciasse iria prejudicar ela e que eu deveria ser superior (oi?), que eu era inteligente e sabia que fazer o mal para a menina (ela corria o risco de perder a bolsa e não conseguir o diploma) não era o correto, que era normal copiar textos pela internet (juro que recebi este comentário), etc… foram tantas mensagens sem noção que para não estragar meu dia eu deletei todos os posts relacionados ao assunto, não li mais nada e fui preencher meu tempo com aquilo que era realmente importante: Jojoe e Thomas, que estavam em casa comigo naquele momento.

Porém como várias pessoas haviam denunciado – antes mesmo que eu soubesse de algo – o estrago já tinha sido feito: a escola (o blog que a menina escrevia fazia parte de uma escola de inglês) entrou em contato comigo pedindo desculpas e ontem deixaram um anúncio formal na página deles falando que a tal autora não era mais a embaixadora de Toronto e que eles me pediam desculpas por não terem detectado o problema – plágio de textos – antes que ocorressem (i.e. fossem publicados).

Screen Shot 2016-03-30 at 7.22.11 PM

Eu não ia mais tocar no assunto mas resolvi escrever este post por alguns motivos. O primeiro deles é para alertar todos de que plágio é crime e que de uma maneira ou de outra você será sim pego. Eu não sei e nem quero saber o que aconteceu com a autora, mas se foi algo ruim não foi por minha culpa e sim pela maneira errada que ela agiu. Eu não sou a vilã da história como aqueles 10% de leitores quiseram me rotular. Não fui eu que me comprometi a fazer algo em troco de uma bolsa e menti. Poxa, ser embaixadora de uma cidade e receber uma bolsa são motivos suficientes para a pessoa se empenhar e escrever belos textos sobre sua vida em Toronto, não é mesmo? Não é legal sair copiando textos de outras pessoas e achando que não vai ser descoberta. Vai sim. E respondendo às pessoas que acham que é normal copiar textos na internet, não, não é normal e além disso não é certo. Plágio é algo sério – eletronicamente e no meio acadêmico – e você pode até perder seu diploma se ele for detectado.

O segundo motivo é para mostrar que há várias maneiras de você detectar se seus textos foram vítimas do CTRL-C CTRL-V. A maneira mais fácil é através do google. Para tal, basta colocar uma frase ou parágrafo do texto entre aspas duplas e pesquisar. Estas aspas farão com que a busca seja por palavras na ordem exata que foram digitadas. Uma outra opção é o site plagium.com, que faz buscas avançadas de documentos da internet. Este site é gratuito, simples e super fácil de usar. Há ainda vários softwares que podem ser baixados (clique aqui e veja uma lista).

Por fim, gostaria de avisar que apesar de perder um pouco a fé nas pessoas eu continuarei aqui, firme e forte, escrevendo meus textos, inspirando pessoas e, se possível, não sendo plagiada, porque dá muito trabalho manter tudo isso aqui!

48 Responses

  1. Beatriz Deslandes disse:

    Oi Gaby, conheci seu blog quando estava planejando uma viagem ao Canadá neste agosto último, foi super útil. Agora vim procurar sobre Blue Mountains e me deparei com este post antigo. Acho que vc nem vai receber esse comentário pois já está tão fora da linha do tempo do fato ocorrido, mas ainda assim… Seu blog é ótimo e seria uma pena interrompê-lo. Não concordo com o fato de copiarem, sim é crime, mas é também um elogio ao seu trabalho, que é muito bom! Keep it up! Boa sorte e um 2018 especial para vc!!!

  2. Andreia disse:

    Olá Gaby. Meu nome é Andreia, tenho um blog onde narro a rotina de uma família brasileira na Nova Zelândia. Aconteceu exatamente o mesmo comigo hoje, e compartilho da sua revolta e indignação. Só quem faz sabe da dificuldade da pesquisa, da revisão, da organização de pensamento para um texto sair legal e espontâneo. No meu caso, a pessoa veio na minha página (onde denunciei publicando os prints) e ainda teve a cara de pau de dizer que não sabia que era errado (?!?), que eu deveria ficar feliz dela ter gostado e copiado o texto. Detalhe: ela copiou do blog, colou na página dela do Face e trocou a parte do texto que se referia à Nova Zelândia por Portugal. Não deu os créditos e disse que fazia isso sempre com outros textos da internet. Surreal.

  3. Sarah disse:

    Nossa, a garota te pediu desculpas pelo erro,e mesmo assim vc ferrou ela sem dó?
    Quanta frieza.
    Arruinou todas as possibilidades dela,só pra aplacar seu ego ferido.E ainda inventou que foram outros que a denunciaram só pra tirar a responsabilidade das suas costas.
    Certo estava meu finado avô,o ser humano é o animal mais cruel da face da Terra.
    Vc consegue mesmo se olhar no espelho sem sentir ânsia de vômito?

    • Lo disse:

      KKKKKK…..eu me pergunto como VOCÊ , pessoa que escreveu um comentário desnecessário, ignorante e desalmado desses consegue “se olhar no espelho”
      Mas pera lá….numa coisa tenho que concordar com você: seu avô tinha razão, o ser humano é o animal mais cruel da face da Terra e vc com seu comentário acabou de confirmar isso.

    • Lívia disse:

      Ego ferido? Plagio é crime!.
      Se ela fez isso com o GNC quem garante que ela conseguiu essa bolsa por mérito próprio? Essa garota tirou o lugar de outra pessoa que poderia escrever seus próprios textos e realmente fazer valer a bolsa que ganhou.
      Como a Gaby disse ser embaixadora e poder morar e estudar em uma cidade como Toronto deveria ser um motivo maravilhoso para se inspirar e escrever.
      Quero ver quando você chegar em sua graduação, pós-graduação, doutorado ou mestrado, se você vai conseguir se formar plagiando o trabalho de outra pessoa.

    • Dorian disse:

      Sarah parece ser o tipo de pessoa que usa plagio e nao entende nada!! Sarah, vc é a representacao de tantas coisas que sao erradas no Brasil! E com esse pensamento vc nunca vai conquistar nada na vida!

  4. Alda disse:

    Boa noite Gaby!
    Vc escreve mega bem! O melhor blog sobre Toronto!!
    Eu sei o que vc sentiu. Eu tb já passei por isso…
    Não para não!!!! Continue nos brindando com suas dicas alto nível, sua escrita, leve, alto astral, com mt conteúdo…
    Eu conheci o GNC há pouco tempo, pesquisando sobre Toronto. Estou amando!!
    Imensa Boa Sorte em Sua Preciosa Vida e, de todos os seus!
    Parabéns pelo Thomas.
    Um abraço.
    Alda

  5. Liandra Nazário Nobrega disse:

    Gaby, não sei porque da sua reação…afinal isso é normal e não lhe prejudicou de forma direta, assim como furar a fila, parar o carro em cima da faixa de pedestres, não devolver o troco lhe dado errado pelo funcionário de uma grande loja…são coisas corriqueira do dia-a-dia, que não prejudica ninguém de forma direta e pessoal. Da mesma forma, quando um político desvia bilhões de uma obra pública, não tem problema…o dinheiro que ele desviou de uma grande empresa que ganhou uma licitação fraudulenta…
    INFELIZMENTE, acho que não é apenas 10% das pessoas que pensam dessa forma. É muito mais fácil recriminar um político quando rouba bilhões, mas as pequenas atitudes que – talvez – não gerem impacto direto e efetivo na vida das pessoas também são um meio de corrupção, assim como o plágio do conteúdo que, por te conhecer, tenho certeza que fizesse com muito carinho.
    Se tivéssemos mais Gaby’s certamente nosso país seria muito melhor, as pessoas precisam começar a entender que o correto e moral deve ser feito, independentemente se tem alguém olhando ou não, se vai causar prejuízo à uma pessoa ou não…o que nos falta é ter RESPEITO E ÉTICA nas nossas vidas, e isso desde os nossos menores atos.
    Não lhe dou parabéns pela atitude porque quero acreditar que esta é a postura que todos nós devemos ter em nosso dia-a-dia, que sirva como exemplo e estímulo para que as pessoas de bem se preocupem com os reflexos e impactos que estamos gerando à nossa volta.
    Beijinhos, amada!

  6. Sim Gaby!!! Continue! Você escreve muito bem e nos dá um gostinho de Toronto!

    Eu sei bem o que você passou, também sou blogueira (mas meu assunto é casamentos) e 3 posts meus sobre DIY foram plagiados num site chamado casamentos.com.br. A menina postou lá, na maior cara de pau o meu texto e as minhas fotos (tomando o cuidado de recortar a marca d’agua) dizendo que foi ela quem fez aqueles itens pro casamento dela.
    Uma amiga do trabalho que achou meu texto lá plagiado, me avisou. Denunciei e ela foi banida do site (porque é um site onde você precisa de login pra publicar).
    Poxa, eu tenho tanto cuidado no meu blog… Quando uso fotografias, coloco link pras fontes. Quando uso trechos do texto, entro em contato pra perguntar se posso e coloco o link para a fonte oficial. Quando publico casamentos reais, são as proprias noivas que me mandam o texto e as fotos… Custa gastar 10 minutinhos a mais pra pedir uma autorização e citar a fonte? Aff…

    Acho um desrespeito sem fim. E esses 10% aí são infelizmente os responsáveis pelo Brasil estar na situação que está… Ah, tudo bem que fulano está sendo caçado ou que beltrano é procurado pela Interpol… vou votar nele mesmo assim, coitado.

    Continue sim escrevendo! São poucos os que levam a sério um hobby, com amor, dedicação e empenho, e você é dessas!
    Por uma blogosfera mais respeitosa! 😀

  7. Bruna Diniz disse:

    Gaby, que coisa chata! 🙁 Se te serve de consolo, te apoio plenamente. Só quem trabalha com criação, seja lá do que for, sabe como é trabalhoso criar algo do zero. Acompanho seu blog há algum tempo, embora eu nunca tenha comentado, e vejo como você dá duro pros conteúdos, com muitas pesquisas e sempre bem detalhados – a propósito, parabéns! 🙂 O que me chateia com o mundo são pessoas como essas dos 10% que acham OK uma pessoa ser beneficiada por um ato ilegal. 🙁 Continue aí, firme e forte! Porque se te plagiaram, convenhamos, é porque seu conteúdo é excelente! Bola pra frente! :*

  8. Silvana disse:

    Gaby, decidi a alguns meses parar de acompanhar o face e tenho focado muito em ler blogs, artigos e temas diversos, mas agora que li seu poste percebi o que aconteceu e gostaria de dizer que você fez o certo! Eu apoio totalmente sua postura, e aliás, esse e tantos outros pequenos detalhes do nosso Brasil lindo, me deram força pra sair e continuar lutando aqui fora. É muito triste que algumas pessoas te questionaram pelo seu posicionamento que foi correto. Infelizmente aconteceu esse ocorrido com essa estudante, mas espero que sirva para muitos outros como exemplo do que não deve ser feito.
    Abraços e continue sempre escrevendo e compartilhando suas ideias conosco!

  9. Gaby, a pessoa que se ferra copiando conteúdo: o Google tira a autoridade de domínio do blog dela. Resumindo: não vale a pena!

  10. Lady Salieri disse:

    Esses 10% que te colocaram como vilã realmente, hein… Shame on you, 10% xD

    Acho que o que aconteceu com a menina nada mais foi que uma relação de causa e consequência. E, na melhor das hipóteses, ela podia ter te escrito antes e pedido se podia se inspirar nas ideias do seu blog, por exemplo, ver que você escreveu sobre o que “não fazer em Toronto” e fazer a lista dela, dizendo que viu algo semelhante no seu blog e quis fazer também. Mas com texto dela, lista dela, opinião dela. Enfim, acho muito difícil você dizer “não, sua loca, sai daqui”. Eu ficaria lisonjeada se alguém me perguntasse se podia escrever um texto semelhante ao que escrevi, sem me deixar de dar os devidos créditos pela ideia. Isso só ia mostrar que ela era uma leitora, além de uma escritora, que estava pesquisando de olho no seu redor.

    Você fez o que tinha que fazer e foi até gente boa. No final, como você disse, as coisas se ajeitaram dentro do que poderia. Achei legal a escola se pronunciar e te pedir desculpas.

    Abraços

  11. Fabiana disse:

    Parabéns pela atitude Gaby! Infelizmente a cultura do “tadinho” aqui é o grande mal… Engraçado que para conseguir uma bolsa acredito que tenha havido uma concorrência. E os “tadinhos” que também estão concorrendo honestamente para conseguir a tal bolsa?! E por que não escreveu para você pedindo ajuda para escrever o texto em vez de copiá-lo? Preguiça, falta de responsabilidade…
    Continue com o seu “trabalho”! Adoro seu blog, parabéns! Estarei em Toronto no próximo mês e acompanho todos os posts para me informar. beijos

  12. Boa tarde

    Gostei muito do seu comentário no seu conteúdo.

    Abraços!

    Lice Nunes da Portal Shame Intelimax

  13. Lismara disse:

    Não me conformo com tanta cara de pau. Não tem capacidade de escrever seu próprio texto? Não escreva, mas também não copie! E ainda embaixadora tentando uma bolsa de estudos através de plágio?? Jura que quer uma bolsa para conseguir o diploma se nem escrever textos sabe? Não me conformo.
    É o que eu sempre falo: o povo brasileiro tem o governo que merece. Não adianta reclamar dos políticos se o povo é o próprio reflexo deles, ambos corruptos nos mais variados sentidos.
    Agora as pessoas estão muito enganadas em usar esse “jeitinho brasileiro” para ter sucesso em outros países. Canadá não é Brasil, não.
    E você não foi vilã não, Gaby. Você não tem culpa do que aconteceu… quem procurou isso foi a própria menina que começou a plagiar seus posts. Uma hora ou outra o plágio ia ser descoberto e iam tomar providências quanto a isso (a não ser no Brasil, que na grande maioria dos casos quem está certo acaba perdendo).
    Se cuide e se proteja, pois infelizmente ainda há pessoas invejosas de monte neste mundo. Independente disso, não desista dos seus posts e do seu blog, e não deixe que invejosos passem por cima. Estaremos sempre aqui te apoiando e, claro, lendo seus posts maravilhosos!
    Um beijo!

  1. 04/08/2017

    […] de 5 dias em Toronto: para ajudar aqueles que querem curtir a cidade de uma maneira diferente 78. Sobre ser plagiada, me tornar a vilã da história: quando copiaram textos meus e eu virei a vilã da história 79. Conhecendo o Aga Khan Museum de […]

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *