Nossa passagem rápida – e inesquecível – por Newfoundland

Hoje eu vou mostrar para vocês – mostrar mesmo, com vídeo, texto e fotos – a viagem que fizemos durante o Civic Holiday deste ano para a província de Newfoundland and Labrador, a mais leste das províncias canadenses. A viagem foi possível graças a Loonie Canada – empresa de intercâmbio, relocation e imigração para o Canadá – que topou nos ajudar a explorar esta região fascinante e curiosa do país.

DSC_0785

A província de Newfoundland engloba a ilha de Newfoundland (onde fomos) e na parte continental de Labrador (mais a noroeste). A população da província em 2013 foi estimada em um pouco mais de 525 mil habitantes, sendo que 92% deles vivem na ilha. A província é a mais homogênea do Canadá quando o assunto é linguística: 97.6% dos resistentes falam inglês. Reservamos nossa passagem de ida e volta para St John’s (capital da província) e deixamos para planejar o que iríamos fazer nos 4 dias que ficaríamos por lá mais perto. Quando começamos a pesquisar o que o local tinha a oferecer para visitantes eu comecei a pirar, porque tem tanta coisa linda para fazer e nós tínhamos tão pouco tempo que tivemos que escolher uma ou outra região e já imaginar como seria uma próxima viagem. Nosso roteiro incluiu conhecer St John’s e arredores, a região da Bonavista Peninsula e as ilhas de Twillingate. Deixamos para uma próxima viagem lugares incríveis como o Gros Morne National Park, Fogo Island, L’Anse aux Meadows National Historic Site, entre outros.

DSC_0635

Para mostrar esta cidade para vocês nós resolvemos fazer um vídeo mostrando um pouco de que vimos e vivemos nestes dias. Eu recebo muitas mensagens aqui no blog com pedidos para fazer vídeos e mostrar mais a nossa vida aqui no Canadá e resolvemos passar a postar semanalmente no nosso canal do youtube. Então antes de continuar a ler este post não deixem de seguir o canal do blog no Youtube, o GabynoCanada – GNC. É lá que vocês poderão acompanhar este e outros vídeos das nossas viagens e do nosso cotidiano. Abaixo eu trago detalhes dos lugares que passamos e os minutos onde você pode encontrar estes lugares no nosso vídeo.

Minuto 0:36 – A viagem mais curta que o previsto

FullSizeRender (12)

Antes de eu escrever um pouco para vocês sobre cada um dos lugares que conhecemos eu gostaria de falar que “perdemos” praticamente 1 dia da nossa viagem (que já era curta). Isso porque na sexta-feira – quando iríamos embarcar para St John’s saindo do Pearson Airport de Toronto – 90% dos vôos foram cancelados devido ao mau tempo. E eu nunca vi tantas pessoas em filas em um aeroporto só. Filas e mais filas e o mais engraçado é que todo mundo espera quietinho na fila, mesmo pessoas mais velhas ou com crianças de colo (que teriam preferência). Depois de horas e horas conseguimos remarcar nosso vôo para sábado e embarcamos para um vôo tranquilo de 3h até o ponto mais leste do Canadá – tão leste que o fuso horário lá é de 1h30 a mais do que Toronto.

Minuto 2:20 – Signal Hill

DSC_0558

Estávamos tão ansiosos para chegar que após pegarmos nosso carro nem paramos no hotel e já fomos em direção ao centro de St John’s. Iríamos passar por lá mas é quase impossível não ser atraído pelo belo edifício – estilo castelo – no topo do Signal Hill. Fomos para lá e o lugar é realmente lindo. O Signal Hill é um morro que tem uma vista linda da cidade de St John’s e a Cabot Tower (o tal edifício castelo que eu mencionei anteriormente) foi construído em 1897 para comemorar os 400 anos do descobrimento de Newfoundland. O local é chamado de Signal Hill porque foi o local na América do Norte que recebeu o primeiro sinal wireless transatlântico em 1901. O local é um National Historic Site of Canada e 97% das pessoas que visitam a região vão parar lá (não é por menos, o acesso é fácil e a vista de lá é se tirar o fôlego). Nossa primeira subida no local não foi de muito sucesso porque o tempo começou a fechar, mas depois de algumas horas o tempo voltou a abrir e voltamos para o local para ver um lindo pôr do sol. Vale falar que do topo do Signal Hill você consegue ver um pouco das inúmeras trilhas do local.

Minuto 3:23 – Quidi Vidi

DSC_0521

Fomos parar em Quidi Vidi porque queríamos MUITO comer no restaurante Mallard Cottage, que é considerado um dos melhores do local. Infelizmente (ou felizmente) o local estava fechado para um evento privado, e resolvemos explorar a região com calma. O bairro é um charme e possui um lago, a maior microcervejaria de Newfoundland (a Quidi Vidi Brewing Company) e paisagens de tirar o fôlego. A fome apertou e comemos no Fish and Chips do local, que é maravilhoso. O lugar tem que ser incluído na sua lista de lugares para visitar em St John’s, até porque fica a somente 10 minutos do centro da cidade.

Minuto 4:08 – Cape Spear Lighthouse National Historic Site

DSC_0762

Ta ai o lugar – disparado – mais lindo de St John’s, na minha opinião: o Cape Spear Lighthouse National Historic Site. Fica localizado na península de Avalon a 20 minutos de St John’s e é o ponto mais leste da América do Norte. Um português deu o nome do local de Cabo da Esperança, que em inglês é Cape of Hope e em francês Cap d’Espoir, que acabou virando Cape Spear. O local possui 2 faróis – o mais antigo é o segundo construído em todo o Canadá e data de 1836 – e várias trilhas para você contemplar a região. Eu ainda fico maravilhada quando penso nas belezas que vi no local, que pode ser visto do Signal Hill (quando a neblina permite).

Minuto 7:13 – Centro de St John’s

DSC_0688

O centro de St John’s é extremamente simpático e possui exatamente o formato que eu esperava: casinhas coloridas, morros, muitos restaurantes e o porto. A principal rua para você passear é a Water Street, que possui muitos restaurantes, lojinhas e galerias de arte. Entre os restaurantes está o Raymonds, que já foi considerado o melhor restaurante do Canadá. Eu ainda não acredito que não provamos a comida de lá, mas seria difícil ficar em um restaurante mais chique com um bebê agitado (e além disso não havia disponibilidade de mesa no dia que poderíamos ir para lá). Bacalao é um outro restaurante local e conceituado, que estava fechado no dia que iríamos (segunda-feira). Nós provamos – por indicação do meu chefe – o Salt Water Restaurant e a comida estava deliciosa. Provei o cod tongue, que é uma comida tradicional da ilha de Newfoundland e consiste em pedaços fritos de uma parte do pescoço do bacalhau e tem uma consistência mais rígida (super reprovado!). Provar a culinária local em um dos vários conceituados restaurantes da cidade é uma atividade que você não deve deixar de fazer quando visitar St John’s. Para café a dica é a Rocket Bakery, uma padaria local também na Water Street.

Minuto 4:28 – Clarenville e a região da Bonavista Peninsula

DSC_0878

Confesso para vocês que foi desafiador organizar a viagem. Isso porque inicialmente não havia carro disponível (isso mesmo, ZERO carros disponíveis quando fizemos a busca em várias empresas de aluguéis de carro mais ou menos 1 mês antes da viagem) e nenhum hotel descente disponível também em outras partes da ilha senão St John’s. No fim, depois de buscas diárias por carros e hotéis, acabamos encontrando um hotel com bons reviews e pet-friendly em uma região que queríamos visitar. O trajeto St John’s – Clarenville é de 2h e não há muita coisa para ver no caminho; quer dizer, há muitos lagos na região (aliás, em toda parte da ilha que visitamos) mas fora isso não espere atrações ou até restaurantes. Tim Hortons mesmo só encontramos mesmo já na cidade de Clarenville.

DSC_0923

A Bonavista Peninsula é um lugar relativamente pouco conhecido para o turismo. As comunidades e cidades do local sofreram com o declínio das atividades pesqueiras e o governo provincial está agora focando no turismo local, já que a região é linda e histórica. Dedicamos um dia todo para explorar o local e inicialmente nosso plano era visitar Trinity, Elliston e Bonavista. Trinity – a nossa primeira parada – nos encantou de uma maneira tão grande que passamos a maior parte do tempo nesta cidadezinha do século 18 super preservada e fotogênica. As casas do local são todas de madeira e coloridas, com cercas brancas que parecem ser feitas pela mesma pessoa de tão iguais em toda a cidade. As praias e rochas são belíssimos e o farol de Fort Point aumenta ainda mais o charme da região.

DSC_1180

Depois de Trinity passamos rapidamente pela cidadezinha de Trinity East (bonita mas nada comparado com a anterior), pela ilha de Champney’s West (linda) e pelas vizinhas Port Union, Catalina e Little Catalina até alcançar nosso próximo destino: Elliston. Elliston é super pequena (em torno de 300 habitantes) e lindíssima. O local possui 133 root cellars, que são uma espécie de abrigo para manter os alimentos frescos. Além disso o local é famoso por ter uma península onde você pode ver as lindíssimas aves puffins. Por fim, a região possui uma trilha cênica chamada de Maberly Loop, que é lindíssima. No final já era super tarde e não conseguimos seguir viagem para Bonavista, uma cidade histórica local que parecia linda. Já era tarde e não queríamos nos arriscar no retorno.

Minuto 8:26 – Twillingate Island

DSC_1302

Twillingate Island é uma comunidade a 5h de St John’s, cujas principais towns são Twillingate e Crow Head. O local é conhecido como “The Iceberg Capital of the World”, por ser comum encontrar icebergs na região nos meses quentes. A ilha é toda montanhosa e possui trilhas e cantinhos super fotogênicos. No momento que chegamos no local a chuva começou a cair super forte, tão forte que nem conseguimos sair do carro. Esperamos mais de 1h para ver se passava e nada. O site icebergfinder.com dizia que um iceberg tinha sido visto em um dos cantos da ilha mas não conseguíamos ter a visão do local devido às fortes chuvas e neblina. Infelizmente não conseguimos curtir a região como ela merecia, mas pretendemos voltar para lá para explorar mais o local e quem sabe emendar uma passadinha em Fogo Island (o ferry para esta outra ilha parte bem pertinho de Twillingate).

Espero que tenham gostado do resumo dos locais que passamos nesta viagem linda e não deixem de ver o vídeo com todos estes momentos clicando aqui. Por fim gostaria de agradecer a Loonie Canada por ser nossa parceira nesta viagem e tornar nosso sonho possível. Se você tem interesse em estudar, imigrar ou morar no Canadá entre em contato com a Loonie para saber como tornar também o seu sonho possível.



  • 3 Responses

    1. Marina disse:

      Perfeito Gabi, que lugar lindo! Amei o video!

    2. Caroline disse:

      Lindo Gabi. Parabéns! E amei o canal no YT. Sucesso viu?

    3. kelly disse:

      Que lugar lindo. E a maneira leve que vc escreve dá mais perfeição para o lugar ainda. Parabéns

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *