Curiosidades do nascimento de bebês aqui em Toronto

Quando o Thomas nasceu tudo foi novo para mim e somente conversando com outras pessoas que tiveram seus filhos no Brasil é que eu pude ver como há diferenças entre ter um bebê aqui no Canadá e um no Brasil. Pensando nestas diferenças eu resolvi escrever algumas curiosidades relacionadas ao nascimento de bebês aqui em Toronto. Obviamente estas curiosidades são baseadas na minha experiência e eu não sei se todos os nascimentos em Toronto são assim, mas mesmo assim resolvi listá-las aqui. Já adianto que gostaria muito de ler relatos de outras mamães que tiveram seus filhos por aqui e tiveram uma experiência diferente da minha; então, não deixe de comentar e contribuir com o conteúdo deste post.

Bebê sempre com a mãe

Por aqui não há berçários e o bebê fica o tempo todo junto com a mãe desde que nasce. Eu tive o Thomas de cesária e após fiquei em uma sala de repouso antes de ir para o quarto em si. Nesta sala de repouso estavam eu, Thomas, minha mãe, Ju e todas nossas malas de maternidade. Quando fomos indicados que poderíamos ir para o quarto perguntamos se eu poderia ir primeiro e depois Ju voltaria e pegaria minha mãe com o Thomas e eles falaram que não: bebê sempre junto com a mãe. E foi assim para tudo durante todos os 4 dias que estivemos no hospital.

DSC_8125

Médico só na hora do push

Não sei como funciona no Brasil mas por aqui o médico só chega na hora que o bebê está realmente nascendo – ou seja, quando a cabeça está saindo. Eu tentei parto normal antes de fazer uma cesariana e durante todo meu trabalho de parto e início da fase de push (quando a mãe faz força para o bebê sair) a médica não estava lá. A médica veio mesmo depois que fiz 1h de push e para decidirmos que iríamos para a cesárea (eu decidi, ela queria que eu tentasse fórceps). Enfim, achei o processo meio estranho e não gostei muito.

GPS no tornozelo do bebê

Logo que o Thomas nasceu eles colocaram um GPS no seu tornozelo e só retiraram quando recebemos alta. Perguntamos o motivo e falaram que era para segurança e que se o bebê chegasse perto dos elevadores e portas de saída estes seriam travados.

DSC_8140

Pediatra só se algo estiver errado no parto

Tive minha bolsa estourada na maternidade e quando estouraram tinha um pouco de mecônio, que é o primeiro cocô do bebê. Este pode ser indicativo de sofrimento fetal. Quando a médica e a enfermeira viram que o líquido da minha bolsa não estava clarinho – isto é, tinha mecônio – elas falaram entre si que iriam chamar o pediatra. Ai eu perguntei: não é comum ter um pediatra quando o bebê nasce? Elas responderam que não, só quando há algo diferente como o mecônio (não usaram a palavra “errado”) ou em casos de cesariana.

Poucos ultrassons durante o pré-natal

Já falei sobre esta curiosidade aqui no blog: geralmente o primeiro ultrassom é feito com 12 semanas e depois há um outro com 20 semanas e pronto. Nada mais. O pré-natal aqui no Canadá é muito diferente do que no Brasil e muitas grávidas brasileiras se apavoram pois é bem mais simplificado.

IMG_1586

Quem dá “a alta real” é a enfermeira

Talvez a afirmação acima possa estar um pouco confusa. O que quero dizer é o seguinte: a médica passa uma vez por dia e vê se está tudo bem com você e o bebê. Se sim ela dá sua alta, mas você só é liberado do hospital quando a enfermeira vem e explica tudo para você, entrega toda a papelada e te libera. Então, por mais que seja a médica que te dá alta você só é liberado do hospital depois que a enfermeira passar e te der todas as instruções.

Os bebês não ganham vacinas na maternidade

Os bebês só são vacinados no Canadá a partir dos 2 meses de idade. No Brasil ao nascer a criança sai da maternidade com a BCG (que não é dada no Canadá ) e a hepatite B (que só é dada aqui entre 12-14 anos, a não ser que se tenha algum histórico ou preocupação). Falei sobre as diferenças entre Brasil e Canadá no calendário de vacinação aqui.

Attachment-1-(13)

Teste do pezinho e teste auditivo

Durante sua estadia no hospital pessoas do Health Ontario vem para fazer o teste do pezinho e teste auditivo no seu bebê. O Teste do pezinho é obrigatório e o auditivo é opcional (os pais decidem se querem ou não fazer).

Gotas de vitamina D durante o primeiro ano de vida

Uma das indicações quando você recebe alta aqui em Toronto é que as mamães devem dar gotas de vitamina D para seus bebês que mamam no peito todos os dias até eles completarem 1 ano de idade. Isso porque a exposição ao sol é reduzida nesta idade – e especialmente em meses de inverno.

d

As enfermeiras checam o bebê conforto e só te liberam depois que vêem o bebê nele

Por fim, antes de sairmos do hospital nós temos que mostrar para as enfermeiras como nosso bebê está no bebê conforto. Elas checam tudo (se o bebê conforto tem os selos de qualidade e se o bebê está na posição correta) e só depois te dão alta.

DSC_8160

You may also like...

28 Responses

  1. Thatiane Furtado disse:

    Ola Gabi, em qual hospital voce teve seu baby?

  2. Alexandra disse:

    Oi Gaby, tudo bem? Eu e meu namorado estamos pensando em imigrar para o Canadá quando nos formamos. Sei que de início não iremos trabalhar na nossa área, mas você sabe quanto seria uma especialização, por exemplo? Na verdade tenho várias perguntas kkk muitas mesmo, é uma coisa completamente nova. Você sabe como poderiamos entrar no plano de saúde do governo? Entre outras coisas… Tudo de bom, abraço.

  3. Emanuel disse:

    Oi gabi, primeira vez no seu site. 😆 Bom, minha mulher ficou grávida agora e não estamos cobertos pela saúde do canada. Saberia dizer quanto custa as consultas e os exames? E onde posso encontrar uma midwife ou uma médica que possa fazer o pre natal da minha esposa? Muito obrigado!

  4. Kelly Fachini disse:

    Gabi ou Alessandra, vcs poderiam me dar mais informações sobre o parteira (midwife)?

  5. Oi Gabi!
    O seu relato foi muito parecido com o meu parto aqui nos EUA, com algumas diferencas claro!
    Adoro o seu blog e amo o Canada! Na verdade o Canada sempre foi o nosso sonho, mas como apareceu uma oportunidade de vir para os EUA, aqui estamos ! Quem sabe um dia passamos para o outro lado da ponte!
    Um grande Abraco
    Juliana

  6. Thiago Rodrigues disse:

    Olá gaby, tudo bem
    Estou me preparando para imigrar para o Canadá e tenho um bebê de 9 meses
    mas quando for ele terá uns 2 anos, gostaria de saber se no frio seu baby fica muito
    gripado ou doente? Porque aqui no Brasil onde eu moro ele fica gripadinho às vezes no pouco
    frio que temos aqui…

    • Ola Thiago. Este ano o Thomas ficou algumas vezes gripado sim. O ideal é comprar uma boa roupa e tentar levar uma vida normal, adaptando o seu filho a nova vida com frio. Thomas era muito pequeno no inverno passado então saíamos pouco de casa. Vamos ver no proximo quando ele terá mais de 1 ano… certamente estarei escrevendo posts a respeito. Obrigada pelo recado

  7. Débora disse:

    Olá Gabi boa noite!
    Eu e meu marido marido estamos planejando ir pro Canadá no fim de 2017. Porém nossa intenção é ir pra imigrar. Vamos com o visto de estudo talvez um curso de ingles iremos fazer, ele já fala fluente e eu estudando ainda. Como seria o processo de ir estudar e conseguir um local pra morar, é fácil conseguir trabalho? Local pra alugar, casa, um quarto? Como funciona?

    • Ola Debora. Com o visto de estudos você não pode trabalhar. Acho que é fácil conseguir sim um local para morar – nos posts de FAQ eu trago alguns sites que podem te ajudar na pesquisa. Boa sorte!

  8. Viviane disse:

    OI Gaby,

    Eu estou procurando uma indicacao para fazer FIV aqui em Toronto. Voce pode enviar pra mim onde voce fez o seu tratamento? Voce foi la direto ou teve que pegar o referral do ginecologista? Obrigada pela ajuda!

  9. Camila disse:

    Gaby,

    Você conhece famílias interessadas em caregivers? sou formada em administração e inglês intermediário, mas sem dinheiro para estudar no Canadá, quero a residência permanente e li que após dois anos, caregivers podem tentar a residência. Como você é mãe, penso que possa conhecer mamães interessadas em babás full time. Obrigada pela atenção.

  10. Alessandra disse:

    Oi Gaby! Muito legal seu post. Acho legal tambem acrescentar que a diferenca comeca logo no inicio da gravidez, quando voce tem que optar entre um medico obstetra ou uma parteira (midwife). No meu caso acabei optando por uma midwife. Em principio queria ter o parto em casa, mas no dia acabei tendo que ir ao hospital porque minha fase de push estava se estendendo muito. Deu tudo certo, acabei nao precisando de nenhuma intervencao e minha filha nasceu de parto normal. Em menos de 4 horas ja tivemos alta do hospital e voltamos pra casa. A experiencia da gravidez no Canada pode soar estranha e muito enxuta quando comparada ao Brasil, mas confio bastante no sistema de saude canadense e posso dizer que estou bem satisfeita com minha experiencia aqui.

  11. Silvia disse:

    Oi Gaby! Muito pertinente seu post! Adorei. Você saberia dizer se por ventura a paciente optar direto por cesárea eles impõe alguma restrição ou resistência? Quanto ao acompanhamento e pré natal, caso solicitemos, é possível fazer mais ultrassonografias do que as duas “padrão”? Não sendo essas ultrassonografias adicionais cobertas pelo governo, saberia dizer o valor dos exames se pagos a parte?
    Obrigada! Beijão para você e baby 😘

    • Ola Silvia. A resposta da sua pergunta 1 é, depende da médica e da sua razão. Acho que se você tiver um bom motivo e explicar bem para a sua médica não haverá restrição. Quanto a US, não há pagos – a não ser os 3D – e se não tiver motivo infelizmente não há como fazer mais. Há clínicas que fazem US 3D e se não me engano custa entre 90-100 cada um. Beijos e obrigada pelo recado

  12. Kelly disse:

    bem diferente aqui do Brasil… E para saber o sexo do bebê, como foi??? Porque com 12 semanas n!ao dá para saber ainda né?? Só esperando até a vigésima??????
    Achei muito legal o sistema do gps, uma segurança muito grande para os pais!!!

  13. Carol disse:

    Muito legal o post Gaby. Acho que vc já leu minha experiência no parto aqui em Mississauga e tudo que vc relatou tb passamos. A minha curiosidade para incluir na lista seria que depois do parto vaginal as enfermeiras (não médicos(as)) vem te checar lá embaixo a cada 3h mais ou menos para ver como está o sangramento e a região, geralmente elas dão um absorvente gigante e uma luva médica cheia de gelo (parece que vai ser horrível mas o geladinho foi maravilhoso e mesmo em casa eu continuei usando). Sobre a vacina BCG eu perguntei ao pediatra de Oliver se eu deveria dar pra ele pois iríamos no Brasil e ele disse que não porque a vacina que existe hoje no mercado não é tão eficaz para a variação da doença hoje. Mas se eu quisesse bastaria levá-lo num posto de saúde no Brasil. E tb o pediatra falou que eu deviria dar a vitamina D para sempre especialmente no inverno, achei exagero… 🙂 bjs

    • Sousa Sousa disse:

      Carol, vc teria outro filho no Canadá ou tentaria vir para o Brasil ?? Eu fico morrendo de medo de acontecer algo com o bebê qdo eu tiver, tenho medo de não saber explicar em inglês o que estou sentindo, etc..

  14. Ana Vidal Henriques disse:

    Olá Gaby,
    Não sei se gostei ou não gostei deste seu post (me desculpe) não pela qualidade dele, claro que não, mas pelo que foi relatado referente ao trabalho de parto, tudo o resto como segurança tanto para prevenir o rapto de bebe como em relação à cadeirinha do bebê achei muito interessante. Mas depois de ler este post e de ter visto seu vídeo no “Fala Maluca” eu pergunto: você aconselha ter filho no Canadá ou se soubesse teria ido ter o Thomas ao Brasil? (claro, Toronto é sua casa,etc…)Mas pela experiência que conheça de familiares/amigas que tenham tido no Brasil. Porque, eu não sou brasileira, sou portuguesa e em Portugal embora o sistema publico de saúde seja bom, eu sempre usufrui do privado e quando o assunto é ter filhos, depois de ter lido relato de várias experiências (inclusive o seu relato Gaby) fico na dúvida se aqui será uma boa opção ou não, pesa o facto de Toronto ser, também, agora a minha casa. Obrigada por ter partilhado sua experiência. Desejo muitas felicidades para sua família amorosa.

    • Ola Ana. Eu teria meu filho aqui sim, e inclusive pretendo ter outros. Problemas podem acontecer em qualquer lugar e acredito que teriam acontecido se eu tivesse tbem no Brasil. Enfim, eu aconselho as pessoas a terem filhos aqui, mas a estarem preparadas pois o processo é diferente. Obrigada pelo comentário

  15. Augusto disse:

    A BCG não é aplicada porque a incidência de tuberculose é muito pequena aqui, e ela também mascara os testes para a doença depois (quem tomou a vacina testa positivo, fica difícil saber se tem mesmo ou não). Se você comenta com o pediatra que vai para o Brasil e que lá a incidência de tuberculose é maior, ele informa sobre os riscos de falso positivo nos testes e te dá a opção de dar a vacina.

  16. Samira Tosas disse:

    Gaby você fez a escolha correta! Tenho pavor de fórceps, ele é a causa de muitas crianças nascerem com paralisia cerebral. Uma pergunta sobre BCG, aqui não aplica? No caso, teria que levar o bebê ao Brasil p recebê -la? É uma vacina muito importante. Beijos!

    • Sim Samira: a médica queria literalmente me cortar toda para “ter um parto normal”. Não dava né? Acho fórceps algo tão primitivo, nem acreditei quando ela me ofereceu. Enfim, página virada… Eles não aplicam BCG não. Acho que teria que vacinar no Brasil sim, mas não sei como (ainda não vi como fazer). Beijos e obrigada pelo comentário

      • Sousa Sousa disse:

        Gaby, mas a médica ao menos respeito o que você quer neh ?? Tenho receio de ter filhos no Canadá e o médico fazer o que quiser e nem questionar o que eu prefiro, por exemplo, um parto fórceps …. Vc ficou quanto tempo esperando até o pessoal perguntar o que vc gostaria de fazer ??

        • Eles respeitam sim. Eu queria parto normal, tentei o push e eles até queriam que eu tentasse um pouco mais mas eu estava muito cansada… Aí me “ofereceram” o fórceps, eu disse que queria cesárea e eles aceitaram, questionaram o porque de eu não seguir o que a médica estava propondo mas aceitaram o que eu queria.

      • Yasmin disse:

        Gabi, tudo bem? Vi que uma pessoa comentou aqui que a BCG “mascara” o teste da tuberculose mas não é bem assim! É só avisar que o bebê é vacinado que até 2 anos após a vacinação o ponto de corte para o teste tuberculinico é 10mm em vez dos 5mm tradicionais. Eles podem ser vacinados com a BCG até os 5 anos – e ela não previne a tuberculose doença mas sim as formas graves (meningite tuberculosa e tuberculose miliar) então pra quem viaja pro Brasil, que é endêmico (acredite, temos MUITA tuberculose) com bebês e com certa frequência acho que vc não erraria caso optasse por vaciná-lo. Beijos!!!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *