5 atrações em Québec City

Badge1

No feriadão do dia do Canadá (1 de julho) resolvemos tirar uns dias de férias e fazer uma viagem até a região dos Fjords Canadenses (escreverei sobre isso no próximo post) e no trajeto estava Québec City. Já fomos para Québec City algumas vezes e este não era o objetivo das nossas férias… mas é impossível passar pela cidade e não dar uma paradinha e ficar pelo menos uma noite.

Québec City ou Ville du Québec como é chamada por lá, é a capital da província de Quebéc e a “capital nacional da parte francesa Canadense”. É a única cidade murada da América do Norte, e ponto principal do coração francês do Canadá, sendo banhada pelo imenso Rio São Lourenço. É realmente um lugar encantador e não se parece com nenhum outro lugar da América – temos a impressão que estamos em uma vila Francesa: casas antigas, belos edifícios, igrejas e capelas históricas, pontes de pedra, ruas impecáveis e arborizadas, francês predominando, um castelo, ruas de pedra, cafés e creperias, muitas galerias de arte… um lugar super romântico e que merece ser visitado por aqueles que vem ao Canadá.

O nome da cidade, bem como a da província, vêm de uma palavra de origem algonquina (indígena), que significa passagem estreita. Isto porque a largura do rio São Lourenço na região da cidade de Quebec é de apenas 800 metros. A cidade fica a 800 km de Toronto e a 2h30 de Montréal – todas as vezes que fomos fizemos de carro e a estrada é ótima (Highway 401 até Montreal, depois pegue a rota 40 ou 20 até Québec City – ou ainda faça o trajeto Montreal > Québec pelo interior através do Chemin du Roy, rodovia 138).

Québec City é super famosa e turística e por isso há inúmeros posts na internet de roteiros e dicas do que fazer na cidade. Diante disso eu resolvi escrever um post diferente e falar sobre as minhas 5 atrações preferidas da cidade e arredores. Espero que vocês gostem. Eu tinha pensado em intercalar fotos de nossa viagem de agora com uma que fizemos no inverno (para vocês verem a diferença enorme entre as estações), mas comecei a selecionar as fotos de agora e o post ia ficar gigante, então só fotos do verão! E se vocês me perguntarem eu acho que não tenho uma estação preferida e Québec é linda tanto no verão quanto no inverno! Para entender um pouco sobre como a cidade funciona no inverno clique aqui e veja post sobre o carnaval de Québec.

Badge_oldville

Realmente a parte mais linda da cidade de Québec é a cidade antiga, que é dividida em Basse Ville (baixa cidade) e Haute Ville (cidade alta). Há um funicular ligando as duas extensões ($2.25 por pessoa e pet-friendly) – fiquem ligados com os horários para não correrem o risco de voltar da cidade baixa a pé. Sugiro que vocês comecem o passeio pela cidade alta, aonde fica o prestigioso castelo da cidade, o Château Frontenac. Na frente do Frontenac você também encontra o Terrase Dufferin, o “calçadão” de Québec, com vistas incríveis do rio São Lourenço. Atrás do castelo tem uma pracinha aonde fica o serviço de informação ao turista, que tem mapas e dicas gratuitas.

DSC_6950

DSC_6954

DSC_7083

DSC_7128

DSC_7167

DSC_7208

DSC_7211

DSC_7231

Dali vocês devem andar pelas ruas e se perder mesmo… visitando os cantinhos fofos e antigos da cidade. Não deixem de passar pelas ruas ao redor do Convento Ursulino, de visitar a praça da prefeitura (Place de l’Hôtel-de-Ville), o Édifice Price (edifício de 1930 que é o mais alto do centro histórico de Quebec velha, e um dos arranha-céus mais antigas no Canadá), e de visitar a basílica de Notre Dame du Québec, uma das igrejas mais antigas do Canadá (1647). Depois vá descendo as ladeiras e escadas lentamente (batendo muitas fotos) até chegar na parte mais baixa da cidade (a minha parte favorita). Lá você deve visitar a Place Royale (marco zero da cidade), aonde fica a igreja Notre-Dame-des-Victoires e alguns painéis pintados a mão (lindos!). Na parte baixa fica também o Quartier Petit Champlain, um calçadão com restaurantes, galerias de arte e lojas de artistas/marcas locais. Ali não deixe de experimentar o Maple Taffy ou Maple Toffee (doce feito com a seiva do maple syrup mais espessa, derramado na neve e endurecido, formando uma espécie de bala que geralmente é servida como pirulito), vendido numa lojinha no final da rua (no inverno e no verão). Dos restaurantes, um dos mais lindos e românticos do local é o Le Lapin Sauté, com um patio liiiindo e super romântico. Na parte baixa da cidade também fica o mercado de frutas (le Marché du Vieux-Port, aonde os agricultores vêm para vender frutas, queijo, pão e vinho), o porto e o Museu da Civilização.

DSC_7137

DSC_7150

DSC_7153

DSC_7164

DSC_7166

DSC_7190

photo-1-(2)

photo-4-(1)

Badge_ChateauFrontenac

O hotel Fairmont Le Château Frontenac é uma das principais atrações de Québec e foi construído aonde ficava a antiga sede do governo de Québec. O hotel foi inaugurado em 1893 e possui 650 quartos e cerca de 77 metros de altura. O Château Frontenac foi nomeado após Louis de Buade, Conde de Frontenac, que foi governador da colônia de “Nova França” entre 1672-1682 e 1689-1698. Entre os acontecimentos históricos realizados no hotel está a Conferência de Quebec de 1943, em que Winston Churchill, Franklin D. Roosevelt, e Mackenzie King discutiram estratégias para a Segunda Guerra Mundial.

Eu sou apaixonada por castelos e eu e o marido resolvemos “investir” e ficar hospedados no Le Château Frontenac. Os pontos positivos do hotel incluem a localização (perfeita, nem preciso comentar), ser pet-friendly (e os cachorros são super mimados, ganham biscoitos, cobertores e até recebemos uma lista com locais aonde poderíamos levar os cachorros e hospitais veterinários da região), e a vista (todos os quartos possuem vistas lindas, seja do rio, da cidade antigo ou até mesmo do próprio castelo). Porém, os quartos são pequenos (os mais acessíveis $$ é claro) e na diária não está incluído café da manhã. Se você me perguntar se vale a pena eu diria que sim!, pois você está hospedando-se no principal cartão postal da cidade e um dos castelos mais fotografados do mundo. Jojoe – nosso cachorro – curtiu muito e se sentiu “em casa”.

Para consultar disponibilidade e preços clique aqui.

DSC_7252

DSC_6946

photo-1-(1)

photo-1

photo-2

photo-3

IMG_4515

Badge_Citadelle

A cidade de Québec é o testemunho histórico de batalhas travadas entre França e Inglaterra para conquista desse território. E um dos símbolos desta disputa é a La Citadelle, uma fortaleza construída no século 16 com o objetivo de proteger Québec de um possível ataque norte-americano. As muralhas que circulam a cidade antiga de Québec e fazem parte da Citadelle possuem 4km e você pode caminhar ao redor delas seguindo a oeste do Terrase Dufferin (esteja preparado para a caminhada que envolve muitas escadas).

A Citadelle foi erguida entre os anos de 1820 e 1831 e continua ativa, sendo primeiramente ocupada por tropas britânicas e pela artilharia canadense e, desde 1920, utilizada como residência oficial do Royal Regiment 22e, o único regimento de infantaria francês Canadense. Maiores informações sobre o local, incluindo horários para os tours diários, clique aqui.

DSC_6963

DSC_7008

DSC_6989

DSC_7000

DSC_6977

BadgeGrandeAllee

Rua da cidade que fica do lado de fora das muralhas. É lá que está o Hôtel do Parlament, sede do legislativo da província, que é lindo e vale uma visita. Ali também ficam vários restaurantes, o Parc Champs de Bataille, o Museu de Belas Artes, o Observatoire de La Capitale – Edifício Marie Guyart, o Hotel Le Concorde (e seu restaurante panorâmico também com grandes vistas da cidade) e várias edificações lindas.

DSC_6926

DSC_7015

DSC_7023

DSC_7025

DSC_7029

DSC_7031

DSC_7047

DSC_7052

DSC_7060

BadgeOrleans

A ilha de Orleans está localizada no Rio São Lourenço a 5km leste do centro de Québec City e é um dos segredos mais bem guardados da região. A ilha foi uma das primeiras partes da província a serem colonizadas pelos franceses, e uma grande porcentagem dos franco-canadenses pode traçar ascendência aos primeiros moradores da ilha. A ilha tem sido descrito como o “microcosmo do Québec tradicional” e como o “berço de francófonos na América do Norte”, pois foi lá que se estabeleceram as quase 300 famílias que fundaram a nova França. Em outras palavras, um lugar super rural, super francês, super tradicional e estupidamente romântico e lindo. A ilha tem um ar bucólico, com fazendas e casas magníficas… difícil descrever! Eu confesso pra vocês que não esperava muito do local e reservamos apenas algumas horas para visitá-la – não conhecemos nem a metade e certamente voltaremos para explorá-la melhor.

Para chegar na ilha há uma ponte de Orleans (super antiga de 1935). Na frente da ponte fica o Parc de la Chute-Montmorency, com cachoeiras e trilhas (veja primeira foto abaixo). Chegando na ilha fomos para a direita direto para Sainte-Pétronille. Lá caminhamos pelo Chemin du Quay e tivemos uma vista linda de Québec City. Ali também há uma das diversas lojas de chocolates (chocolaterie) e fizemos a festa. Aliás, a ilha possui várias vinícolas, plantações de morangos e lavanda, fabricação de queijo (fromagerie), fazendas de maple syrup, 6 igrejas, inúmeras galerias de arte, restaurantes e hotéis muito bons… e muito mais. Maiores informações clique aqui.

DSC_8167

DSC_8172

DSC_8166

DSC_8197

DSC_8208

DSC_8210

IMG_4988

IMG_5006

** Um dos fortes da viagem a Québec é a culinária. Porém, como estávamos com o Joe e ficamos hospedados no Fairmont (aonde não é permitido deixar o animal sozinho no quarto) acabamos ficando um pouco limitados pois não são todos os locais que aceitam animais nos seus patios. Aliás, a província de Québec é a menos pet-friendly que eu conheço (tirando Montreal) e tivemos alguns desafios com nosso peludo (falarei sobre isso em um outro momento). Entre os restaurantes que tinha planejado ir e não conseguimos estão: Bistro 1640 (um dos restaurantes mais antigos da América do Norte), Panache (considerado um dos restaurantes mais acolhedores da cidade segundo locais), e o Le Café du Clocher Penche (bistrô que é famoso pelas excelentes pommes frites, e quem me conhece sabe que eu AMO batatas fritas).



34 Comment threads
21 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
33 Comment authors
cris tesima

oie gaby! td bem? nossa to tirando muitas informacoes do seu blog! muito obrigada desde ja! Vou passar o final do ano com a familia por aih, estava pensando em conhecer – toronto-niagara falls- montreal-quebec e ottwa. Ficarei 13 ou 14 dias , estou vendo ainda, queria passar 14 mas as passagens estao mais baratas pra 13=/ quantos dias vc acha q poderia ficar em cada cidade? Montreal ficaria quanto tempo? quebec eu consigo ver em dois dias ou tres dias é melhor? e ottawa , voce passaria o dia ou faria uma estadia? ou dois dias? Em Niagara estava… Read more »

Gustavo Propst

Olá! Vc acha que os passeios ficam muito restritos no inverno? Tem alguma dica para aproveitar melhor meu tempo? Vou em Janeiro, ficando 3 noites em quebec e 3 em Montreal
Obrigado

[…] do século 17 está bem preservada, com casas, igrejas e monumentos daquela época intactos. Clique aqui para ver post com dicas sobre o […]

Janaina

Adorando deus posts!!! Parabéns!!! Entre visitar Montreal e Quebec o que vc indicaria??? Obrigada

Ana

Obrigada por compartilhar sua experiência!

Qual câmera você usa para tirar essas fotos?