Gravidez: algumas diferenças Brasil e Canadá

Bom, só estou grávida de 3 meses mas já consigo notar muitas diferenças entre Brasil e Canadá no que diz respeito a gravidez, e olha que esta é minha primeira gestação (mas tive muitas primas e amigas grávidas que me servem de modelo). Obviamente, com o desenvolver da minha gestação, inúmeras diferenças irão surgir (ou não, visto que nunca estive grávida antes e não tenho experiência em ter filhos no Brasil).

Este aqui são uns pontos que tenho observado nestes poucos meses e gostaria de compartilhar com vocês:

Parto normal aqui é padrão e cesárea é emergência. Todas as mulheres grávidas sabem dos números alarmantes de parto cesárea no Brasil e ficam assustadas de saber que no Brasil você pode escolher o tipo de parto. As mulheres têm muito medo de precisar passar por uma cesárea, pois aqui cesárea é cirurgia e, como toda cirurgia possui inúmeros riscos.

Leia este artigo para entender um pouco sobre esta “fama” do Brazil.

Parto humanizado também é acessível para qualquer mulher. É possível ter o bebê nas casas de parto, com a assistência de uma doula (midwife ou sage-femme) e mesmo no hospital. Aqui você faz uma espécie de “plano de parto”, e tem que escolher antes da data do parto quais intervenções quer (por exemplo, anestesia), a posição que deseja parir, quem irá assistir seu parto, etc. Só para constar, episiotomia aqui também é exceção.

Além do médico, você pode escolher ter uma parteira ou doula ajudando sua gestação. Aqui no Canadá o conceito de parteira é completamente diferente do que muita gente imagina no Brasil. Aqui, elas passam por um curso universitário de normalmente 4 anos e tem um nível social e cultural alto, ou seja, passam longe daquela coisa de parteira de interior ou dos tempos das avós/bisavós. Elas receitam medicamento e solicitam exames como fazem os médicos e podem ser as pessoas que mais sabem sobre a sua gravidez, se assim você decidir. Aqui no Canadá, apenas as parteiras são autorizadas a fazer o parto em casa, os médicos são proibidos. Já as doulas (eu nunca tinha ouvido falar antes)aparecem em cena quando chega a hora do parto, para te ajudar fisicamente e emocionalmente. Você pode escolher uma e fará 2-4 contatos por telefone com ela. Contato físico mesmo só quando chegar a hora do parto: você liga para ela e ela vem na sua casa, te ajudar a aguentar as contrações até a hora de ir para o hospital (algo assim…).

A maioria das mães Canadenses prefere não saber o sexo do bebê durante a gestação (na verdade não conheci nenhuma até agora que quis saber o sexo). Apesar de ser possível criar um enxoval totalmente neutro (opções não faltam por aqui) eu obviamente, como boa Brasileira, irei sim querer saber o sexo do bebê.

Você deve estar praparada pois provavelmente não é o seu médico que irá fazer o parto. Você vai ter o mesmo obstetra te acompanhando durante todo o pré-natal, mas na hora do parto, quem vai estar lá vai ser o médico que estiver de plantão.

Grávida desesperada aqui não tem vez! O que percebi até agora é que o modelo Canadense de cuidado a gestante gira em torno da normalidade. O que quero dizer é que gravidez aqui “realmente” é normal: as grávidas não têm preferência em fila ou em ônibus e não tem privilégios. O parto aqui é normal, a não ser que seu bebê tenha algum risco. Se você não conseguir ver o sexo do bebê no US terá que pagar um outro do seu próprio bolso.

Neste processo todo – cheio de diferenças e mudanças-, estou tentando relaxar, aprender e, principalmente, confiar no sistema de saúde daqui – que, “apesar” de público e diferente do que somos acostumados, é justo, funciona e é reconhecido mundialmente como um dos melhores por algum motivo.



  • 17 Responses

    1. Samantha disse:

      Olá, gostaria de saber se vc poderia me ajudar com algumas informações. Eu sou brasileira e meu noivo americano. Estou com 6 meses de gravidez e, devido ao meu visto de noiva não ter nem sinal de sair, estamos pensando em eu me mudar para o Canadá para que possamos ficar mais perto até meu visto sair e eu possa me mudar definitivamente para os EUA. Vc saberia me dizer se eu, chegando ao Canadá com 7 meses, poderia ter meu bebê com tranquilidade?

    2. Carlos disse:

      Olá!
      Excelente publicação! Só fiquei em dúvida a respeito do custo desse procedimento todo. Poderia comentar sobre o assunto? Obrigado!

      • Ola Carlos. Aqui há um sistema de saúde publica que funciona e se você tem o OHIP não paga nada por isso.

        • Carlos disse:

          Interessante.. É que da pesquisa que fiz, sempre cai no custo para tratamento da saúde, que dizem ser caro. Será que outras províncias dispõem de programas parecidos? Minha preocupação é que o OHIP seja somente para Canadenses ou, no mínimo, residentes permanentes. Sabe me confirmar isso? Muito obrigado!

    3. Alana disse:

      Olá Gaby, Td bem ?
      Primeiramente, parabéns pelo seu blog. Muito legal!
      Estava aqui pesquisando na internet sobre parteiras em Toronto e encontrei esse seu post.
      Sei Q é antigo mas espero Q vc ainda recebe meu comentário.
      Seguinte: sou parteira aqui no Brasil. Sou enfermeira de formação é especializada em enfermagem obstétrica. Tive minha filha aqui no Brasil de um parto domiciliar planejado em 2012 e desde então trabalho na assistência a partos domiciliares.
      O movimento vem crescendo imensamente, já são mais de 100 partos atendidos.
      Estava pesquisando sobre me mudar pra Toronto e gostaria muito de continuar exercendo a profissão ai.
      Porém tenho algumas dívidas e gostaria de saber se vc pode me ajudar.
      É necessário fazer uma faculdade de novo ai ? Ou consigo fazer algum exame Q valide meu diploma? Comprovando experiencia com o ramo e etc?
      Conhece alguma parteira que eu poderia entrar em contato ai em Toronto?
      Os partos domiciliares são comuns ai?
      Aguardo ansiosa por sua resposta.
      Desde já agradeço
      Bjus
      Alana

      • Olá Alana! Obrigada pelo recado e visita ao blog. Não conheço nenhuma parteira e não sei muito sobre parto pois acabei perdendo meu bebe. O que sei é que vc precisa validar seu diploma para trabalhar por aqui, e dependendo do curso da saúde pode incluir fazer um novo curso sim. Beijos e obrigada pela visita ao og

    4. Rosana disse:

      Oi Gabi. Eu sinto muito por este ocorrido. Entro no seu blog de tempos em tempos, (desde +- agosto de 2011 qdo viemos p Roberto fazer o “observer”) e aí leio uma página inteira de posts ou faço uma busca. Isto eu não vi, e bom, tbém faltou certa inteligêcia da minha parte, me desculpe.
      O que vc disse ajudou muito, como sempre, e já deu pra esclarecer o básico. Eu já tinha pesquisado sobre isso, tinha uma idéia de como funciona mas continuava perdida e sem saber por onde começar. E achava q existia particular tb, não que eu queira, mas queria saber todas as opções possíveis. Vou pegar a indicação mesmo.
      Pois é, sei q vc trabalha e estuda reabilitação cardíaca pois uma dessas minha passadas pelo blog foi bem numa época q vc escreveu um post grande explicando o q vc faz aqui. Li tudo e lembro q achei curioso mais essa coicidência. Se vc frequenta os arredores da Cirurgia Cardíaca do Toronto General para fazer seu trabalho vc vai acabar vendo o Roberto, pois ele não sai de lá! rs. Vamos manter contato! Obrigada pela ajuda!

    5. Rosana disse:

      Oi Gabi tudo bem?!
      Estive falando com vc algumas vezes aqui pelo blog qdo ainda estava no Brasil, pegando dicas. Agora estou morando em Toronto, ha 2 meses (3a vinda a Toronto e com certeza será a mais longa, ficarei no mínimo 2 anos). Minha vida é um pouco parecida com a sua, temos a mesma idade, mesmo tempo de casadas, casamos quase na mesma data! rs etc). Enfim, o fato é que meu marido veio fazer esse fellowship em Cirurgia Cardiovascular no Toronto General (pela Universidade de Toronto) e aqui estamos. E estamos querendo engravidar! rs.. Ainda não sei por onde começar para conseguir um obstetra. Pode me dar essa dica? Por onde começo para conseguir uma consulta em um obstetra aqui em Toronto? (no sistema público ou até particular)
      Grande beijo (já te dei parabéns pela gravidez anteriormente.. hehe)
      Rosana.

      • Gabriela disse:

        Ola Rosana! Obrigada pela visita ao blog. Nao sei se vc soube – inclusive escrevi aqui no blog em julho-12) mas perdi meu bebe. Hoje, 6 meses depois, ja estou recuperada fisicamente. Bom, vc não consegue um obstetra ou nao marca diretamente. Você precisa de um medico de Familia e é ele que vai te encaminhar quando vc estiver gravida. Não há sistema particular de médicos e vc não poderia pagar para se consultar com um. O medico de Familia é uma espécie de clinico geral e ele as exames ginecológicos, etc. Para achar um medico de Familia vc deve ir em uma clinica e fazer uma inscrição. Nem todos aceitam. Peca para seu marido pedir indicação no hospital que trabalha. Espero poder ter ajudado. Vamos manter contato! Meu trabalho de doutorado é com reabilitação cardíaca.

    6. Ana Cecilia disse:

      Gaby,

      Curta, informe-se e relaxe, tudo o que você já está fazendo… caminho certo. Em Floripa , grávida, desde sempre eu soube que queria ganhar minha nenê de parto normal, não acho normal fazer uma cirurgia pra ter um filho também. Deu tudo certo… 17 horas de trabalho de parto mas apenas 2 horas de dor (só fui ter dor com 7 cm de dilataçao), quem fez um parto foi um plantonista super 10 (minha médica estava viajando)… enfim: caminhando, fazendo hidro, comendo bem, tudo é muito normal, inclusive o parto. Sugiro você continuar lendo sites daí do canadá sobre gravidez, parto… porque realmente no Brasil a coisa é feia (meu parto foi o unico normal em 7 dias na Clinica Santa Helena).
      Um beijo bem fofo na barriguinha!

    7. Vivian disse:

      Queridíssima, fiquei MTO MTO MTO FELIZ em ler este post.
      MUITA SAÚDE PARA VOCE E PARA O ANJINHO/A que está chegando!!!
      Nesta quinta feira estou me mudando para a Suécia, Estocolmo, e estou pensando
      seriamente em montar um blog parecido com o seu!!! o que voce acha???
      bjocas
      Vivi

      • Gabriela disse:

        Oi Vívian!!!! Que legal! Vi que vcs estavam arrumando malas… Que coisa boa! Curtam muito!!!!
        Quanto ao blog, acho que vc deveria fazer (eu dou o maior apoio). E depois me avisa o endereço eletrônico!
        E quanto ao baby, estamos muito muito felizes!!!! 😉
        Beijos e obrigada pelo carinho

    8. Priscila disse:

      Oi Gabi! Parabéns pela gravidez, tive parto normal aqui no Brasil (por opção lógico) e foi muito tranquilo, vai dar tudo certo!qq duvida ou inseguranca pode me escrever até mesmo na hora do parto Rsrsrsrs…,saudades Priscila

    9. Gaby, parabéns pelo bebê! Eu já sabia que o sistema funcionava assimm no Canadá e na Alemanha; às vezes penso que terei que sair do Brasil para ter um filho de parto normal. Os médicos brasileiros não querem é esperar o tempo do parto normal; usam a dor como desculpa e não contam o resto da história: os riscos de uma cirurgia, o incômodo depois da cesária etc. Das várias pessoas que conheço que tiveram filhos nos últimos 3 anos e que queriam parto normal, só uma conseguiu. Vc já viu aquele programa da Discovery H&H sobre partos (acho que se chama a História de um bebê)? O programa é gravado em hospital norte-americano, mas pela sua descrição a coisa funciona da mesma forma por lá. Eu acho que esse vídeo retrata o que se passa no Brasil: http://www.youtube.com/watch?v=-Ifl8ZTN2Yw&feature=share

    10. Veri Caetano disse:

      Parabéns pela gravidez Gaby! Muita saúde para essa pequena vida que se forma dentro de você! Não te conheço, mas já me sinto um pouco “íntima”, pois sou seguidora de carteirinha do blog, fiquei muito feliz com a novidade. Fiquei feliz também porque sou candidata a emigração e acredito que também terei bebês canadenses, assim já li um pouco sobre isso que falaste nesse post. Por favor relate tudo para nós, pois acho o teu jeito de passar as informações muito verdadeiro, então saber das coisas por alguém que confiamos é bem melhor. O bom dessa experiência é aprender ainda mais sobre a cultura dos países (Brasil x Canadá) e porque os sistemas são tão diferentes. Pelo que li o sistema é muito confiável, alguns casos as pessoas acharam que foram mal atendidas, mas ai já entra no juízo de valor que cada um tem e não há como saber se realmente foi ruim. Acontece que é realmente diferente do Brasil e algumas pessoas sofrem mais com isso. O que ouço das amigas que tiveram bebê aqui é que os obstetras dizem que elas não precisam passar pela a dor “terrível” do parto.
      Então, por favor, conte-nos tudo do que ver e viver ai! Bjão!

    11. lulicaferraz disse:

      É como você diz Gaby relaxar, aprender e confiar… .. ainda mais para nós que viemos de um País onde este tipo de serviço deixa a desejar ou muitas vezes nem existe….não somos acostumados a um serviço púplico eficiente, de qualidade e realmente bom… superando as expectativas…ate mais que muitos que são privados do Brasil… infelizmente!!! Bjosssssss

    12. Leide Lima disse:

      Meninaaaaa, tu ta grávida!!! Muitos Parabéns!!!! Que Deus abençõe tua gestação e qe teu bebê venha cheio de saúde!! Forte abraço!! Bjoks

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *