Os prós e contras do Trillium Park, o novo parque de Toronto

FullSizeRender-(88)

No final de semana eu fui finalmente conhecer o novo parque de Toronto, o Trillium Park. O parque abriu no dia 19 de junho e foi destaque durante toda a semana passada na maioria dos sites de notícias (como Toronto Sun e The Star) e blogs (como BlogTO, Urban Toronto e Baianos no Pólo Norte). Como eu trabalho durante toda a semana em período integral eu só consegui visitar o local no sábado e hoje estou mostrando para vocês o que vi e o que achei do local.

FullSizeRender-(64)

FullSizeRender-(69)

Prós: o que eu adorei no parque

Já vou adiantar que há muito mais prós do que contra. Em primeiro lugar eu amei a localização. O parque fica localizado em uma área de 7.5 acres que era um estacionamento na beira do lago Ontario, dentro da área onde fica o aposentado Ontario Place. A localização do parque é fantástica e eu tenho certeza que o local estará entre as principais atrações da cidade. E o motivo me leva a outro pró: a vista do skyline de Toronto. Gente, a vista da CN Tower e do centro de Toronto é fantástica e você fica babando a cada curva. Eu ainda estou um pouco anestesiada com tudo que vi e tenho certeza de quem for visitar o local também ficará.

FullSizeRender-(65)

FullSizeRender-(82)

FullSizeRender-(81)

Um outro ponto positivo que eu achei do local é que eles fizeram um parque inspirado nas raízes Canadenses. No parque você encontra símbolos que remetem os índios da região (chamados de Mississaugas). Entre estes símbolos estão as marker trees e os sapatos mocassins esculpidos em uma das paredes do local. As marker trees eram moldadas em uma forma específica e usadas por povos indígenas para navegação ou para marcar locais significativos para seu povo (há 3 árvores deste tipo na trilha do parque). Muito legal unir natureza com cultura.

FullSizeRender-(74)

FullSizeRender-(85)

FullSizeRender-(86)

A estrutura e design também são demais: para criar os morros que existem no parque foram trazidas nada mais nada menos que 1700 toneladas de pedra de granito Muskoka direto de Huntsville (cidade que fica a 1h de Toronto). A maior pedra pesa 52 toneladas. Vale ainda falar que 1200 árvores foram plantadas no local e incluem espécies como red oak, red pine e sugar maple marker trees (as árvores típicas do Canadá). E por fim o gazebo construído é lindo demais! Super fotogênico e inspirador.

FullSizeRender-(75)

FullSizeRender-(76)

FullSizeRender-(70)

FullSizeRender-(79)

O projeto também envolve sustentabilidade, o que é um super plus do lindo parque. Ao longo do processo de construção do Trillium Park, a sustentabilidade e o impacto ambiental foram levados a sério, com 90% dos materiais utilizados para aterrar o local foram desviados de aterros O projeto também incluiu a reparação de cerca de 600 metros da costa para evitar a erosão.

FullSizeRender-(77)

FullSizeRender-(78)

Contras: o que eu acho que poderia ser melhorado

Eu vi muita gente falando do lado bom do parque mas eu resolvi falar de algumas coisas que acho que poderiam ser melhoradas. Em primeiro lugar há apenas um banheiro no local, bem pequeno. Estava com uma fila enorme e utilizado por pessoas que estavam frequentando um show de rock que acontecia no Budweiser Stage (antigo Canadian Molson Amphitheater); ou seja, as pessoas que estavam frequentando o parque e precisavam ir no banheiro não estavam conseguindo. Em segundo lugar a trilha de pedestres e bikes é a mesma, e muitas bikes vinham sem rumo na nossa direção, o que me deixou um pouco apreensiva (uma vez que Thomas anda com uma certa “falta de noção” ainda). Por fim, o preço estacionamento do local nos dias de evento é um absurdo (nada mais nada menos que CAD$25) e não há a opção de ficar menos tempo (flat rate). E tem evento praticamente todo final de semana do verão. O estacionamento do Trillium Park é compartilhado com o local de shows e embora dê para ir de TTC ou a pé quem quer curtir o local com criança (como eu) e tem que ir de carro tem que respirar fundo e pagar sem questionar. E vale falar que o estacionamento pode ser bem competitivo nos finais da tarde. O preço normal (i.e. sem evento) é CAD$3.25 por meia hora.

Mais informações e dicas

– Dentro do parque passa a trilha William G Trail, uma trilha de 1.3km que conecta o parque a Trans Canada Trail, grande trilha que percorre o Canadá de leste a oeste e que eu mostrei para vocês aqui no blog. A nome da trilha é uma homenagem ao Premier de Ontario na época que o Ontario Place foi aberto (1971).

FullSizeRender-(72)

– Se você está buscando bater fotos incrível do skyline de Toronto a dica é visitar o parque no final da tarde: o sol irá bater na CN Tower e prédios e tudo fica com uma cor incrível. Se quiser ver o pôr do sol este também pode ser um bom lugar.

FullSizeRender-(80)

– Vale falar que você terá uma vista privilegiada do Aeroporto de Toronto e verá vários aviões e helicópteros decolando e pousando ali pertinho.

FullSizeRender-(73)

– O parque não é tão grande comparado com o tamanho do Ontario Place. Mas se você olhar verá que há ainda uma grande parte que está em construção (a construção do Trillium Park é apenas uma pequena parte da revitalização do local). Há também muitas estruturas feias e abandonadas, como uma escada/mirante que não te leva a lugar algum e um barco de cimento (também mirante) na beira do lago (foto abaixo). Eu espero que eles revitalizem tudo logo porque a região é linda e esta parte antiga nem combina com o novo Trillium Park. Vale falar que a bola do Ontario Place – chamada Cinesphere) está esperando a instalação de um novo projetor IMAX e irá reabrir no outono (já estamos aguardando!).

FullSizeRender

– Se você procurar no google não vai achar a localização do Trillium Park, mas se você pesquisar por The Toronto Inukshuk Park (789 Lake Shore Blvd W, Toronto, ON M5V 3T7, Canada) o parque fica logo a oeste deste endereço.

FullSizeRender-(67)

You may also like...

4 Responses

  1. Marina disse:

    Adorei Gaby. Eu curto muito seus posts e a maneira com que você consegue “fugir do padrão” ao escrever seus textos. Parabéns!

  2. Alexandra disse:

    Bela matéria, como sempre. Só gostaria de saber o endereço, como chegar.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *