Bom para um, ruim para o outro

Que bom que as pessoas são diferentes, não é mesmo? Que bom que temos gostos, pensamentos e agimos diferente. O mundo seria um lugar muito chato se todos tivessem as mesmas idéias e fossem muito parecidos. Uma pena que nem todo mundo sabe ou pensa assim…

Toda vez que eu dou uma dica aqui no blog eu tento trazer a MINHA visão. Não é a toa que a descrição do meu trabalho é “um olhar pessoal e humano sobre tudo que merece atenção e amor, especialmente em Toronto”. Os textos aqui tem o meu toque, a minha maneira de escrever e não há cópias ou listas rápidas de dicas que você encontra em qualquer lugar: tudo é pensado e escrito com todo carinho e de uma maneira muito pessoal. E é por isso que você não vai encontrar textos de dicas sem meu toque pessoal e fotos próprias: a idéia é realmente colocar aqui a minha opinião real sobre um passeio, um serviço e um produto. Sempre foi assim e sempre será. E eu sinto que é por isso que eu consigo ainda manter leitores fiéis aqui no blog em uma época que as pessoas estão migrando para fontes de informação mais instantâneas e não querem “gastar tempo” lendo textos longos sobre o assunto. Sim, os números de acessos baixaram, mas ainda consigo atrair mais de 45 mil pessoas por mês, o que me deixa muito feliz.

Obviamente que com esse número enorme de pessoas e com as – necessárias – diferenças entre as pessoas nem sempre as dicas aqui irão agradar ou serem válidas para todos. Como diz o título deste post: o que é bom para um pode ser ruim para o outro. Isso é tão real e se eu pudesse colocaria isso em letras maiúsculas no início de cada post, para lembrar as pessoas que acessam meu blog que estou falando da MINHA vida e da MINHA opinião. Que o que escrevo aqui não são verdades para todos, mas são as MINHAS verdades. Talvez, se você se identifica comigo, essas dicas podem ser válidas. Mas, mesmo assim, corre-se o risco do que eu escrevo aqui não ser o que você espera. E está tudo bem, não é mesmo?

Resolvi escrever este texto para realmente refletir sobre isso. E falo isso até por experiência dentro da minha própria casa. Levei meu marido para conhecer NYC pela primeira vez quando ainda éramos namorados. Eu sou apaixonada pela cidade e achei que ele iria amar. Ele não gostou. E olha que fomos em lugares menos turísticos porque eu sabia que ele não iria gostar do agito. Tentamos mais algumas outras vezes e nada. Mesmo sendo tão parecidos e com gostos tão combinando ele não gostou daquilo que eu gosto. Está tudo bem, não é mesmo?

Às vezes eu indico aqui um passeio ou até um cantinho da cidade de Toronto e recebo muitas mensagens de pessoas que se apaixonaram pelo local e que agradecem por eu ter tornado a viagem deles ainda mais inesquecível. E, claro, sempre tem alguém falando que não gostou e me dando o motivo. Novamente: não é todo mundo que pensa como eu. E eu acho super válido também conhecer estes motivos e entender o porquê das pessoas não curtiram um local e, especialmente, um serviço ou um produto que eu indiquei. Está tudo bem, não é mesmo?

Agora, o que eu não acho que está bem é as pessoas não respeitarem o meu ponto de vista e entender que este espaço É MEU. O nome do blog não é “fulana no Canadá” mas “Gaby no Canadá” e este espaço fala da MINHA vida, da MINHA visão e da MINHA opinião sobre as coisas. Não tenho o intuito de servir como a única verdade para quem mora no Canadá. O que eu escrevi lá no começo do texto se faz mais correto nesta parte do texto também: somos diferentes. E, acima de tudo, nossas trajetórias são diferentes. Quando eu escrevo aqui que “você deve visitar os restaurantes de Toronto e não só comer fast food” eu falo do que eu acredito, mas sei que pode não ser possível para todos já que nem todo mundo tem um budget para tal. Quando eu escrevo que “gosto do inverno” isso pode não ser verdade para aquelas pessoas que tem que pegar o metrô no frio às 6am e andar um montão para chegar no trabalho (apesar de eu ter feito isso por longos 6 anos). Ler um texto escrito por alguém exige que a pessoa tenha este entendimento e consiga pegar somente aquelas partes que são válidas para ele.

Eu escrevo aqui com o meu coração e este é o motivo de estar aqui há tanto tempo. Tudo é pensado, planejado e executado com muito amor. Eu não consigo pensar em todas as diferentes pessoas que entram aqui – eu nem sei o que passa na cabeça de todos vocês. O que eu sei é que se vocês acessaram o meu blog vocês estão buscando conhecer um pouco de como a vida no Canadá é ou ter uma opinião sincera sobre algum assunto, pela visão de UMA pessoa somente: Gabriela. Por mais que meus textos não se encaixem em todas as idéias e pessoas podem ter certeza que tudo aqui foi escrito com muita verdade, apesar de nem sempre esta verdade seja válida para todos.

A foto deste post é do Canva Pro, que eu estou utilizando para fazer várias artes aqui no blog e nas redes sociais e amando muito.

1 Resultado

  1. Elane Dutra disse:

    Bom dia! Gaby.

    É uma pena termos que explicar o óbvio, mas infelizmente é assim mesmo… muita gente sem noção… que se ofende com a opinião real do outro.

    Mas, não dê muita importância para gente assim não… pois, te garanto que a maioria dos teus leitores/seguidores, são maduros o suficiente para compreender suas publicações, textos estes que eu amo ler, ainda que possa haver algo que eu não me identifique.

    Prossiga fazendo este lindo trabalho/hobby.

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *