5 mitos sobre o daylight savings

Assim como no Brasil aqui no Canadá é adotado o daylight savings ou “horário de verão” como chamamos por ai. Isso nada mais é do que uma maneira de ajustar o relógio (adiantando os ponteiros 1h a mais do que o horário padrão) para que o dia fique mais longo – especialmente no verão – e energia elétrica seja poupada. Aproximadamente 70 países do mundo adotam este sistema – afetando especificamente cerca de 1.6 bilhões de pessoas – o que significa que 79% da população mundial não sofre os efeitos desta mudança que parece pouca mas afeta muito o sono, a produtividade e a rotina das pessoas envolvidas. Neste final de semana o Canadá “saiu” do horário de verão – isto é, atrasamos os relógios em 1 h – e apesar de teoricamente termos ganho uma hora de sono (digo teoricamente pois com bebê em casa a gente não dorme nunca a mais) estamos com a rotina toda enrolada desde então. E é sobre isso que eu vou escrever hoje para vocês – mais especificamente irei tratar de 5 mitos relacionados à adoção do horário de verão.

Será que estamos realmente economizando energia? Provavelmente não.

Conforme escrevi anteriormente o objetivo do horário de verão é economizar energia, particularmente energia elétrica. Uma revisão de literatura publicada na revista Energy Policy em 2008 avaliou os efeitos da daylight savings no uso de energia na América do Norte. Revisões de literatura são tipos de estudos que compilam vários estudos publicados anteriormente variáveis e objetivos semelhantes para chegam a uma conclusão comum. Estimativas simples sugeriram uma redução no consumo nacional de eletricidade de cerca de 0,5% como resultado da redução de iluminação residencial. No entanto, muitos estudos sugeriram nenhum efeito (ou nenhuma economia), e alguns estudos sugeriram até perdas de energia, particularmente se o consumo de gasolina é contabilizado. Nos estudos há um consenso geral de que a daylight savings contribui para uma redução no pico de demanda de energia elétrica à noite, mas isso é compensado por um aumento na parte da manhã.

Será que uma mudança de 1h apenas afeta meu corpo? Sim.

Não sei quanto a vocês mas eu sempre fico perdida nos primeiros dias pós mudança de horário (seja 1h a mais ou a menos). Agora mesmo escrevendo este artigo para vocês são 6:43pm e parece 10pm… muito louco o que 1h de diferença pode causar. Agora vamos pensar no nosso corpo: o ritmo circadiano – também conhecido como relógio biológico – designa o período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos, sendo influenciado por vários fatores entre eles a variação de luz. Uma alteração de 1h pode parecer pouco mas altera sua rotina e principalmente a distribuição de luz ao longo do dia. Lendo sobre o assunto eu descobri que há estudos que apontam que a adoção do horário de verão está associada à problemas cardíacos, enxaquecas, menos produtividade e depressão. Em relação à este último – depressão – um estudo recente foi publicado no jornal científico Epidemiology mostrou que especialmente a volta para o horário normal pode causar depressão pois está associado a dias mais escuros e ao frio.

É verdade que a adoção do horário de verão aumenta o número de acidentes de carro fatais? Sim.

Estudos mostram que tanto a adoção quando a volta do horário de verão aumentam o número de acidentes fatais. No caso da adoção do horário de verão os motoristas perdem uma hora de sono e somente isso pode ser um fator para causar mais acidentes. E no caso da volta para o horário normal o ritmo circadiano fica alterado – conforme expliquei anteriormente – e isso também pode alterar atenção no trânsito, o que consequentemente leva a mais acidentes.

Todos estão muito felizes com a adoção do horário de verão? Com certeza não.

De acordo com uma pesquisa realizada nos USA em 2014 pela CNN apenas 33% dos adultos americanos acreditam que o horário de verão é útil. Muitas pessoas estão insatisfeitas – inclusive aqui no Canadá – e a cada ano quando os relógios devem ser mudados as matérias nos jornais e TV nunca possuem comentários positivos. Há até mesmo um site – standardtime.com – dedicado a tentar acabar com o daylight savings completamente. Eu, por exemplo, nunca tive nenhum problema com o horário de verão (clique aqui e lei post antigo sobre o assunto), mas agora com um bebê que tem os horários todos regulados eu não estou achando nada legal ter que acordar no meio da noite com um bebê agitado que foi para cama as 4h30pm porque não aguentava de tanto sono.

E como fica a diferença de horário entre o Brasil e Canadá?

Como o Brasil e Canadá adotam horários de verão em tempos diferentes – o Brasil em outubro e o Canadá em março eu sempre me confundo quando teremos 1, 2 ou 3h de diferença. Por isso fiz um resumão sobre as diferenças de horários entre Brasil e Canadá (sempre Brasil com horário a frente do Canadá). O horário que estou levando em consideração é o de Brasília (sei que nem todas as regiões do pais possuem o mesmo horário e nem todas aderem ao horário de verão).

Do primeiro domingo novembro até o terceiro domingo de fevereiro = 3 horas de diferença
Do terceiro domingo de fevereiro até o segundo domingo de março = 2 horas de diferença
Do segundo domingo de março até o terceiro domingo de outubro = 1 hora de diferença
Do terceiro domingo de outubro até o primeiro domingo de novembro = 2 horas de diferença

E agora queria saber de vocês: este post foi esclarecedor? Tem mais algum mito que vocês tem em relação ao daylight savings? E, vocês se incomodam e sofrem com a mudança de horário? Não deixem de escrever deixando seu comentário.

Fonte da foto: freepik.com

You may also like...

5 Responses

  1. Victor disse:

    Tudo bom Gaby,
    Em relação ao horário de verão, eu gosto para aproveitar bem o dia nas férias, que no inverno fica curtíssimo.
    Sei que o post não é de trem, mas sé possível gostaria de saber: vou de trem de Montreal a Quebec, de Quebec vou para Toronto parando 3 horas em Ottawa com troca de trem, tem como sair da estação? E tem guarda volume na estação de Ottawa?
    Vou parar em Ottawa em 24 de janeiro 2017.
    Obrigado

  2. Amei o post Gaby, eu confesso que nunca senti muitas alterações na mudança do horário de verão, e desconhecia todas essas informações. Muito bom saber sobre isso, pra poder levantar discussões sobre a real necessidade do horário de verão, e suas vantagens e desvantagens!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *