10 atrações em Vancouver

Voltei! Na verdade nem estive tanto tempo assim sem escrever no blog (nem 2 semanas), mas para quem me acompanha e sabe da frequência de posts semanais – geralmente 3 – deu para perceber que estive ausente. E um dos motivos da minha ausência foi uma viagem à Vancouver para participar de um Congresso, dar um workshop e participar de algumas reuniões. Foi corrido e como a viagem foi de certa forma a “trabalho” eu não consegui me organizar e escrever por aqui.

IMG_8499

DSC_4950

Hoje resolvi escrever um post com as minhas atrações favoritas em Vancouver, sendo que algumas delas visitei pela primeira vez nesta viagem e outras conheci nas minhas outras passagens pela cidade (vocês irão notar que algumas fotos são antigas e algumas com o maridão, que desta vez não pode me acompanhar). Enfim, espero que curtam a lista e não esqueçam de comentar se vocês acrescentariam alguma outra atração.

1. Stanley Park

O Stanley Park foi eleito pelo Trip Advisor o melhor parque do mundo. E o parque faz jus ao título: são 1001 acres de mata no centro de Vancouver, quase que totalmente cercados por água. O parque possui uma história rica (assim como sua natureza) e foi uma das principais regiões de Vancouver a ser explorada, inicialmente por povos aborígenas e a partir de 1886 como o primeiro parque da cidade. O nome do parque foi dado em homenagem a Lord Stanley, um político britânico que foi governador do Canadá.

DSC_4832

DSC_4854

DSC_4948

DSC_7417

DSC_7426

DSC_7480

Ao contrário de outros grandes parques urbanos, Stanley Park não é a criação arquitetônica, mas sim a evolução da junção de uma floresta e do espaço urbano ao longo de muitos anos. O lugar impressiona e é a principal atração de Vancouver. Se você não tiver tempo para mais nada na cidade, visite apenas o Stanley Park. Há várias maneiras de conhecer o parque, mas a mais comum delas é de bicicleta. Você notará que nas ruas ao redor do parque há vários locais que alugam as magrelas (o que alugamos foi o Spokes Bike Rentals), e na nossa primeira visita à Vancouver eu e o Ju alugamos uma bicicleta dupla e curtimos o parque durante um dia inteiro. Vale lembrar que dá pra conhecer o parque também de trenzinho (o chamado Vancouver Strolley Company). Neste caso, com o ticket (que custa em torno de C$40) você pode subir e descer quantas vezes quiser.

Vale destacar que dentro do parque fica o Vancouver Aquarium, parte do Seawall (um caminho cinematográfico que passa pela costa de Vancouver), o Prospect Point (uma parte mais alta do parque que possui um café com uma vista incrível), totens gigantes (a parte mais famosa do parque), e várias trilas e caminhos lindos.

DSC_0231

DSC_4839

DSC_4896

IMG_2478

photo

2. Kitsilano “Kits” Beach

Foi em Kitsilano que eu e meu marido presenciamos o pôr do sol mais lindo que já vimos até hoje (no verão de 2009, na nossa primeira visita à Vancouver). A região da praia é super descolada e diferente, com bares, várias quadras de esportes (muitas mesmo – e nem preciso dizer que meu marido ficou horas e horas jogando basket com os locais), um calçadão super legal e a mais longa piscina do Canadá, com 137 metros de comprimento (quase 3 vezes mais longa que uma piscina olímpica) e a única piscina de água salgada aquecida de Vancouver.

DSC_0070

DSC_0145

DSC_0237

DSC_0255

3. Grouse mountain

Grouse Mountain é uma montanha de 1231 metros que fica próxima ao centro de Vancouver e aberta o ano todo: no inverno é uma estação de ski com mais de 20 pistas, e no verão um lugar para fazer trilhas, além de ser o refúgio de dois ursos grizzlies. Você pode chegar ao topo da montanha através de uma gôndola chamada Skyride (cerca de C$40) ou através de uma trilha chamada de Grouse Grind hiking trail. Esta trilha é do tipo difícil, tem 2.9 km de extensão e uma subida de mais de 800 metros de altura. Veja mais informações aqui. Muitas pessoas pegam a trilha para subir na montanha e depois descem de gôndola pagando apenas C$10.

DSCN5254

No dia que subimos havia pouca visibilidade e ai ganhamos um ticket para o próximo dia, quando finalmente conseguimos ver um pouco da região, mas mesmo assim pouca visão da cidade do topo. Acho o passeio válido, mas não é uma das minhas atrações preferidas da cidade. Acredito que se você visitar Vancouver no inverno vale muito mais a pena pagar os C$40 para curtir o dia na estação de ski (que parece ser pequena, mas por ficar pertinho do centro deve ser demais para aqueles que adoram os esportes de neve como nós e moram na cidade).

DSC_4644

DSC_4663

DSC_4755

DSC_4798

4. Capilano Suspension Bridge

A ponte suspensa Capilano cruza o rio Capilano no distrito de North Vancouver e possui 140 metros de comprimento e fica a 70 metros de altura. Para visitar a ponte você deve pagar C$35.95 e o lugar é super lotado (800.000 visitantes por ano) e bem turístico. Apesar disso, vale muito a visita! Além da ponta – que mexe muito, meu Deus! – você pode visitar um museu que conta a história da ponte, ver alguns totens e caminhar por um bosque com trilhas suspensas que levam você de uma árvore a outra através de suas copas, alguns dos caminhos podem chegar a 30 metros de altura (ThreeTops Adventure). Para maiores informações clique aqui.

DSC_0017

DSC_0020

DSC_0021

DSC_0035

Vale falar que li em muitos blogs de viagem que pertinho dali há uma opção “grátis” de ponte suspensa: a ponte suspensa do Lynn Canyon Valley. Pelas fotos a ponte parece muito com a do Capilano e o lugar parece ser lindo; portanto, uma ótima opção para quem quer se sentir como o Indiana Jones sem pagar quase C$40 por isso.

5. Gastown

Este bairro de Vancouver foi fundado em 1867, no mesmo ano em que o Canadá se tornou uma Confederação. O navegador John “Gassy” Deighton, construiu o primeiro pub no local e logo nasceu o povoado de Gastown, uma mistura de edificações vitorianas, lojas, pubs e muita história. É em Gastown que você encontra várias lojinhas de presentes, cafeterias, cervejarias (destaque para a Steamworks) e o famoso relógio a vapor na esquina da Cambie e Water Street (que não estava lá quando fomos semana passada pois está passando por reforma). Vale falar que o relógio apita a cada 15 minutos e é uma atração bem popular da cidade. Um passeio por Gastown é parte de qualquer roteiro turístico em Vancouver.

DSC_7561

DSC_7562

DSC_7564

DSC_7568

DSC_7573

Além da Cervejaria Steamworks, uma dica de café e bistrô é o Catch 122. Tomei um brunch enquanto fazia uma reunião e o lugar tem um clima ótimo, tanto para trabalhar, quanto para tomar um café ou almoçar.

DSC_7609

DSC_7617

photo

6. Granville Island + Public Market

Já falei pra vocês aqui no blog como eu adoro mercados-públicos e como eu sempre visito os mercados das cidades por onde passo. No caso de Vancouver esta visita é obrigatória pois o mercado fica simplesmente em uma península – chamada de Granville Island – e é lindo demais. Ali você encontra vários produtos locais, restaurantes, souveniers… mas prepare-se pois tudo é bem caro. Sempre que vamos lá compramos chocolates e comemos crepe doce… fica a dica! Clique aqui

DSC_7665

DSC_4684

DSC_4685

DSC_4688

DSC_4712

DSC_4723

DSCN5184

DSC_4571

Além do mercado público a pequena ilha possui uma fábrica de cerveja, no qual a bebida é produzida de forma artesanal e feita em diversos sabores. Dá para fazer um tour na fábrica e experimentar as cervejas, entre elas uma feita de maple, a árvore símbolo do Canadá.

7. Chinatown

Vancouver é dominada pela cultura asiática (chineses, japoneses, coreanos) e assim que você colocar os pés na cidade irá notar isso. Eu nunca tinha ido à Chinatown de Vancouver e neste último visita à cidade passei por lá. Por lá você encontra um portal, um jardim japonês (o Dr Sun Yat-Sen – que tem a parte gratuita e paga e passeamos pela parte gratuita e foi ótimo – pegamos essa dica no blog da Mikix, senão iríamos acabar pagando), várias lojinhas de lembrancinhas (incluindo umas lojas estilho 1.99 só de coisas japonesas), restaurantes e muitos (muitos) asiáticos. Vale a visita se você nunca foi a nenhuma Chinatown, em nenhuma cidade do mundo. Se já foi e tiver com seu tempo reduzido na cidade, pule.

DSC_7653

DSC_7624

DSC_7626

DSC_7650

IMG_8417

IMG_8420

8. Robson Street

Robson Street é uma rua super famosa e movimentada de Vancouver. Vale a pena caminhar por lá e olhar as lojas, restaurantes e a cultura da cidade. Você encontra na Robson lojas famosas e outras nem tanto, além de muita coisa diferente como lojas de cupcakes, lojas de produtos japoneses, cafés e restaurantes. Destaque para o Nero Belgium Waffle Bar, um lugar que vende waffles de diversos sabores e tipos (vale uma passada, pois este é considerado o melhor waffle da cidade).

DSC_7576

DSC_7579

IMG_8477

IMG_8484

IMG_8489

IMG_8457

DSC_7689

DSC_7694

9.Canada Place

O Canada Place é um dos cartões postais de Vancouver: construído em 1986 para o World’s Fair Expo é de bom gosto, ainda moderno (mesmo depois de quase 20 anos de construção) e em um lugar lindo da cidade. Ali ficam restaurantes, lojinhas, academias, cafés… destaque para o Fly Over Canada, um simulador de vôo que te leva a voar por todo o Canadá. Ali pertinho fica o Vancouver Convention Centre (aonde foi a minha conferência) que é todo de vidro e proporciona vistas incríveis do local.

DSC_7556

DSC_7517

DSC_7521

DSC_7530

DSC_7532

DSC_7540

DSC_7541

DSC_7542

DSC_7547

Eu sugiro a caminhada do Canada Place até o Stanley Park pela Coal Harbour: é lindo e cheio de lugares para bater várias fotos e apreciar o local. Se estiver com fome no meio do caminho pare no The Mill Marine Bistro e peça uma porção de nachos.

IMG_8355

IMG_8357

Não deixe de provar um Japadog, uma rede de cachorro quente que possui 5 barracas espalhadas por Vancouver, incluindo no Canada Place. A barraca foi fundada em 2005 e atrai consumidores do mundo todo que querem provar o cachorro-quente repleto de recheios diferentes (como algas, molho teriyaki, repolho frito e maionese japonesa). O cachorro-quente é bem gostoso (vale experimentar) e os preços variam de C$5.25 à C47.25 + tax.

DSC_7557

10. Yaletown

Yaletown é um bairro do centro de Vancouver delimitada por False Creek, Robson e Homer Streets. Antigamente era uma área industrial dominada por armazéns e pátios ferroviários e por causa da Expo 86 foi transformado em um bairro residencial. Possui marinas, parques e os edifícios residenciais mais altos de Vancouver. O bairro é otimo para passear e uma ótima opção para morar. Pauline, uma amiga que está morando por 1 ano em Vancouver, mora neste bairro e adora! É em Yaletown que fica o BC Place, o estádio de hockey de Vancouver.

IMG_8437

IMG_8429

DSC_7659

Dica Extra: Vancouver Public Library

A terceira maior biblioteca do Canadá fica em Vancouver em um prédio lindo e super fotogênico, localizado na esquina da Robson com Homer Streets (endereço: 350 West Georgia Street). Vale uma visita para conhecer o local e bater algumas fotos da Library Square.

DSC_7582

DSC_7584

DSC_7586

DSC_7592

DSC_7599

Espero que tenham gostado das dicas e se tiverem alguma dica para acrescentar não deixem de comentar neste post. Ah, gostaria de finalizar agradecendo a Raquel e a Ariany pela companhia nesta viagem super especial.

IMG_8320



27 Comment threads
14 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
25 Comment authors

Legal, adorei suas dicas! Anotei algumas e vou conferi!

Legal, adorei suas dicas! Anotei algumas e vou conferi!

Cinthia

Adorei seu blog. muito completo! difícil achar coisas sobre Canada tão bem explicado e com imagens.
parabéns

chow sheung

Oi Gaby,

Gosto muito do seu blog. Queria te perguntar, caso tenha uns 10 dias para ficar em vancouver, quais cidades proximas a vancouver voce recomendaria visitar?, se for de carro

Hudson

Gente, que fotos lindas! Foram tiradas com que câmera?