Roteiro de 5 dias em Toronto: seja 5 tipos de turista em uma única vez

Se você for colocar no papel os pontos turísticos famosos de Toronto – aqueles que estão nos guias de viagens – a cidade possui relativamente poucos lugares turísticos para conhecer. Mas Toronto é tão viva e tão multicultural que não dá para vir para a cidade apenas como um turista: as pessoas tem que ser um pouco de tudo para se apaixonar pela cidade. Pensando nisso eu elaborei um roteiro de 5 dias por Toronto aonde cada dia você pode ser um tipo de turista diferente, e não somente um turista comum que vai na CN Tower e no Aquário e já diz que conheceu a cidade.

Dia 1: O turista que é turista

Neste primeiro dia você vai conhecer as atrações turísticas mais famosas da cidade e vai se sentir como um turista mesmo: filas, muitas fotos e guia de viagem no bolso.

DSC_0694

Eu sugiro que você comece o dia bem cedo nas Ilhas de Toronto (compre os ingressos antecipadamente aqui) e passeie por lá a manhã toda. Os ferries começam a operar as 6:35am saindo da cidade e partem a cada 35min-1h (clique aqui e veja o schedule certinho para se programar). Na ilha você pode alugar uma bicicleta ou quadricículo para percorre-la ou mesmo passear por lá a pé. Clique aqui e veja o que fazer por lá.

DSC_9708

Volte para a cidade por volta do meio-dia e suba até a CN Tower para almoçar no restaurante 360. O almoço no ponto mais alto de Toronto vale muito a pena e eu recomendo. Indo ao restaurante você ganha a subida até a torre e pode curtir a vista incrível da cidade e o glass floor, batendo a clássica foto deitada no chão de vidro.

DSC_9461

Depois vá até o Ripley’s Aquarium of Canada, que fica aos pés da CN Tower. Você vai gastar em torno de 2h no local passeando entre os peixes e tubarões e relaxando como se estivesse dentro do fundo do mar.

canada2-172

Por fim, já será noite e você irá até a Dundas Square para ver a mini Times Square de Toronto iluminada. É lá que fica o Eaton Centre, o shopping mais famoso de Toronto. Se você tiver pernas pode passear por lá, mas eu sugiro que você procure apenas um restaurante gostoso para comer pois seu dia foi longo. Por ali você encontra várias opções, desde comida japonesa (all you can eat sushi no Spring Rolls), até clássicos como Hard Rock Cafe e o Jack Astor (um restaurante estilo Outback de carnes e comidas americanas com um patio incrível), pubs (como o The 3 Brewers) e padarias, como a Panera Bread.

DSC_7107

Bonus: Faça o caminho do local para pegar o ferry para as ilhas > CN Tower pela lakeshore e passe pelo H2T Park e bata fotos na praia de sombrinhas amarelas. No caminho Aquário – Dundas Square você passa na Nathan Phillips Square, a praça aonde ficam as prefeituras nova e velha de Toronto. Bata a clássica foto na frente de cada uma delas e siga para seu destino (Dundas Square).

Dia 2: O turista que quer conhecer a cidade como um local

Para o turista que quer fugir dos pontos turísticos mais famosos e “desbravar” Toronto como um local eu indico o seguinte roteiro: pela manhã Campus St George da Universidade de Toronto, almoço e passeio no início da tarde pela Queen Street West e final da tarde caminhada pelo High Park.

DSC_6778 copy

O Campus do centro da Universidade de Toronto é lindo, cheio de história e belos edifícios que certamente irão render lindas fotos. Clique aqui e veja um roteiro para conhecer este local a pé.

IMG_7150

Depois dali vá para a Queen Street West – para chegar lá você pode pegar o metro na estação Museum (a estação de metro mais legal e bonita da cidade) no sentido Downsview, saltar na Spadina station e pegar um streetcar até o ponto Queen Street West (durante o trajeto você irá passar por Chinatown). Ao saltar na intersecção das ruas Spadina e Queen West caminhe no sentido Oeste e curta uma das regiões mais cool da cidade. Por ali você vai encontrar a Grafitti Alley: não tenha medo e bata muitas fotos. Ache algum lugar para almoçar (sugestões: Le Gourmand, The Burger’s Priest, Fancy Franks, P&L Burger).

FullSizeRender-(2)

Pegue novamente um streetcar (número 501) para o sentido oeste e vá até o limite sul do High Park, aonde fica o Grenadier Pond. Passeie pelo parque, que é lindo (clique aqui e veja um pouco mais sobre o High Park). A dica é que você vá “subindo o parque” até a Bloor Street West, aonde fica o metro.

IMG_7516

Pegue o metro sentido Eastbound, salte na estação Bay e procure algum lugar legal para jantar. Se for você pode até pegar um lanche, sentar na pedra de 1 bilhão de anos de Yorkville e comer contemplando o agito da região. Se você quiser algo mais deslumbrante, indico que você jante no antigo Panorama Lounge (hoje chamado de The One Eighty), um restaurante que fica no andar 51th de um prédio e tem uma vista linda do skyline da cidade.

Dia 3: O turista gastronômico

O turista gastronômico geralmente é um turista exigente, então eu fiquei um pouco na dúvida se colocaria este nome neste dia. Mas, acho que o label cai bem, pois eu sugiro que este turista visite neste dia dois lugares que são super famosos em Toronto pela sua comida: o St Lawrence Market e o The Distillery District.

st lawrence market

O St Lawrence Market é o mercado público daqui. Sempre que eu visito alguma cidade eu gosto de conhecer o seu mercado público pois dizem que é através de uma visita ao mercado que conhecemos a cultura e a diversidade daquela cidade. Então nada melhor do que começar o dia por lá. Se você for pela manhã é legal tomar um café da manhã por lá – indico o famoso Bacon Peameal on a Bun da Carousel Bakery, um sanduíche com bacon canadense grelhado que é super famoso. Se você resolver acordar mais tarde e seu dia está começando perto do almoço indico comer algo do mar no Buster’s Sea Cove (um dos pratos mais famosos de lá é o Boston Blue Fish & Chips plate, que vem peixe e batata fritos). Vale dar uma caminhadinha pela região pois perto dali fica a Union Station, o Gooderham Building (o Flatiron Building de Toronto) e o Hockey Hall of Fame (museu do Hockey).

DSC_0103

A caminhada do St Lawrence Market até o Distillery District é uma reta no sentido leste de 15 minutos. Se você não estiver disposto a caminhar você deverá pegar um taxi, que deve custar bem barato pois a distância entre os locais é bem pequena. O Distillery District é um dos meus lugares favoritos de Toronto: era uma destilaria em 1823 e depois de 153 anos produzindo bebidas alcoólicas – entre as quais uísque e rum -, o empreendimento deixou de funcionar. Há pouco tempo atrás um grupo de empreendedores pegou estes 47 edifícios e os transformou em um conjunto de lojas, galerias, estúdios, restaurantes e cafés. Caminhe pelo local com calma, bata muitas fotos e jante por lá. Entre os locais eu tenho posts aqui no blog dos que já visitei estão El Catrin, Archeo, Balzac’s Coffee e Cacao 70.

photo

Bonus: se você fizer a caminhada do St Lawrence até o Distillery por uma rua chamada The Esplanade você passeará por um parque e encontrará a quadra de basketball mais fotogênica de Toronto, além de bater belas fotos do caminho com a CN Tower ao fundo.

Dia 4: O turista que ama arte

Quando viajamos há sempre um dia para museus e arte, não é mesmo? Mesmo aqueles que não gostam muito tem que visitar e conhecer um pouco da cultura local, na minha opinião. Neste dia meu roteiro inclui o AGO (Art Gallery of Ontario), um almoço no Kensington Market (mercado alternativo da cidade que não deixa de ser algo artístico) e a tarde toda dedicada ao ROM (Royal Ontario Museum).

AGO_GNC5

O AGO é o museu de arte da província de Ontario e é uma atração para amantes de arte, de arquitetura (o prédio é incrível) e de fotografia. Passe a manhã explorando o museu e quando a fome bater siga pela Dundas Square em direção à Spadina Avenue até o Kensington Market.

DSC_3333

O Kensington Market não é um mercado – como o nome diz – mas um bairro em Toronto, ou melhor, um dos bairros mais diferentes de Toronto. Esta região que fica pertinho de Chinatown e da Spadina Avenue mantém seu charme e diversidade através de sua mistura eclética de lojas de roupa vintage, lojas com produtos latinos, produtos frescos (queijos, peixes, carnes, frutos do mar, temperos), cafés e restaurantes. O local é realmente diferente – e artístico – e vale incluir no seu roteiro se você está visitando Toronto.

DSC_6768

Depois que você estiver satisfeito vá até o Royal Ontario Museum (streetcar 510 Norte até a Spadina Station e metro até St George), o maior museu do Canadá e que atrai mais de um milhão de visitantes por ano. O ROM abrange história natural e cultura canadense, foi fundado em 1914 e expandido em 2007. Esta expansão causou polêmica, pois cinco pontas de metal foram inseridas no edifício antigo e muita gente não gostou. Eu acho que esta mistura de moderno e clássico ficou demais e é um dos charmes do museu. Clique aqui e veja mais informações sobre o ROM.

Bonus: se você tiver tempo pertinho do ROM fica o Bata Shoe Museum – o museu do sapato.

Dia 5: O turista que gosta de fazer compras

Toronto é uma ótima opção para os turistas que gostam de fazer compras. A cidade possui vários shoppings e eu fiz uma lista dos que mais gosto aqui. Mas confesso para vocês que os melhores preços estão mesmo nos outlets mais afastados do centro. Entre eles indico o Vaughan Mills, o Toronto Premium, ou o Outlet Collection of Niagara.

FullSizeRender-(3)

Minha dica aqui é que você alugue um carro para visitar um dos outlets mais afastados e passe este dia em um deles. Eles fecham tarde e tenho certeza que com o preço do dólar canadense (mais barato do que o americano) você vai fazer ótimas compras.

Não deixem de comentar se gostaram do roteiro e o que mais incluiriam nele.



30 Comment threads
19 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
30 Comment authors
Karen

Olá Gabby, vamos em março/19 e estou lendo suas dicas.
Esse período ainda é bem frio para precisar de roupas específicas e sapatos impermeáveis?
Para as compras existem cupons de lojas? Obrigada!

Renato

Olá Gabi tudo bem?

Estou indo semana que vem para Toronto e fiquei em duvida em relacao aos outlets
Eu nao dirijo, a unica forma de chegar neles é de carro?

Thaís

Oi Gaby! Estou adorando as dicas! Vou para toronto em outubro com minha família, isso inclui um bebê de 1 ano e meio, estou buscanco todas as dicas para ele aproveitar bastante. Fiquei com duas dúvidas, o restaurante 360, é possível ir com criança, tentei reservar e não tem opção para incluir criança. É válido comprar o ticket das 4 atrações da cidade?
Obrigada pela atenção!

vivian

gabi, amei seu post, suas dicas, a forma como escreve…
Vou para toronto com meu marido agora dia 20 de abril, vamos ficar no super 8 downtown .
Ele é bom? a região? tem estação de metro perto?
obrigada querida
beijinhos carinhosos vivian

Luis

Obrigado pelo guia, Gaby! Vou visitar o Canadá em março/abril e já montei meu roteiro com base nas suas dicas. Só espero não pegar muita chuva…