A importância da cidade para a formação da criança

IMG_1678

Já pararam para pensar que a melhor maneira de aprender o que quer que seja é experimentando? Logo, não existe forma melhor para se tornar um bom cidadão senão explorando e vivenciando a cidade, com suas qualidades e problemas. Parece clichê, mas esta ideia nem sempre é colocada em prática.

Quem tem criança sabe muito bem que no dia a dia, diante de tamanha correria, é mais cômodo deixá-las em casa quando temos algo para ser resolvido na rua. Banco, mercado, lojas, shoppings… Estes locais podem se tornar um verdadeiro caos quando carregamos as crianças conosco. E quando não há jeito de deixar as crianças, a gente tenta entretê-las com brinquedos ou tecnologias para que elas nos permitam fazer o que deve ser feito.

Se você não é um brasileiro que reside no Brasil, some ainda uma desculpa nada esfarrapada: a violência. Infelizmente, sabemos que devido à falta de segurança, sobretudo as crianças brasileiras de classes média/alta estão sendo colocadas em pequenas bolhas. Normalmente suas rotinas acontecem da seguinte forma: casa, carro, escola, carro, casa. Isso quando sua escola e atividades extra-curriculares não acontecem dentro dos seus próprios condomínios. Sendo assim, nossas crianças não conseguem vivenciar o que a cidade oferece e a cidadania vira apenas teoria. Quando pensamos no futuro de uma sociedade, entendemos que esta questão deva ser prioridade.

Se vocês realmente se preocupam com a violência onde vive, não podemos culpá-los. Cabe a vocês balancear os prós e contras, porém hoje, queremos encorajá-los a carregarem mais os filhotes por aí. Por quê? Porque cidadania se aprende na cidade!

Em Toronto temos o privilégio de explorarmos a cidade sem medo (leia mais sobre isso aqui). Sendo assim, as crianças andam pelas ruas da cidade, pegam ônibus, metrô, passeiam de bicicleta e observam. Observam que nem todas as pessoas possuem o mesmo padrão de vida, observam que somos fisicamente diferentes, observam que falamos diferentes idiomas, observam que existe gente sentada na calçada pedindo dinheiro para comer, observam que muitas pessoas têm o costume de deixar para fora de casa objetos que não utilizam mais como forma de doação para que outras pessoas possam utilizá-los, observam jovens, idosos, crianças, observam tudo!

IMG_1618

Como já dizia o nosso grande mestre Paulo Freire: a leitura do mundo precede a leitura da palavra. Com essa inspiração, refletiremos três questões pelas quais a cidade é tão importante para a formação da criança e de sua consciência cidadã.

1º – A cidade é nossa e nós somos responsáveis pelo seu bem-estar

É importante que as crianças saibam que a cidade é delas. Vivemos nela e somos responsáveis pelo que ela se tornará em alguns poucos anos. Esta noção de futuro pode ser um pouco mais complexa para os menores, mas todo pequeno aprendizado e experiência hoje trarão esta compreensão com o tempo. Respeitar as regras, manter a cidade limpa, ajudar quem precisa são nossas obrigações. Não é só o lixeiro que tira o lixo da rua. Vivenciando a cidade, a criança pode perceber que tem um papel ativo nela e que cada um é responsável por cuidar e preservar o local em que vive. É aquele ditado: “O mundo que vamos deixar para os nossos filhos depende dos filhos que vamos deixar para o nosso mundo”.

2º – Viva coletivamente. O mundo vai além do meu umbigo!

Esperamos realmente que você, como adulto, já tenha percebido isto! Mas na primeira infância, é comum que a criança pense que o mundo gira em torno dela. A psicologia chama de egocentrismo. Não se trata de egoísmo, mas nos primeiros anos de vida a criança realmente não consegue, cognitivamente, perceber as vontades alheias às suas. Neste caso, a cidade tem um papel fundamental para que a criança entenda o sentido de coletividade. Compartilhar, dividir, somar, todas essas funções são realizadas diariamente em nossa cidade. Ver pessoas felizes, tristes, cansadas, estressadas… tudo isto fará com que a criança perceba que existem emoções e necessidades além das suas.

Por que o sinal de trânsito faz barulho? Por que o ônibus abaixa para alguns entrarem? Por que existem lugares preferenciais? Por que na nossa cidade existem coisas que não são para criança? Existem pessoas com necessidades diferentes e isto fica muito claro na cidade. Todos vão e vêm e para preservar este direito é preciso garantir que todos consigam se locomover. Aqueles que não enxergam, não ouvem, não andam também precisam passar!

FullSizeRender-(2)

3º – Gentileza. Conviver em sociedade e respeitar as regras

Que maravilha quando recebemos um sorriso de alguém na rua. Um bom dia, boa tarde, boa noite! Quando alguém se oferece para carregar sua sacola ou para pegar algo que caiu no chão, a criança percebe a diferença que uma boa atitude causa no dia a dia e aprende. Sim, gentileza, gera gentileza!

Além da gentileza, a criança também descobre que existem regras. As regras do trânsito são as mais notórias, e as crianças costumam ficar fascinadas com as luzes dos semáforos. E aos poucos elas vão percebendo que há momento para os transportes, para as pessoas e que seguir estes comandos é essencial para o fluir da cidade.

Estas são algumas reflexões, mas entendemos que este assunto é ainda mais amplo e neste texto não conseguiríamos contemplá-lo na sua totalidade. Gostaríamos que vocês contribuíssem compartilhando nos comentários suas experiências e ideias sobre o assunto. Estamos certos que isto enriquecerá ainda mais o conteúdo deste texto.

Por Camilla Cariello (esquerda) e Juliana Braz (direita), mentoras do Projeto Português Lúdico no Canadá

mentoras

Fanpage do Português Lúdico https://www.facebook.com/portuguesludico/
Instagram do Português Lúdico https://www.instagram.com/portuguesludico/



  • 15 Responses

    1. Marina disse:

      Exatamente como eu penso. Adorei

    2. Jullyana disse:

      Oi Gaby gostaria muito que você fizesse um post falando sobre como funciona os hospitais ai principalmente para ter filhos, se é como no brasil que são autorizados muitas cesáreas ou se tem mais parto normal, gostaria de saber se é que nem no Brasil que muitas mães são maltratadas na hora do parto, se acontece muitos acidentes na hora dos nascimentos, pois tenho muito desejo de ter filho no Canadá mas tenho muita curiosidade de saber como funciona o parto nos hospitais, preços e etc… Bjs muito bom o post

    3. Português Lúdico disse:

      Obrigada, pessoal! Continuaremos a falar de criança, com muito amor e carinho, pra esse blog tão querido! Obrigada, Gabi!

    4. Lais disse:

      Gaby, hoje li seu post e hoje tb li essa reportagem da UOL. Vai de encontro com o assunto: http://tab.uol.com.br/criancas-cidades/#pela-cidadania

      Bjs

    5. Ana Regina disse:

      Excelente texto, tudo começa pelo respeito. Já compartilhei!!!!!

    6. Paulo disse:

      Gaby esta de parabéns pelo blog.
      Faz alguns dias que acompanho seu blog, estou montando meu roteiro baseado nas coisas que você posta. Muito obrigado, esta me ajudando demais.

      Gostaria de saber se vc indica alguma operadora de celular (aquelas pré-pagas) pra usar a internet, onde vou ficar tem wifi. Mas… acho que internet na rua me ajudaria mto.
      Vc tem alguma sugestão sobre isso?

    7. Suellen disse:

      Que demais! Amei o post! Bjos

    8. EU sabia que vcs iriam gostar! As meninas do Português Lúdico arrasam!

    9. Pietra Reis disse:

      🖒

    10. Barbara disse:

      Que texto!! ❤

    11. Vivian disse:

      Excelente texto!

    12. Lais disse:

      Texto maravilhoso!!! Amei!

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *