Como é estudar no ensino fundamental de uma escola pública em Toronto

2017-01-22

Hoje vamos falar sobre como é estudar em uma escola pública no Canadá, mais especificamente no Ensino Fundamental de uma escola pública em Toronto. O ensino fundamental é chamado aqui de Elementary School e abrange do 1º ao 8º ano (grades 1-8). As informações que vamos escrever abaixo vão desde os passos necessários para matricular uma criança até os recursos que a escola possui quando a criança não fala inglês como sua primeira língua (o termo usado é ESL – English as a second language). Vale ressaltar que cada província possui suas próprias exigências, e nós estamos falando especificamente da província de Ontário (ON).

Viemos para o Canadá para uma estadia inicial de dois anos, pois meu marido está fazendo um curso de pós graduação. Neste caso, toda a família teve direito a solicitar o visto canadense. No Canadá o ano letivo inicia no mês de setembro e vai até o final do mês de junho. Logo, as férias prolongadas, mais conhecidas como férias de verão, acontecem nos meses de julho e agosto. A partir de quatro anos, a criança tem direito à escola pública gratuita.

Assim que nós chegamos no Canadá um dos nossos primeiros objetivos foi buscar pela escola do nosso filho Lucas, de 8 anos. Lucas havia finalizado o 2º ano (Grade 2) do Ensino Fundamental e era preciso fazer sua matrícula para o 3º ano (Grade 3). Foi assim que começou a etapa que consideramos a mais importante de todas, encontrar a escola que nos passasse a confiança necessária.

1º passo: Escolher a melhor escola para o meu filho

Em Toronto as escolas públicas são divididas por áreas. Isso significa que a escola do seu filho estará diretamente ligada ao seu endereço. Esse foi um ponto importantíssimo para a escolha da nossa residência, pois queríamos garantir que a nossa área de moradia fosse atendida por uma escola de qualidade. No site do Toronto District School Board é possível descobrir a escola que atende a sua área de moradia. Você também consegue encontrar o ranking das escolas, com suas avaliações/notas no Fraser Institute. É interessante dizer que este site também está disponível para outras províncias do Canadá.

Existem alguns casos de pais que conseguem matricular seus filhos em uma escola fora da sua área de moradia, contudo é uma porcentagem mínima e é preciso um bom argumento para conseguir fazer parte desta minoria. Fizemos algumas visitas em escolas que selecionamos perto de áreas que desejávamos residir. O acesso à escola é simples, basta apresentar-se e se necessário agendar uma visita. Vale ainda ressaltar que o programa educacional em si é o mesmo em todas as escolas públicas. Logo, o que conseguimos avaliar de início é a estrutura física, a receptividade dos funcionários e as atividades extras oferecidas.

2º passo: Coletar os documentos necessários para matricular meu filho em uma escola pública

Sendo estrangeiro, primeiramente você precisará apresentar o seu visto e o visto do seu filho junto aos passaportes. Além disso, será necessário mostrar o seu Social Insurance Number (SIN), que é a maneira do governo identificá-lo (clique aqui e saiba mais sobre o SIN). O SIN é similar ao CPF (Cadastro de Pessoas Físicas). As escolas também solicitam o histórico escolar do aluno traduzido em inglês e a carteira de vacinação (esta não precisa estar traduzida). Outro importante documento é o comprovante de residência, pois é este documento que afirma que o seu endereço é atendido pela escola específica.

Após a apresentação destes documentos, a escola lhe entregará alguns outros documentos que precisarão ser preenchidos e entregues antes do aluno iniciar as aulas, como a ficha médica do seu filho, na qual você precisará colocar o histórico de saúde, informar qualquer possível alergia, medicação de uso, dentre outros.

3º passo: Entender como funciona a rotina das escolas por aqui

Vale lembrar que neste post estamos falando sobre o Elementary School (Grades 1-8), e cada segmento possui uma necessidade diferente. No caso do Lucas, que está do Grade 3, a rotina funciona da seguinte maneira:

O horário escolar é das 9:00 às 15:30. Eles solicitam que você chegue sempre uns 10 minutos antes de tocar o sinal. Após o sinal, diariamente, é momento do hino do Canadá. É interessante observar que a escola inteira para nesse momento, quem está sentado levanta, quem está andando para, quem está falando silencia. O respeito pela pátria é algo encantador aqui! Os alunos possuem 3 intervalos (chamados de recess), sendo dois de vinte minutos (snack/play) e um de uma hora (lunch time). É notório que as crianças em Toronto possuem liberdade e responsabilidade maiores do que no Brasil. Logo, não esperem que o professor fique observando se o seu filho está se alimentando ou não. Isso é responsabilidade da criança, e aqui entende-se que uma criança de oito anos já consegue administrar suas necessidades de maneira independente. Sendo assim, o aluno divide o seu tempo de intervalo da maneira como bem entende. No primeiro dia de aula, os lanches do Lucas voltaram intocados, ele simplesmente não comeu nada, preferiu brincar! É claro que voltou cheio de fome para casa. Hoje ele compreende que precisa dividir o tempo do intervalo entre a brincadeira e o lanche.

Na lancheira do Lucas sempre colocamos dois lanches e o almoço. Para o lanchinho da manhã (colação) normalmente enviamos uma fruta. O almoço é tradicional, tipicamente brasileiro, não abrimos mão do nosso arroz e feijão de cada dia! E para o lanche da tarde, um sanduíche ou um bolinho, além dos sucos. A escola reflete a diversidade de suas crianças, logo, os costumes alimentares são diferentes e isso é aceito com naturalidade.

Na escola, as criança não possuem acesso a equipamentos para esquentar seus alimentos (como o microondas ou forno). Sendo assim, foi necessário adquirimos a famosa food jar (uma espécie de marmita térmica), que vocês podem observar na foto inicial que ilustra este post, em cor vermelha. A food jar consegue manter o alimento quente durante várias horas.

Na escola do Lucas, todas as sextas-feiras acontece o Pizza Day. Esse é um momento realizado por pais voluntários. Neste dia os alunos podem comprar a fatia de pizza por um dólar. É bonito ver como a escola e aberta à comunidade. Os pais participam ativamente da rotina escolar. Muitos pais se voluntariam e oferecem atividades extracurriculares.

4º passo: Sobre o que é preciso levar para a escola (além do lanche)

No Brasil, todo início de ano letivo nos preparamos financeiramente para adquirimos aquela super lista de materiais que custam quase um rim! Em Toronto, todo o material escolar utilizado dentro da escola é fornecido pelo governo, desde os livros até os lápis. Não precisamos enviar nem sequer um estojinho para escola. De qualquer maneira, é importante ter um kit escolar em casa para algum homework (dever de casa). Aqui não é comum os alunos levarem tarefas para casa diariamente como no Brasil.

Levamos os seguintes itens na mochila do Lucas: lancheira, calça de neve (apenas no período do inverno), garrafinha de água e agenda. Durante o inverno, precisamos também enviar um tênis toda segunda-feira, que retorna para casa na sexta-feira. Isso acontece porque no inverno os alunos chegam na escola com botas de neve, mas ao entrarem, eles as trocam por tênis. Eles calçam suas botas sempre que vão brincar outdoor (ao ar livre) e na hora da saída.

5º passo: Levando seu filho para escola

Sabe aquele ônibus escolar amarelinho de filme? Então, aqui ele é real. O school bus é um benefício para alunos que moram um pouco mais distante da escola. No nosso caso, não tivemos direito ao ônibus pois estamos em uma área considerada walking zone (zona de caminhada). Isso significa que estamos muito próximos da escola e não necessitamos desse meio de transporte para chegarmos nela.

6º passo: Conhecendo os serviços de suporte para alunos estrangeiros

Lucas veio de uma escola bilíngue, a língua inglesa não foi uma novidade para ele. Isso não significa que ele não esteja enfrentando desafios com o inglês. No entanto, existem crianças que chegam no país sem nenhuma compreensão da língua inglesa. Para essas crianças é oferecido aulas de suporte, conhecidas como ESL (English as a Second Language/ Inglês como Segunda Língua). Esse suporte também é gratuito.

Parece ser muito simples, e realmente é! O Canadá é um país que não difere imigrantes de residentes, principalmente quando se trata de crianças e educação. E claro que nem tudo são flores, Lucas ainda sente muita falta de sua escola antiga e seus amigos do Brasil. Precisamos entender que é uma grande mudança e termos paciência durante essa adaptação. Apesar dele estar inserido em uma escola bilíngue, tudo é muito diferente. Outra cultura, outros costumes, outro clima, outras relações. Ainda assim, quando colocado na balança, temos certeza de estar valendo a pena e sabemos que será uma experiência que nos trará grande crescimento.

Esperamos ter ajudado a esclarecer algumas dúvidas e curiosidades sobre este processo. Sou Juliana Braz, mãe do Lucas (esse gatinho lindo da foto). Fiz esse post junto com a minha parceira Camilla Cariello, somos mentoras do projeto Português Lúdico no Canadá. Fiquem a vontade para nos contactar caso busquem maiores esclarecimento. Ficaremos felizes em ajudar!

Por Camilla Cariello (esquerda) e Juliana Braz (direita), mentoras do Projeto Português Lúdico no Canadá

mentoras



28 Comment threads
29 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
33 Comment authors
Daniela Emmerich de Souza Mossini Miskulin

Gostaria de saber com fazer o sin number?

Rafael

Olá Gaby eu gostaria de saber se é possível fazer o High School inteiro no Canadá sendo que os meus pais não morassem no Canadá?

Ana Byun

Que legal! Adorei o artigo. E possivel enviar uma crianca para o High School publico do Canada mesmo que tenha que pagar? OU somente com o visto?

Muito obrigada!

Raquel

Gaby, o Thomas fica em um daycare? Qual o valor? Já li que tem alguma forma de pedir um tipo de daycare que o governo para uma parte, você saberia me explicar como funciona?

Alberto Bomfim

Boa tarde Camila e Juliana. Gostei muito da matéria de vocês. Sou aposentado, tenho um filho de 17 anos terminando e colegial e uma filha de 11 anos no sexto ano do ensino fundamental. Estou analisando uma possível mudança para o Canadá por pelo menos três anos. Você pode me dar algumas dicas a mais para essas duas situações.