O que eu (realmente) faço por aqui…

o que eu faço

Lendo um post no blog coisaparecida me identifiquei muito com o que a autora escreveu em um de seus últimos posts: pouca gente sabe o que eu faço por aqui. Lendo o post da Glenda eu pude, mais uma vez, me identificar com o que ela escreveu e postar algo para meus leitores.

Na verdade, posso contar nos dedos as pessoas que querem saber o que eu faço e que se importam com o motivo de eu ter vindo pra cá, ou o que eu faço no meu dia-a-dia Canadense. Um exemplo foi que alguém próximo achava que eu vim pra cá para dar aula de inglês e comentou com outro alguém em comum (nada contra, mas achei muito estranho). E acredito que este não conhecimento não é problema meu (ou falta de eu querer contar não), pois quem me conhece sabe como eu sou faladeira e adoro uma conversa. Acho que as pessoas não querem saber… Concordo com o que a Glenda disse: a nossa vida deixa de ser interessante a partir do momento que não nos fazemos presente. E eu confesso que para algumas pessoas é um alivio a minha vida não estar presente!

E este post não é pras pessoas que não querem saber de mim; pelo contrário, é pras pessoas que querem me conhecer mais e saber o que eu realmente faço por aqui…

Eu não sou uma estudante qualquer, não larguei minha vida no Brasil só pra vir fazer um curso. Eu faço um PhD (Doutorado) numa das melhores universidades do mundo: a Universidade de Toronto. Além disso, trabalho como pesquisadora no maior centro de reabilitação cardíaca da América do Norte, referência mundial (maior centro em número de pacientes – mais de 2000 por ano). Um dos meus orientadores (sim, eu tenho 2!) foi presidente da Sociedade Canadense de Reabilitação Cardíaca de 2008-2011 e ele é Diretor do centro de reabilitação que trabalho. Além disso, devido ao meu doutorado, dou aulas na Universidade como professora auxiliar: não sou dona da cadeira mas sou responsável por parte da disciplina.

O que eu estudo? Minha area de estudo é reabilitação cardíaca, mas especificamente educação do paciente coronariano. O que eu faço é avaliar pacientes com diagnóstico de doença arterial coronariana – principal causa de morte no mundo, mata mais do que cancer – em relação ao seu conhecimento sobre a doença (o que se mostrou um fator capaz de diminuir o número de internações, melhora na escolha do tratamento e até ajudar a reverter o quadro clínico, pois quando as pessoas sabem o que tem e como lidar com sua doença crônica, elas, bem como os profissionais da saúde envolvidos no seu tratamento acabam lidando diferente com a situação). E dentro desta area eu avalio, construo, valido: questionários, currículos de educação, fatores que influenciam meu objeto de estudo, diferentes culturas (e é ai que Toronto se encaixa perfeitamente no meu estudo e ganha nota 10 no quesito “multiculturalidade”). Meu curso é duplo: resolvi fazer parte na faculdade de Physical Education and Health (na área de Exercise Sciences) e parte na Medical Sciences (na área de Cardiovascular Sciences). E minha escolha está relacionada àquela historia de “Aproveitar a Oportunidade” e fazer tudo que surgir (mas isso será certamente assunto para um outro post). Falando nisso, já fiz vários cursos por aqui: um treinamento para ser professora de 1 ano, um curso de aperfeiçoamento para estudantes (Graduate Professional Skills), um curso de Estatística (além da aula que citei acima), um curso de Patient Education no hospital que trabalho, 9 cursos de inglês, 6 disciplinas em 3 faculdades diferentes (entre elas 1 de Estatística com os estudantes de Medicina)… sem contar os trabalhos que estou envolvida, os grupos de pesquisa que faço parte (3 no total) e por ai vai…

Sou muito mais do que um rostinho sorridente nas fotos e a mãe (babona) de um cachorro bonito. Tenho tempo sim, para viver, escrever no blog e este tempo livre quem me dá não é meu Doutorado, mas minha organização e a ajuda do marido que me apoia e me suporta em tudo (o que faz a vida ser mais leve e acaba dando tempo pra você curtir outras coisas a não ser os livros).

Eu estudo, trabalho, vivo intensamente e amo tudo que escolhi. Então, da próxima vez que alguém perguntar o que eu estou fazendo aqui e você não souber, simplesmente diga não sei. Obrigada!

You may also like...

29 Responses

  1. Guilherme disse:

    Olá Gaby, parabéns pelo excelente material apresentado!
    Sei que muitas pessoas perguntam sobre profissões e apenas irei fazê-la pois se que é de área correlacionada.
    Tenho ciência de sites do governo, Conselho de Medicina, gostaria de ter uma opinião/conhecimento seu.
    Dentro de pessoas que você conhece, experiência que possui, conhece algum brasileiro médico que foi para o Canadá e consegue exercer a medicina aí? Sabe se é realmente (quase) impossível de se conseguir uma residência no Canadá.
    Enfim, mesmo havendo muitos brasileiros indo para o Canadá, nesta área sabe-se de pouca informação.
    Obrigado

  2. Sousa disse:

    Gabi amei este você! É um update aos dasavisados. Vc ainda continua trabalhando nessa área ? Beijos.

  3. Cris Souzá disse:

    Sempre tive curiosidade no que tange seu lado profissional, mas nunca perguntei por achar pessoal e fiquei esperando pelo dia em que vc quisesse dividir com a gente. Seu currículo é um show, parabéns, é de dar orgulho. Sempre deu pra perceber o quanto vc é inteligente e feliz, em todos seus posts é essa energia que fica, por isso virei fã do seu blog e da sua história e só tenho que agradecer!!!!Bjs e continue assim, simplesmente incrível!

  4. Lo disse:

    Gosto muito da cidade e acho que o seu blog só faz eu gostar ainda mais haha super legal seus posts parabéns ! Eu só queria saber como foi que tudo começou como você ficou sabendo os “planos” da universidade e as outras coisas, sou estudante de engenharia e estou terminando ano que vem o curso, e penso em fazer uma pós por aí, você tem algumas dicas ? Se vc tiver um post sobre isso, desculpa q eu não achei bjj

  5. Dany disse:

    Oi, Gaby! Adoro seu blog! Fui para Toronto mês passado e segui várias dicas e passeios que você já mencionou, seu blog me serviu como guia! Hahaha
    Muito interessante sua área de pesquisa! Se não for perguntar demais… Como que você conseguiu um emprego na universidade?
    Eu estou querendo fazer o doutorado aí, e aproveitar e tentar imigrar, acredito que tendo emprego na universidade é mais fácil, certo?
    Na sua opinião, a area de pesquisa sobre câncer é boa em Toronto? Ou tem outra cidade no canadá que seja melhor?
    Bjos

  6. Camila disse:

    Gabi, eu acho você o máximo! Se você tivesse ido pro Canadá apenas pra mudar de vida sem rumo, eu ia continuar achando, pelo simples fato de você passar mensagens tão bacanas pra gente e pra mim isso significa que é uma pessoa do bem! =) E quer saber?! foda-seeeee o que as pessoas pensam! Vc é linda e tem uma família linda! um beijo

  7. Patricia disse:

    Gabi,
    Amo seu blog e nesses 20 dias q eu to aqui em Toronto, eu segui dicas suas quase todos os dias!
    Eu estou estudando aqui, ficarei por 5 meses.
    A respeito desse seu post só tenho uma coisa a dizer: q se danem o q os outros pensam!
    Vc não precisa provar pra ninguém q vc ta fazendo algo de útil aqui… Vc paga suas contas, certo?
    Não teria problema nenhum vc ser um rostinho bonito com um vai mais bonito ainda (rsrsrs)!
    Se tem uma coisa q aprendi nessa vida é não me importar nem um pouco com o q os outros pensam!!!
    Vc ajuda mts gente aqui com seu blog!!
    É isso já é uma coisa muito útil e maravilhosa!!!
    Bjs!!

  8. Arisa disse:

    Gabi este é o melhor post sobre você! É um update aos dasavisados. Beijos.!

  9. Maryjane disse:

    Uauuuu, adorei cada letra!!!
    É isso ae, também compartilho da idéia de que quando não se sabe oque falar, favoreça as pessoas com o silêncio

  10. Edilaine disse:

    Gaby, admirável a sua paciência para explicar o q vc faz! Eu desisti e dizia q o governo me pagava para estudar…hehe

  11. Pati disse:

    Love you sister!!!! Sucesso hoje e sempre!

  12. Leide Lima disse:

    Olà!! Tenho acompanhado teu blog…e gostei do ultimo post! Estou chegando por aiii no rpoximo domingo…to ansiosa….e no inicio meu intuito eh o ingles….e a seguir….quam sabe alguns cursos na area! Sou formada em enfermagem pela UNIP são paulo… VC eh enfermeira tb?
    Espero que me de uma sdicas mais pra frente!!
    Sucesso pra vc! E pra mim tb, que vou estar chegando nesse mundo novo!! Hi hi hi
    Bjoks
    Leide

  13. Letícia Giacomin disse:

    Entendo perfeitamente, Gaby. As pessoas também não entendem o que eu faço. Agora imagina, se elas não entendem o que eu faço, aqui no Brasil, estudando aqui, numa universidade daqui, imagina se compreenderiam assim tão facilmente o que vc faz aí. Para mim não é nenhuma dificuldade, mas sei lá o que esse povo pensa. Vai entender, né?
    O importante é que as pessoas que realmente te amam sabem perfeitamente o que vc faz aí, acolá ou onde seja. As pessoas com as quais vc se preocupa e as que se preocupam contigo sabem de todo seu trabalho, seu esforço e sua dedicação, pode ter certeza.
    Vc é um sucesso, Gaby!!! E esses anos de estudo vão te acrescentar tanto academicamente que vai te trazer mais sucesso ainda! Além de, claro, toda bagagem cultural que essa experiência já está trazendo pra sua vida.
    Tenho muito orgulho de vc, Gaby! Continue sempre assim!!!
    Beijão

    • Gabriela disse:

      Eu adoro seu recadinho Lê…. sempre me animam e me colocam pra cima. Muito complicado mesmo saber que existe gente que não se importa com o proximo – você me conhece bem e abe como eu sofro e fico trsite. Mas bola pra frente: quem é importante pra mim dá notícia, quer saber o que eu faço e me manda notícias. O resto é resto!
      Beijos pra vcs…. e quero saber quando a tão esperada visita do casal acontecerá!

  14. Boeing disse:

    Orgulho do Dindo!!!

  15. Marcela Araujo disse:

    Olá, Gabriela,
    estou indo para Toronto, em maio, fazer um ano do meu Doutorado na Universidade de Toronto (no Centro de Literatura Comparada). Eu e meu marido encontramos o seu blog por causa do Joe, pois estamos pensando em levar o Brou, nosso cachorrinho, junto na aventura!
    Pelos posts, eu acho que você morava no Student Family Housing da universidade, né? Era muito barulhento? Era legal o lugar? Estavámos pensando em alugar um “bachelor”, mas acabei de receber a oferta de um “standard one bedroom”. Vale a pena? O custo/benefício é bom?
    Parabéns pelo blog! Ele tem ótimas dicas!
    (ah, e eu entendo esse último post… realmente, quase ninguém sabe o que um doutorando faz!)
    Abraços,
    Marcela

    • Gabriela disse:

      Ola Marcela! Eu morei sim, 1 ano por lá. O custo benefício é ótimo: super barato, bem localizado e pertinho da Universidade. O apto é antigo e os vizinhos são de várias nacionalidades, o que nem sempre é bom pois você pode ser surpreendido com um chinês que resolve fritar comida as 7 da manhã ou um indiano que mora em 5 num apto de 1 quarto mas não limpa como deveria. Mas acho que vale vcs ficarem por um tempo, de início, pra cnhecer a cidade e saber aonde vcs querem morar.
      Obrigada pelo recadinho e visite sempre! Precisando de alguma dica é só escrever!
      Beijos, Gabriela

  16. É isso ai Gaby… o mais importante de tudo isso… é você estar fazendo o que gosta e estar feliz com isto.. acima de tudo!!! Sim é ruim quando as pessoas falam o que não sabem.. o que você pensa de si mesmo é muito mais importante do que o que os outros pensam de você!! as vezes muita gente julga a gente sem ao menos nos conhecer ou sequer saber da nossa vida…Adorei seu post!!! <3 Bjussssss

  17. é bem assim… melho ficar quieto antes de falar o que não se sabe…!!!!
    beijoss dinda que tenho tanto orgulho!!!

    • Gabriela disse:

      😉 saudades de vcs PaTy! Adorei seus comentários e vamos combinar logo logo um encontro nosso: lá no Brasil ou aqui! Beijos e bom final de semana

  18. Glenda disse:

    Viu só, agora é só mandar o link quando algum desavisado perguntar! Beijão.

  1. 03/08/2012

    […] 5 posts pessoais mais populares: Apreensão e Alegria Parte II (by Ju) O que eu realmente faço por aqui You can see through my eyes A vida nem sempre corre como desejamos Os primeiros dias Share […]

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *