A histórica e simpática Petrolia no interior de Ontario

DSC_0211

Hoje eu vou apresentar para vocês Petrolia, uma cidadezinha de 5 mil habitantes que fica a 3h de Toronto, pertinho da divisa do Canadá com Michigan (Sarnia) e que visitamos quando fomos para os USA em julho. O nome da cidade nos chamou a atenção enquanto voltávamos para casa e em uma rápida procura no google descobrimos que ela é conhecida como a “cidade do petróleo na era vitoriana do Canadá” e muitas vezes creditada como a cidade que iniciou a indústria do petróleo na América do Norte. Como estávamos ainda longe de casa e com fome resolvemos fazer um detour e conhecer a simpática cidadezinha.

DSC_0210

A minha história começa em Oil Springs (700 habitantes), onde o primeiro poço de petróleo da região foi descoberto em 1858 por James Miller Williams, enquanto ele cavava um poço para procurar água. A notícia fez com que várias pessoas viessem para a região, incluindo John Henry Fairbank que fundou a primeira empresa de petróleo do mundo, a Fairbank Oil Company. Várias outras pessoas vieram para a região e o petróleo encontrado jorrava a 60 metro e enchia mais de 3000 barris por dia. Mas vale falar que no início a técnica não era tão boa e achei dados que falaram que em um ano (mais especificamente 1862) houve um desperdício de 5 milhões de barris.

DSC_0197

Em 1866 o petróleo foi achado em Petrolia, que fica a 11km de Oil Springs e toda a galera que estava em Oil Springs foi para Petrolia, deixando a primeira cidade literalmente abandonada. Nos anos seguintes a exploração foi muito maior que a descoberta. Outros anos que o petróleo foi descoberto na região foi em 1898 e 1938, mas para vocês terem noção de como a quantidade de petróleo achado não era muita no início eram produzidos 100 barris por dia e algumas semanas depois nem 1 cheio por dia. E eu estou escrevendo isso para contar que Petrolia é considerada a cidade do petróleo muito mais pelo desenvolvimento da técnica de retirar petróleo do solo do que da quantidade achada. Trabalhadores de Petrolia foram para mais de 80 países do mundo para ensinar como extrair petróleo do solo. E dirigindo pela cidade você vê que a maioria das propriedades possui uma máquina para extrair petróleo do solo.

Mas e afinal, o que tem para fazer na cidade? Em primeiro lugar você não pode deixar de ver o Victoria Hall, um edifício lindo de 1889 (construído no meio desta “corrida” pelo petróleo) que é um National Historic Site of Canada e hoje abriga a prefeitura da cidade e um teatro. Na rua principal da cidade – a Petrolia Line – você encontra comércios em construções bem antigas seguidas por muitas casas de estilo vitoriano, lindíssimas. A cidade é super pequena e mesmo assim possui 4 igrejas muito lindas (na foto em destaque está a igreja presbiteriana de St Andrew).

Em relação às atrações voltadas para o petróleo você encontra por lá o Oil Museum of Canada (um museu dedicado ao petróleo e a história da região), o Petrolia Discovery (uma espécie de museu à céu aberto sobre a extração de petróleo, com trilhas e parques, que esta fechado para reforma) e o Oil Well Supply Co Ltd (loja antiga que ainda vende materiais para quem quer fazer a exploração de petróleo na região).

DSC_0192

DSC_0194

DSC_0202

DSC_0205

E por fim vale ainda citar uma curiosidade: há 25 anos atrás havia uma lei que dizia que era proibido “gritar, cantar, assobiar em todos os momentos”. Isso mesmo, até 2009 – quando esta lei foi mudada – era proibido fazer muito barulho nas ruas da cidade. A lei foi mudada e agora é proibido “gritar, cantar, assobiar ou fazer qualquer barulho alto para vender ou fazer propaganda de um produto”. Coisas do Canadá…

Nós não conseguimos bater muitas fotos nem explorar a cidade a pé porque caiu a maior chuva enquanto estávamos lá… mas mesmo assim maridão conseguiu bater algumas fotos e eu não poderia deixar de dar esta dica para vocês. Fica aqui então a dica de um lugar diferente e histórico, pertinho de Toronto. Alguém ai já conhecia ou já tinha ouvido falar de Petrolia? Não deixe de comentar e participar do blog.



  • 1 Response

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *