20 Curiosidades sobre creches em Toronto

Thomas começou a ir na creche em agosto de 2016 e já está lá há quase 5 meses. E, posso dizer: ele AMA. Dá “bye bye” quando eu estou indo embora e é muito bem tratado e amado. Eu o deixo tranquila e vou trabalhar feliz por ele (pois sei que ele vai brincar, comer e descansar) e por mim (pois consigo trabalhar, algo que eu adoro). Muitas pessoas me perguntam se há diferença entre as creches do Brasil e do Canadá e quais são as principais características das creches daqui. Eu não sei as diferenças pois o Thomas é meu primeiro filho e nunca parei para saber como funcionavam as creches do Brasil. Por isso eu resolvi escrever este post com algumas curiosidades e características das creches daqui. Vou adorar saber como as creches do Brasil funcionam e se há muitas semelhanças ou diferenças (não deixem de comentar no post). Ah, e a foto abaixo foi tirada semana passada na primeira festinha de Natal do Thomas na creche – e a festa foi bem simples: com muitas frutas, verduras cruas, pizza, água e nada de presentes ou enfeites caros (as crianças deram um desenho para os pais e cantaram algumas músicas, dentro da creche mesmo).

dsc_8948

1. O maior problema relacionado às creches é conseguir vaga. Geralmente as mães colocam o nome em diversas listas de espera assim que descobrem que estão grávidas, e nem assim isso dá garantia que vão conseguir um lugar. Eu coloquei o nome do Thomas em agosto/2015 e só consegui vaga para ele em julho/2016.

2. As creches não são públicas e os pais tem que pagar mensalidade. As mensalidades são bem altas e a medida que a criança vai crescendo menos cuidadores são necessitados e os valores vão diminuindo.

3. Aqui em Toronto há creches licenciadas e não licenciadas. As creches não licenciadas não são ilegais ou com problema, apenas não são supervisionadas pela prefeitura e, portanto, não são obrigadas a seguir padrões e normas mais rígidas para funcionar.

img_2996

4. A cidade com a mensalidade mais cara no Canadá é Toronto. Em geral a média de valor daqui é CAD$1325 para toddlers (18 meses a 2.5 anos) e CAD$1033 para preschoolers (3 a 5 anos). Leia mais sobre isso aqui.

5. A classificação etária da criança aqui no Canadá é a seguinte: Infant (de 0 a 18 meses), Toddler (de 18 meses a 2.5 anos), Preschool (de 2.5 anos a 5 anos) e School age (de 6 aos 12 anos).

6. O daycare pode ser oferecido tanto por um centro (chamado childcare centre) ou por alguém que possui uma creche dentro de casa (home childcare). Especificamente a home childcare é uma casa de uma pessoa licenciada (ou não) que cuida de várias crianças (6 no máximo) e está ligada a uma agência. Thomas va em um childcare centre e a foto abaixo foi da primeira festinha de verão na sua creche.

img_3660

7. As crianças somente vão para a escola (pública ou católica) no ano que elas completam 4 anos. Antes disso elas ficam em casa com os pais ou nas creches.

8. Todos os dias quando chegamos para pegar o Thomas preenchemos uma ficha de como ele está. Colocamos informação sobre o horário que ele acordou, se ele dormiu bem a noite, se comeu breakfast (e o que comeu), se está tomando algum remédio e qualquer informação relevante. Durante o dia as cuidadoras também escrevem tudo – o que ele comeu, quantas fraldas trocadas, quanto tempo ele brincou na rua, número de passeios, número de mamadeiras, etc – e a gente vê tudo no final do dia. No final da semana podemos levar este report para casa.

9. Quando Thomas começou na creche eles pediram uma foto dele e tudo que é relacionado à ele possui a tal foto – pastas, cesta com fraldas, cesta com roupas. Além disso a tal fotinho ilustra as paredes com as atividades dele e a data de aniversário.

img_8043

10. Na entrada da sala há alguns crocs e os pais tem que tirar seus sapatos e colocar os tais crocs para entrar na sala dos bebês (teoricamente nem com a meia ou descalço nós podemos entrar, apesar de já ter visto alguns pais entrarem até de sapato). E os bebês também tem os sapatos para usar dentro da sala, que são diferentes dos sapatos que eles saem para passear. Não sei como funciona no Brasil mas eu acho essa regra ótima.

11. O Thomas faz muitas atividades, geralmente 2-3 por semana. Eu já cheguei na sala quando eles estavam fazendo: todas as crianças sentadinhas na mesa observando a professora fazer a atividade e depois tentando fazer (i.e. muitas comendo os materiais e outras chorando que querem sair). Eu já tenho mais de 30 atividades do Thomas guardadas e nem sei mais o que fazer (vou começar a distribuir porque senão não terei mais lugar para guardar). Entre as atividades há muita colagem e pintura. A primeira atividade que ele fez está em destaque na nossa sala (foto abaixo) e toda vez que olho para ela meu coração enche de alegria (é ou não é linda?).

dsc_8838

12. Para famílias que possuem uma renda baixa há a opção de se candidatar a uma vaga subsidiada no daycare (veja mais informações e cadastre-se aqui). Quando eu fiz a inscrição para a creche do Thomas a coordenadora perguntou se eu estava procurando me inscrever em uma vaga subsidiada. Como respondi que não ela me deu certa prioridade e disse que as vagas subsidiadas são poucas ou inexistentes em alguns casos.

13. Quando matriculamos o Thomas na turma infant só tínhamos a opção de full time (dia todo), e mesmo se ele fosse somente alguns dias na escola a gente tem que pagar a mensalidade completa. Sei que algumas creches possuem a opção part time (meio período) e full time, mas a creche do Thomas não dá esta opção. Uma vez matriculado você tem direito a ir todos os dias da semana, durante o horário que eles funcionam (7:30am-6pm). Se seu filho for menos você não pagará menos por isso.

img_2997

14. Existem empresas responsáveis por prover a comida das creches e entre as mais conhecidas estão Real Food for Real Kids e Food for Tots.

15. Por causa do grande número de crianças alérgicas é proibido na creche qualquer alimento que contenha nuts (amendoim, nozes, castanha) e frutos do mar. Além disso na creche do Thomas é proibido grão de bico e gergelim.

16. Thomas começou na creche com 10.5 meses (a foto abaixo é dele indo para seu primeiro dia de aula) e até ele completar 12 meses eu tinha que trazer a comida dele, todos os dias. Quando ele completou 1 ano fizemos alguns dias de adaptação e hoje ele come de tudo e adora. O cardápio do daycare é variado e a gente recebe uma cópia todas as semanas. Se não quisermos que nosso filho coma algo é só avisar no dia, escrevendo no diário dele.

img_2987

17. A cada temporada recebemos uma lista de roupas que devemos deixar no daycare. No inverno, por exemplo, precisei comprar uma roupa completa de neve (calça, casaco), além de botas, luvas, gorros, cachecol e também um creme para pele seca. Isso porque as crianças saem para passear 2x por dia no frio, desde que as temperaturas não estejam abaixo de -15C.

18. A preocupação do Canadense com a temperatura se reflete também no daycare: todas as vezes que o Thomas sai para passear de carrinho ou brincar elas anotam a temperatura do passeio (eles passeiam em carrinhos de 3-4 crianças como os da foto abaixo). Por exemplo, semana passada ele foi brincar na rua e elas anotaram o clima (-7C) e também a velocidade do vento (23km/h). Eu fiquei sem palavras mas acho que com o tempo vou conseguir comparar e entender o porquê de colocarem tantos detalhes.

img_8044

19. Não há dia do professor aqui mas há o appreciation day, que é um dia que você mostra apreciação pelo cuidado que as cuidadoras têm com seu filho. Eu não sabia como era e só dei um “thank you” no dia, mas vi que elas estavam recebendo presentes e fui correndo comprar e levei no dia seguinte. Agora já estou ligada e no próximo appreciation day já estarei preparada.

20. A creche do Thomas fecha as 6pm e a cada minuto que os pais atrasam há uma multa de CAD$1 por minuto. Esta multa deve ser paga diretamente à cuidadora em cash (dinheiro).



  • 22 Responses

    1. Giovana disse:

      Oi Gaby!
      Meu marido e eu queremos estudar 6 semanas de inglês em Toronto ano que vem, porém levaremos nossa bebê de 1 ano e 5 meses. Você sabe se tem lugar que podemos deixá-la por esse período?
      Sp: Adoro seu blog. Parabéns!!!

    2. Liana disse:

      Oi Gaby! Estou chegando em Toronto em julho. Estou bastante preocupada, pois ainda não tenho creche para o meu mebor de 1 a e 8 meses. Tem alguma dica. Se tiver indicação de alguma escola, estou pesquisando bairros, minha mais celha já tem 7 anos. Obrigada!!!

    3. Lívia disse:

      Gaby, fiquei com uma duvida. Meu filho faz aniversário em setembro e pretendo ir pra toronto em janeiro de 2018, ano que ele completa 4 anos. Nesse caso eu encontraria escola publica pra ele? Ou ainda entraria na daycare? Fiquei com essa duvida quando li o item 6, na verdade eu achava que a escola era apenas com 5 anos.. Obrigada! Adorei esse post, foi muito importante pra mim!

    4. Re8 disse:

      Gabi, tive duas filhas. A 1a. foi para a escola-creche particulares em SP com 4,5 meses e a 2a. com 2,5 meses! Ambas saíram com 15 anos quando se esgotaram os ciclos. Ambas tem amigas até hoje daquele tempo: 35 e 33 anos atrás! Nesse assunto me parece que as situações sao similares entre Toronto e SP; desde que se tenha condição financeira. Com certeza o que muda é o trânsito na hora de buscar as crianças…. kkk . Tenho três netos.
      Em maio estarei em Toronto para 1 mês de intercâmbio. Grato pelas dicas. Abraço.

    5. Camila Moura disse:

      Gabriella, você não chegou a utilizar a creche da Universidade de Toronto? Não é boa ou é divicil ter vaga?

    6. Lais disse:

      Gaby, mais do que um post informativo é um post cheio de curiosidades.. mto legal saber sobre as mil anotações que ele fazem e a questão dos sapatos! Gosto do seu blog pela forma que vc escreve. Parabéns mais uma vez! Bjs

    7. Isa disse:

      Quando é o dia do appreciation day?

    8. Estou adorando os comentários bem detalhados de todos! Muito obrigada!

    9. Mariana disse:

      Bem interessante o post. Tenho uma menina de 2,5 anos, que começou a ir à creche aqui (no BR) na metade deste ano. Aqui tem lista de espera para creches públicas, onde pode levar até 1 ano para ser chamado, mas as particulares normalmente não tem lista de espera. Na turma da minha filha este ano eram 14 crianças, com 1 professora e 1 auxiliar. As refeições a escola fornece, o cardápio nos mandam mensalmente. Para minha filha que faz período integral (8 a 17h) tem 5 refeições: café da manhã, lanche (fruta), almoço, lanche da tarde e sopinha antes de ir embora. Cada criança tem sua agenda que vai e volta todos os dias, onde vem os comunicados. Já tem uma tabelinha impressa em cada página para que as professoras só marquem um x em cada refeição correspondente a: comeu bem, comeu pouco ou recusou, e os cocôs feitos no dia. Mas outros detalhes, só conversando com a prof mesmo.
      As atividades são entregues quando acaba o semestre, em uma reunião que é feita com os pais. As roupas são enviadas todo dia na mochila: trocas de roupa para calor e para frio (a menos que seja inverno, que não precisa de roupa de calor). Toda semana mandamos um lençol de berço, cobertorzinho e travesseiro ou alguma naninha se a criança tem uma, para a soneca. Na sexta feira, essas coisas são devolvidas para lavar. Cada criança também leva um kit de higiene com escova de dentes, pasta, pente, coisas assim, que fica na escola.
      No início do ano letivo, temos que levar uma lista de materiais escolares, que inclui papeis para desenho, lapis, canetinhas, massinhas, cola, livrinho, etc. Um ponto que gosto muito na “nossa” creche é a ênfase dada à brincadeira. Muitas outras que fui ver já tem até apostilas de atividades para as crianças a partir de 2 anos, que os pais precisam pagar por fora, coisa que me parece desnecessário. Os horários podem ser meio período (só manhã ou só à tarde), semi-integral (metade da manhã até metade da tarde) ou integral (o dia todo), e os valores mudam de acordo com a quantidade de horas que a criança fica. Ufa! Acho que escrevi tudo.

    10. Camilla disse:

      Última observação, no Brasil existe a creche gratuita em poucos estados e cidades, mas como há grande desigualdade social só os mais carentes usam essa opção. A classe média e alta coloca em
      Privada e a variação de preço é grande. Varia para dia todo de 600 em cidades e áreas onde o custo de vida é menor, até uma média de 1000 para o dia todo e uma maxima de 2/3 mil. Em
      Niterói onde eu morava era difícil achar por menos de 1000 e a média era de 15000. as particulares até fazem lista de espera , mas costumam conseguir atender a maioria. Acho bem caro, mas a média de horas é de 6-8 até 10 por dia. Conheço várias que cobram pelo atraso dos pais também. O que tenho visto de dia todo no Canadá. Ao atende muito mais do que 8-9 pagando atividades extras pra chegar a esse tempo no dia. Vi algumas de 9-16h por exemplo. Não pesquisei muito mas estou atras de uma pra minha pequena e nem sei se vai rolar por agora. Vamos ver!!! Rs

    11. Camilla disse:

      Muito interessante. Trabalhei em escola que atendia a partir do toddler no Brasil. E olha que era escola canadense. Mesmo assim a diferença é grande sim. A refeição é fornecida pela escola desde sempre, exceto se o pai preferir mandar a dele e nesse caso a escola não oferece nada, entendendo que o pai prefere que o filho coma o que ele tem a oferecer. Exceções só se o pai solicitar. Nesse caso lá não era terceirizada, mas a qualidade era
      Ótima e também recebíamos cardápio. Tinha nutri, acho que é lei ter caso sirvam comida própria. No dia a dia É claro que não há tanto detalhamento, a gente marcava se a criança comeu pouco, regular ou demais. E anotávamos os cocôs do dia. Ponto! Se houvesse algo exteaordinário iria por texto. Tem creches que vc pode pagar por horas semanais também, mas nem todas. Acho que esse detalhamento maior só aqui. Penso que possa ser pelo frio excessivo. Eu cheguei em Toronto há uma semana, comprei as roupas de neve e ainda não consegui levar minha filha. A rua direito. Já tentei varias vezes. Sempre congelo e tiro ela de lá. Mãos e rostos sempre ficarão gelados. É complicado. Também não é nada comum passeio de carrinho especialmente fora da escola. E carrinhos especiais pra isso? Claro que não tem!!!

    12. Luan disse:

      Parabéns, Gaby! Bem completo o seu post! Não tenho filhos, mas você colocou tudo tão bem explicado que fiquei curioso para ler até o final. Acredito que vá ajudar muitas mães e pais que estão pensando em morar no Canadá.

    1. 10/05/2017

      […] fim, para quem quiser saber mais sobre a creche do Thomas pode ler este post aqui. Nele eu conto sobre as minhas primeiras impressões e também muito sobre o infant room, que é a […]

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *