O que eu faria diferente se criasse meus filhos no Brasil?

Hoje é dia de projeto Mães no Canadá aqui no blog e o tema é esse ai do título: “o que eu faria diferente se criasse os meninos no Brasil”. O tema é polêmico e, além disso, muito difícil de ser respondido, afinal não tem como eu saber como eu seria e o que eu faria diferente sem nunca ter sido mãe no Brasil. Mas mesmo assim acho legal refletir um pouco sobre este tema e falar um pouco sobre o que eu acho que influencia o meu maternar. Acho que este exercício de pensar sobre “o que faríamos diferente” e “o que nos faz nos comportar de uma determinada maneira” é super válido e convido todas que lerem este texto a fazerem esta reflexão.

Primeiro eu gostaria de falar sobre tudo que influencia ser mãe, ou pelo menos tentar porque este é um tema bem complexo que eu não estudo e não domino. Existem tantos textos – incluindo muitas pesquisas científicas – que mostram os fatores que influenciam o comportamento dos pais e a maneira que eles criam seus filhos. Fatores como nível sócio-econômico, idade, religião, cultura/origem, saúde psicológica são citados na literatura. Outros fatores – que estão associados ao que este texto trata – são o meio onde as mães vivem e também como se sentem (atitudes e percepções). Estar rodeada de mães Canadenses (ou, no caso de Toronto, de várias culturas) influencia sim como eu sou e eu sei que se estivesse no Brasil estaria me adaptando a como as mães Brasileiras são (já falamos um pouco sobre hábitos de mães Canadenses neste post aqui do projeto. Ainda, eu sou muito feliz e realizada aqui no Canadá e não sei se me sentiria assim no Brasil; portanto, imagino que esse sentimento me faça ser uma pessoa melhor no geral, o que influencia sim como eu lido com meus filhos e como eles são (quem conhece os dois sabe que eles vivem sorrindo!).

Um outro ponto que preciso falar é na maneira que meu trabalho era no Brasil e a maneira que ele é aqui no Canadá. E antes de explicar preciso dizer que esta é a MINHA experiência, portanto pode não se aplicar a todos que trabalham no Brasil. Quando eu trabalhava no Brasil eu trabalhada MUITO e tinha horários absurdos: começava a atender pacientes 7am e acabava 10pm. Hoje eu faço minhas 8h e chego do trabalho 5pm para pegar os meninos e jantar logo em seguido (isso em meses normais, pré-pandemia). Eu sinto que sou muito mais produtiva mas trabalho menos, ou meus horários de trabalho são mais produtivos. É difícil explicar isso mas é fácil dizer uma coisa: eu dedico um bom tempo do meu dia aos meninos e não sei se conseguiria fazer isso no ritmo de trabalho e na cultura de trabalho que tinha no Brasil. E no geral vejo que há essa cultura aqui no Canadá de cuidar e prezar muito pela família, como que “a família está sempre em primeiro lugar”, independente de prazos e metas de trabalho. Isso é algo que faz meus ombros ficarem mais leves e não sei se seria assim no Brasil. Novamente, essa é a minha experiência e talvez isso fosse algo que influenciasse o meu maternar.

Algo que inevitavelmente eu não posso deixar de falar é a criação dos filhos perto da família. Eu sei que isso seria muito bom para os meninos e eles teriam essa memória e esses momentos para sempre, assim como eu tenho da minha infância com minha família e meus primos. Dói pensar que eles não terão isso, mas eu tento me apegar às outras (muitas) coisas positivas que eles tem sendo criados aqui. E esse contato iria certamente influenciar como eu seria como mãe. Acho que eu sou uma mãe mais alerta e com mais conhecimento sobre tudo que os meninos precisam porque somos só nós 4, 100% do tempo. Eu não sei como seria se eu tivesse a opção de deixar eles com os avós quando estivessem doentes ou eu pudesse viajar com o Ju nos finais de semana sem os meninos. Sei que isso são práticas comuns de mães no Brasil e não é algo que fazemos aqui e isso iria sim moldar e o tipo de mãe que eu sou… mas não sei como.

Fato é que eu crio meus filhos baseado nos meus valores e eles não mudaram desde que me mudei para o Canadá. Na verdade, eu vejo que eles se diversificaram – ou se moldaram: continuam os mesmos, mas agora fazem mais sentido e são mais objetivos. Estar em um outro país e em uma cidade tão multicultural como Toronto, trabalhando e vivendo fora da minha zona de conforto me fez enxergar a vida com outras lentes (leia mais aqui). Esses lentes que eu tento passar para os meninos. Eu acredito que estaria criando os meninos com os mesmos valores que me foram ensinados se estivéssemos no Brasil, mas o fato de estar feliz e vivendo tão intensamente nesses 10 anos no Canadá me fazem uma pessoa melhor e, com isso, eu acabo inevitavelmente passando essa felicidade para eles, assim como os novos valores e objetivos que aprendi. E todo mundo sai ganhando!

Espero que tenham gostado do tema e não deixem de visitar as redes sociais das outras mães brasileiras que moram no Canadá para saber o que elas tem a dizer sobre o assunto.

Alessandra (Bathurst, NB) | Canadiando
Amanda (Richmond, BC) | Viva Canada
Beatriz (Vancouver, BC) | Biba Cria
Carol (Mississauga, ON) | Minha Neve e Cia
Danielle (Toronto, ON) | Vidal no Norte
Livi (Toronto, ON) | Baianos no Pólo Norte
Mariana (Calgary, AB) | De Bem Com a Vida
Musa (Toronto, ON) | Mamãe Musa
Nayara (East Gwillimbury, ON) | My Family no Canada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *