Roteiro pronto: 15 dias em Toronto e arredores

Eu vou confessar para vocês que não gosto de posts com roteiros prontos e o motivo é simples: cada pessoa é única e cada um que planeja viajar deve perder alguns dias lendo e pesquisando online para poder montar o seu roteiro baseado na sua personalidade e nos seus gostos. Mas mesmo pensando desta forma eu achei que seria interessante ter aqui no blog um roteiro detalhado do que fazer em Toronto em 15 dias. Eu já tenho roteiro de 1 dia, 4 dias e 5 dias, mas mesmo assim acho que falta tanta coisa para conhecer nestes roteiros mais curtos. E foi por isso que eu escreverei hoje um roteiro de 15 dias. Acho que será super útil pois mesmo que você não fique na cidade todos estes dias poderá “escolher” os dias com as atrações que quiser visitar e realmente adaptar estas dicas para o seu próprio roteiro.

Dia 1: A principal atração de Toronto já nos primeiros dias

DSC_9754

Certamente quando vocês chegarem em Toronto e darem de cara para a CN Tower vocês vão começar a bater 1000 fotos dela e vai bater aquela vontade louca de subir na torre e ver a cidade de cima, entendendo como ela funciona. E sim, vale muito a pena subir na torre, por mais turística que ela seja. Logo abaixo da CN Tower fica o Ripley’s Aquarium of Canada, que também é uma atração imperdível. Então neste dia você pode fazer o combo torre + aquário, e dependendo da época do ano que estiver pode já ficar na região e assistir a uma partida de baseball no Rogers Centre (o time joga de abril a setembro) ou um jogo de basketball ou ice hockey no Air Canada Centre (os times jogam de outubro até março). E vale citar aqui que eu acho a experiência de almoçar ou jantar no alto incrível e super recomendo. Se tiver tempo no seu dia ali pertinho tem um parque chamado Canoe Landing Park onde você pode bater fotos super legais da CN Tower e até comer algo gostoso (tem restaurante mexicano, Tim Hortons, Nutella Café e pub ao redor do parque).

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: prefira dias de semana e, se possível, reserve sua subida e compre o ticket do aquário com antecedência se vier nos meses do verão.
Transporte: dá para chegar de TTC (salte na Union Stations e utilize o Skywalk para chegar na região).

Dia 2: O maior museu do Canadá e uma região mais requintada da cidade

IMG_7490

Minha dica neste dia é que você visite o Royal Ontario Museum (ROM), o museu de arte, cultura e história natural de Toronto que é o maior museu do Canadá e possui uma arquitetura fantástica. Muitas pessoas podem ficar 1 dia inteiro no museu e se este for o seu caso, tudo bem (aproveite!). No meu caso, apesar de amar museus, eu não consigo ficar o dia inteiro por lá, 4h para mim já é o suficiente. Por isso minha dica é visitar o ROM das 10am-2pm e depois seguir para um almoço tardio no The One Eighty (o restaurante no andar 51 do Manulife Centre com uma vista linda do centro de Toronto). De lá você deve caminhar na região da Bloor Street West e ver (ou fazer umas comprinhas) em lojas requintadas como Tiffany, Burberry, Gucci, Chanel, entre outras. Não deixe de visitar a região de Yorkville e de relaxar na pedra de 1 bilhão de anos ou tomar um café da tarde delicioso na região (há várias opções como o Sorry Coffee Co). Não deixe de passar na Prairie Girl Bakery para pegar uns cupcakes para comer a noite no hotel quando bater aquela fome.

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: eu iria em um dia de semana para ver o agito da cidade.
Transporte: TTC (transporte público) saltando na estação de metro St George, Museum ou Bay.

Dia 3: Ilhas, Mercado, Destilaria

DSC_0097

Este será um dia cheio, então esteja preparado. No início do dia pegue um ferry para as Ilhas de Toronto e passe a manhã por lá (falo mais sobre este passeio neste post aqui). Uma outra opção é pegar um water taxi, que te levará para as ilhas sem a muvuca dos ferries se você estiver visitando a cidade no verão. Lá na ilha dá para caminhar pelos parques, bater fotos lindas e passear muito. Não há nenhum lugar legal para almoçar, então pegue o barco de volta para almoçar fora delas. Há várias opções de almoço na região mas se você quiser curtir uma comida local vá no St Lawrence Market e coma algo por lá (eu sugiro o famoso Bacon Peameal on a Bun da Carousel Bakery, um sanduíche com bacon canadense grelhado). A região ao redor do mercado é linda e super antiga e não deixe de visitar a nova fonte dos cachorros do Berczy Park, atrás do Flatiron Building de Toronto. Ali pertinho também fica a Union Station (estação central da cidade), o Hockey Hall of Fame (museu do Hockey) e o Brookfield Place (lindo edifício). E vale falar que embaixo da maior parte desta região fica o The Path, a parte subterrânea da cidade (que merece uma visita mesmo no verão). Depois de explorar esta parte da cidade se dirija ao Distillery District para encerrar seu dia em grande estilo (a caminhada não deve durar mais de 20 minutos).

O Distillery District é um dos meus lugares favoritos de Toronto: era uma destilaria em 1823 e depois de 153 anos produzindo bebidas alcoólicas – entre as quais uísque e rum -, o empreendimento deixou de funcionar. Há pouco tempo atrás um grupo de empreendedores pegou estes 47 edifícios e os transformou em um conjunto de lojas, galerias, estúdios, restaurantes e cafés. Caminhe pelo local com calma, bata muitas fotos e jante por lá. Entre os locais eu tenho posts aqui no blog dos que já visitei estão El Catrin, Archeo, Balzac’s Coffee e Cacao 70.

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz (mas saiba que o mercado está fechado nas segundas-feiras).
Transporte: utilize o TTC para chegar na região.

Dia 4: A parte leste da cidade

DSC_3535

Dê uma pausa nas atrações turísticas ou do centro de Toronto e vá para a parte leste da cidade, que é linda e pouco conhecida entre os turistas. A dica aqui é passar a manhã em um parque chamado Scarborough Bluffs que é simplesmente fantástico (eu conto tudo sobre o lugar neste post aqui). Bata muitas fotos e curta a natureza incrível do local. Se o tempo estiver bom a dica é fazer um picnic por lá. Não deixe de incluir no seu roteiro o o Rosetta McClain Gardens, um parque que mais parece um jardim botânico de tão lindo, com muitas flores e árvores e uma trilha que costeia os bluffs e que te dá a oportunidade em alguns momentos de você observá-los bem.Depois de curtir a região vá para uma outra parte linda e “secreta” de Toronto, o Guild Inn Gardens. O jardim possui parte de edifícios demolidos antigamente em Toronto e a região é linda, com o hotel recém modernizado. Depois de passar pelo local vá para a região da The Beaches e passeie pela orla da “praia de lago” mais famosa de Toronto e procure um dos muitos restaurantes do local para jantar.

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz.
Transporte: melhor fazer o passeio de carro mas TTC é possível (e demorado).

Dia 5: A parte oeste da cidade

Attachment-1-(5)

Depois de um dia na parte leste de Toronto agora é a vez de explorar o outro lado da cidade, a parte oeste. Note que quando você fizer o passeio de bicicleta pela lakeshore (dia 10 deste roteiro) você vai explorar bastante a parte mais sul da região, então não pense que não há muito o que fazer nesta parte da cidade – é que você irá fazer boa parte dela em outro dia. Neste dia eu sugiro você começar o passeio um pouco mais tarde (não precisa um dia cheio para fazer tudo que eu irei propor) pelo High Park, o maior parque da cidade (clique aqui e veja vários posts sobre o local). Planeje-se para ficar pelo menos 2h no local e se possível pegue o trenzinho que passa por todo o parque para você conhecer toda a região. Depois de curtir o High Park a próxima parada é a região do Old Mill, que é extremamente linda. Dependendo do horário que você estiver no local dá para se programar e tomar um chá da tarde no Old Mill Inn, que é super tradicional por aqui. Se você estiver muito cansada da viagem pode também curtir o spa deste hotel, que é maravilhoso. No final do dia passe na Roncesvalles Village e coma em algum restaurante polonês de lá ou no maravilhoso La Cubana.

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz.
Transporte: TTC (compre o passe diário para poder entrar e sair do metro, ônibus e streetcar sem se preocupar).

Dia 6: O coração de Toronto

DSC_7091

Neste dia 6 do nosso roteiro você vai explorar a região que eu chamo de coração de Toronto, pois é a região mais central da cidade. Entre as atrações que você vai visitar estão: Eaton Centre, Dundas Square, Prefeituras de Toronto (antiga e nova), Osgoode Hall e Assembléia Legislativa de Ontario. É difícil definir o que você deve ver primeiro e qual a ordem das atrações mas é preciso planejamento para ver tudo isso. E vale muito a pena incluir todos estes locais no seu roteiro (clique nos links que coloquei para ler mais sobre cada um dos locais). E vale falar que as atrações estão perto uma da outra então chegue no local de TTC (se não estiver hospedado no centro da cidade) e explore tudo a pé mesmo, fuçando cada cantinho da cidade e conhecendo o centrão da maior cidade do Canadá.

Estação do ano: qualquer uma (se for inverno não deixe de patinar na pista da Nathan Phillip Square).
Dia de semana ou final de semana: dia de semana, para ver o agito da cidade.
Transporte: TTC (compre o passe diário para poder entrar e sair do metro, ônibus e streetcar sem se preocupar).

Dia 7: Construções lindas

DSC_3514

O roteiro deste dia é leve e extremamente fotogênico. Minha sugestão neste dia é que você visite a Casa Loma pela manhã e o campus St George da Universidade de Toronto à tarde, ambos lugares incrivelmente lindos. A Casa Loma (termo espanhol que significa Casa na Colina) é foi a antiga residência do financista Sir Henry Mill Pellatte até 1914 era considerada a maior residência da América do Norte. Entretanto, a casa nunca foi terminada, pois o ricaço Sir Henry entrou em falência, tendo todos os seus bens foram confiscados, incluindo o castelo. O local hoje é um museu e você pode visitar durante todo o ano (clique aqui para mais informações). Saindo da Casa Loma minha sugestão é almoçar dentro do campus da UofT, em um dos restaurantes que mais parecem cenários do Harry Potter (clique aqui e aqui para ver mais informações). Depois de encher a barriga é hora de explorar o lindo campus St George da Universidade de Toronto, seus prédios e parques lindos. Eu tenho um roteiro para explorar a região a pé aqui no blog. Vale também ler este post com várias dicas do local. No final do dia dependendo do seu pique eu sugiro incluir um passeio pelo Evergreen Brick Works (um parque lindo com um restaurante delicioso para jantar). Dá para chegar de TTC saindo da St George Station e o trajeto levará 30 minutos.

Estação do ano: qualquer uma (se for inverno não acho legal incluir o passeio ao Evergreen no final do dia).
Dia de semana ou final de semana: dia de semana, para ver o agito da cidade.
Transporte: TTC (compre o passe diário para poder entrar e sair do metro, ônibus e streetcar sem se preocupar).

Dia 8: A parte mais multicultural e cool da cidade

DSC_3333

Certamente este dia será o mais surpreendente e divertido do seu roteiro. Neste dia eu sugiro que você visite as seguintes atrações: Art Gallery of Ontario (AGO), Kensington Market, Graffiti Alley, Spadina Avenue e Queen Street West. Comece seu roteiro explorando o Kensington Market, que é um dos bairros mais multiculturais da cidade. A dica é que você tome café da manhã por lá (veja dica de local aqui), explore várias lojas do local (veja dica aqui) e compre um pacotão de pipoca de sabor aqui. Depois de comer muito passear pelo local é hora de caminhar por Chinatown (Spadina Avenue e Dundas West) e também pela região cool da Queen Street West. E é nesta rua que você encontrará a Graffiti Alley, um beco colorido cheio de arte de rua. Depois de passear pelo local procure algum dos vários restaurantes e lanchonetes deliciosos da Queen Street West para você almoçar ou jantar. As opções são inúmeras e incluem o The Burger Priest (considerada uma das melhores hamburgerias de Toronto), o Alo Restaurant (bistrô francês que possui ótimos reviews), Cacao 70 (se o que você quer é chocolate) ou Bistro Jules (outro francês que está fazendo o maior sucesso por aqui). Faça este roteiro em uma quarta-feira para poder usufruir da entrada gratuita no museu AGO, que acontece após as 5pm (leia sobre esta experiência aqui no blog). E se neste dia tão movimentado você tiver tempo vale passar pelo Grange Park, um novo parque de Toronto no lado do museu AGO que é lindo.

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: quarta-feira (para usufruir da entrada gratuita no AGO).
Transporte: TTC (compre o passe diário para poder entrar e sair do metro, ônibus e streetcar sem se preocupar).

Dia 9: A cidadezinha de Elora no interior de Ontario

LICAFLORpic-20

Vale muito a pena incluir em seu roteiro um dia para sair do agito turístico de Toronto e visitar uma cidadezinha menos turística e mais rural, que é a cara da província. Entre as várias cidadezinhas pitorescas da região – clique aqui e veja uma lista delas – a minha preferida é Elora, que fica a um pouco mais de 1h à oeste de Toronto. Eu tenho um post super completo com várias dicas da cidade aqui e se você quiser incluir outras cidades próximas e passear mais vale a pena ler este post aqui. E vale falar que na primavera de 2018 o Elora Mill Resort Spa vai abrir depois de muitos anos sendo revitalizado e o passeio pela região certamente ficará ainda mais perfeito.

Estação do ano: qualquer uma.
Dia de semana ou final de semana: final de semana.
Transporte: alugue um carro.

Dia 10: Bicicleta pela Lakeshore

Jojoe_Bike_Lakeshore

O Bike Share é um serviço da prefeitura de Toronto que oferece bicicletas para você usar por 1 dia, 3 dias ou 1 mês, sempre trocando de bike a cada 30 minutos. O serviço era anteriormente chamado de Bixi Toronto e eu tenho um post contando detalhes sobre o passeio aqui no blog (em resumo não mudou muito a maneira de usar o serviço, apenas preço e disponibilidade de bikes que aumentaram). EM resumo você paga CAD$7 por dia e pode usar bikes espalhadas pela cidade de Toronto. Eu não utilizava muito o sistema pois havia muitas poucas estações de bike ao redor da lakeshore, mas isso mudou já que em 2017 a Bike Share TO terá mais 70 estações, com mais 700 bikes, sendo que muitas delas serão na lakeshore. E isso é ótimo e perfeito com o que proponho vocês a fazerem neste dia do roteiro: pegar o passe diário da Bike Share e utilizar o dia para explorar a lakeshore. Eu tenho um roteiro de bike na região neste post aqui e aqui eu falo sobre meu amor pela lakeshore. E tire o dia todo para fazer o passeio: acorde um pouco mais tarde e saia sem pressa, parando em cada cantinho da lakeshore e explorando todos os parques e a vista incrível do skyline de Toronto. Não deixe de incluir o lindo Trillium Park, que abriu em Toronto em 2017. Para almoçar ou jantar há poucas opções mas fica aqui a dica de um pub já perto da Humber Bridge (o Firkin on the Bay) ou o Sunnyside Pavillion Café.

Estação do ano: não dá para fazer este passeio (de dia inteiro) no inverno, mas sugiro incluir a lakeshore no seu roteiro em qualquer época do ano. No inverno faça um passeio curto.
Dia de semana ou final de semana: qualquer dia da semana ou do final de semana.
Transporte: não há a necessidade de alugar carro ou pegar o TTC Day Pass, já que você terá o passe de bike e poderá se deslocar pela cidade a vontade (trocando de bike a cada 30 minutos).

Dia 11: Compras

IMG_8023

Toda viagem só é completa com um dia reservado para compras. E Toronto possui 5 outlets: o Vaughan Mills, o Outlet Collection at Niagara (Niagara Falls), o Toronto Premium Outlets (Halton Hills), o Tanger Outlets (Cookstown) e o Dixie Outlet Mall (há apenas 20 minutos do centro de Toronto, mas eu achei ele super ruim e não indico para ninguém). Minha dica é que você escolha um e fique o dia todo nele.

Estação do ano: se você estiver viajando para cá no inverno o Vaughan Mills é a melhor opção pois é coberto.
Dia de semana ou final de semana: se você tiver flexibilidade deixe para fazer o dia de compras em um dia de semana, pois os outlets tendem a ficar lotados nos finais de semana.
Transporte: todos os outlets ficam afastados e a dica aqui é alugar um carro para não ter que se preocupar com horário de shuttle bus ou ter que carregar um montão de sacolas saindo e entrando dos vários ônibus que você vai ter que pegar para chegar nos locais.

Dia 12: Primeiro dia na região de Niagara

DSC_0564

Sim pessoal, se você vai ficar 15 dias em Toronto eu sugiro que você explore a região de Niagara em 2 dias. Se você for ficar menos pegue as dicas dos dias 12 e 13 e tente fazer tudo em 1 dia. Eu sempre tive a opinião que Niagara poderia ser conhecida em um dia, mas com o passar dos anos fui descobrindo os prazeres da região (culinária, natureza, cidadezinhas) e hoje eu acho que para curtir mesmo o local são necessários pelo menos 2 dias. Neste primeiro dia você irá explorar a cidadezinha de Niagara-on-the-lake, almoçar nas vinícolas, provar (muito) vinho e icewine e passear pela estrada chamada Niagara Parkway (que costeia o rio Niagara e é linda). Não tenha pressa e curta muito o momento. Para te ajudar com o que fazer neste dia eu sugiro os seguintes posts daqui do blog: Muito mais do que Falls e 7 vinícolas para 7 diferentes visitas em Niagara. E vale falar que a região possui hotéis LINDOS e super românticos. Inclusive o melhor hotel do Canadá em 2016 fica na região e o preço é super bom (clique aqui para ler mais).

Estação do ano: lindo o ano todo. O outono para mim é a estação mais incrível na região.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz. Planeje com antecedência a hospedagem se você for ficar um final de semana por lá.
Transporte: alugue um carro.

Dia 13: Segundo dia na região de Niagara

dsc_1714

O segundo dia na região de Niagara terá dois objetivos: conhecer as quedas d’água (e fazer algumas das atrações associadas à elas) e fazer umas comprinhas no outlet de Niagara. Em relação à cachoeira dá para ficar 1 dia inteiro passeando pelo local. Neste post aqui eu tenho uma lista de 10 atrações que você pode fazer na região: escolhe 2 ou 3 e aprecie bastante a região, que é linda. E depois que estiver cansado vá bater um pouco de perna no Outlet Collection at Niagara, que é um outlet na entrada da cidade que é muito bom. Se você não estiver com vontade de fazer compras ou já tiver feito todas as compras que queria a dica é ir voltando para Toronto e passar na cidade de Hamilton, que possui cachoeiras lindas. As cachoeiras que indico a visita são Tews Falls e Webster Falls e eu conto tudo sobre elas neste post aqui.

Estação do ano: lindo o ano todo. O outono para mim é a estação mais incrível na região.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz. Planeje com antecedência a hospedagem se você for ficar um final de semana por lá.
Transporte: alugue um carro.

Dia 14: A linda região de Blue Mountains

Vista linda do topo da montanha...

O passeio deste dia também é lindo e é de uma região a 2h30 de Toronto: Blue Mountains. A dica é que você alugue um carro e faça este passeio que eu chamo de 4 em 1, pois engloba 4 lugares lindos: a cidadezinha de Creemore (e sua cervejaria super famosa por aqui), o parque Scenic Caves (parque de aventuras ecológicas com cavernas e ponte pênsil), a vila de Blue Mountain (que é demais e você pode conhecer mais clicando aqui) e Wasaga Beach (uma praia super popular da província para visitar no verão e conhecer como é uma praia de lago no Canadá). Claro que o roteiro tem que estar super adaptado para a época do ano que você está indo mas dá para curtir MUITO este dia e esta região linda em qualquer época do ano. Sugiro almoçar em um dos muitos restaurantes da vila de Blue Mountain. E se você estiver indo no inverno vale se aventurar e tentar esquiar.

Estação do ano: pode ser feito o ano todo mas deve ser adaptado para a época do ano que você for.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz.
Transporte: alugue um carro.

Dia 15: A despedida com as mais belas vistas da cidade

DSC_0336

O seu último dia em Toronto tem que ser especial… mas também não pode ser muito estressante pois pegar um vôo de 10h não é lá tão empolgante, ou seguir viagem para o seu próximo destino requer um pouco de descanso e organização. Por isso para este último dia na cidade eu resolvi incluir no roteiro alguns lugares com uma vista linda do skyline de Toronto e também alguns parques super gostosos para você curtir a cidade que te recebeu de braços abertos por 2 semanas. Entre os lugares que eu indico estão: Riverdale Park East, Cherry Beach e Polson Pier, Sugar Beach, Riverdale Farm e almoçar na região de Leslieville (algumas opções: Bonjour Brioche, Lil’Baci e La Carnita). A sequência que eu faria seria: 1) começar o dia na Cherry Beach e depois seguir para o Polson Pier; 2) passar pela Sugar Beach para conhecer a região e bater algumas fotos; 3) almoço em Leslieville; 4) Riverdale Farm; e, 5) café e apreciar o final de tarde no Riverdale Park East.

Estação do ano: pode ser feito o ano todo mas deve ser adaptado para a época do ano que você for.
Dia de semana ou final de semana: tanto faz.
Transporte: dá para fazer de TTC mas muito mais viável se você estiver de carro.



  • 7 Responses

    1. Maira disse:

      Gabi, tudo bem?
      Quanto você acredita ser o mínimo para uma viagem decente de 15 dias em Toronto (com visitinhas à cidades vizinhas) e economizando nos transportes?
      Eu acredito que 2.000 dólares (sem contar com hospedagem e passagem, claro). Preciso saber se posso ir com menos. Viajo daqui há 10 dias e não planejei e agora estou no desespero!
      Não quero uma viagem cara com muitas compras, mas também não quero comer fast-food todo dia.

    2. Lia Lúcia disse:

      Achei maravilhoso e pretendo fazer ano que vem, pois minha filha foi estudar em Toronto

    3. Rafa disse:

      Gaby vc sabe se dá pra visitar a univ de Toronto no domingo ?

    4. Potira B R Alves disse:

      Você é mesmo especial Gaby… com certeza ainda vou curtir muito o Canadá, inspirada por seus posts… Deus te abençoe!

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *