Viajando de avião com nosso bebê de 6 meses

Quem me acompanha no Instagram e no Facebook sabe que no início de abril fomos para Miami, sendo esta a primeira viagem do Thomas (vale comentar que iremos para lá muitas vezes pois minha irmã e sua família acabaram de mudar para lá). Desde que marcamos a viagem eu fiquei um pouco apreensiva pois apesar dele ser um bebê sempre feliz e que chora muito pouco eu sempre ouvi histórias que os bebês sentem muita pressão no ouvido dentro do avião, que não toleram muitas horas no vôo e também já presenciei vôos nos quais bebês não paravam de chorar. Mas tinha que ter uma primeira vez, e é sobre ela que irei falar para vocês. Ah, vale falar que desta vez não levamos Jojoe porque ficamos pouco tempo (10 dias).

2016-04-21

O vôo Toronto > Miami tem duração de apenas 3 horas e voamos de Air Canada. Por estar no meu colo durante o vôo o Thomas não pagou passagem, apenas uma taxa de C$30 (geralmente é cobrado 10% do valor da passagem + taxas de embarque para vôos internacionais). Um cartão de embarque foi emitido no meu nome para ele, e o que precisei para fazer a reserva dele foi seu nome e data de nascimento. A maioria dos sites deixam você fazer a reserva/comprar a passagem de crianças online, junto com a passagem dos adultos. Crianças até 2 anos não pagam a passagem completa e acima desta idade o valor pode ser total ou não, dependendo da companhia aérea que você está viajando e do tipo de vôo (doméstico ou internacional). Vale falar que se você estiver reservando sua passagem com milhas tem que ligar para a central de atendimento para reservar a passagem do bebê (não dá para fazer online com a passagem dos adultos). Dá um trabalho pois você deve fazer sua reserva online primeiro, esperar o código localizador ser gerado, ligar para a cia aérea para informar que você quer adicionar um bebê de colo na reserva, e ai pagar a taxa por telefone.

Em relação à viagem em si, em primeiro lugar achei que as pessoas em geral são muito mais simpáticas e prestativas com viajantes que estão com crianças. Isso tanto no check-in quanto na imigração. Fiquei impressionada como todo o processo – que costuma ser bem demorado – aconteceu super rápido e sem nenhum stress. Meu marido até brincou falando que “se soubéssemos teríamos sempre viajado com crianças”.

Fizemos o check-in na Air Canada, pagamos pelas malas (C$25 a primeira e C$35 as demais) e ficamos surpresos que não nos cobraram pelo car seat (ou o bebê conforto do carro). Vale falar aqui que você pode pedir uma sacola de plástico para embrulhar o car seat. Para viajar com o Thomas compramos um carrinho guarda-chuva (este aqui), que por ser mais leve facilita muito toda a chata dinâmica de aeroporto e podemos levar o Thomas até a porta do avião com ele. O carrinho recebe uma tag e não conta como bagagem de mão. Aliás, você tem direito a uma bagagem de mão para seu bebê e uma para você. Ah, e compramos um saco para embrulhar o carrinho que é super barato e ajudou a não destruí-lo já na primeira viagem (porque eles literalmente jogam um carrinho encima do outro na porta do avião).

Attachment-1-(52)

Attachment-1-(53)

FullSizeRender-(4)

Para entrar nos portões há – tanto no Canadá quanto nos USA – uma fila de prioridade para quem tem crianças. Nós nunca tínhamos notado isso e foi ótimo pois a fila normal estava enorme (como sempre).

Attachment-1-(55)

No avião também fomos chamados a embarcar primeiro. Como o vôo era de apenas 3h pegamos um assento comum – nada de primeiro assento com bercinho (se bem que acho que em vôos menores este serviço não está disponível, pelo menos na aircanada). As aeromoças foram super prestativas e inicialmente vieram explicar que para decolagem e pouso o ideal é que a criança fique na posição de arrotar. Também falaram que era para eu colocar apenas o cinto de segurança em mim (não no bebe – achei estranho). Tanto na subida quanto na descida dei para o Thomas sua chupeta (conforme é indicado) para aliviar a mudança de pressão nos seus ouvidos. Durante todo o vôo – tanto na ida quanto na volta – as aeromoças vieram várias vezes perguntar se estava tudo bem, se eu queria algo e eu gostei muito do atendimento. Eu não precisei mas notei que as aeromoças esquentaram água para uma outra mãe e eu achei ótimo. Atendimento nota 10!

Attachment-1-(54)

Agora vou falar do Thomas: ele se comportou muito bem tanto na ida quanto na volta. Ele não chorou (acho que não sentiu tanto a temida pressão nos ouvidos) e dormiu 1h na ida e quase o vôo todo de volta. Nosso vôo de ida saiu ao meio-dia e na volta à noite (9pm) – e eu preferi viajar à noite pois ele estava bem mais calmo e foi mais fácil fazê-lo dormir naquele espaço tão pequeno que é o assento do avião. No vôo de ida eu precisei trocar a fralda dele e achei tranquilo pois a mesa de trocar é bem larga (pequena mas larga). Enfim, a experiência nos vôos foi ótima e eu recomendo viajar com bebês de colo (já que ele só precisa dormir e mamar e é muito fácil distraí-lo com algo simples)… já estamos nos preparando para a próxima viagem no mês que vem!

You may also like...

17 Responses

  1. Maria Fernanda disse:

    Gaby estou indo para Toronto em agosto com meu bebê que terá 5 meses pela air Canadá. Você tem algum post que fala sobre viagens longas? Não encontrei. Queria saber como foi e se air Canadá deixou vc levar o carrinho até a porta do avião e deixou embarcar no Canadá com o car seat sem pagar pois aqui no Brasil falam que pode mas que no Canadá nem sempre autorizam.
    Outra dúvida é sobre como chegar em Toronto com criança, posso pegar um táxi comum sem car seat para ir até downtown? Qual melhor opção de transporte
    Obrigada seu blog está me ajudando muito

    • Ainda não fiz uma viagem longo com o Thomas Maria Fernanda. Sei responder algumas das suas dúvidas: você tem que ter car seat para andar de carro – é a lei. Se você não tiver um sugiro ir para o centro de UP (tem post aqui no blog), mas a melhor opção seria mesmo de taxi na minha opinião. Os voos que fiz foram de aircanada e eles deixam o carrinho ir até a porta do avião (mas tem que ser carrinho pequeno – grande tem que despachar). Sobre pagar ou não o car seat eu ligaria para a empresa aí no Brasil e perguntaria – mais garantido – mas acredito que não paga não. Espero ter ajudado

  2. Fabiana disse:

    Oi Gaby,
    Vim para o Brasil com o meu menino, também de outubro, e algumas coisas que notei:
    * O bercinho vai até 6 meses ou o bebê sentar. O meu engatinha e fica de pé, perdi a oportunidade, e por isso mesmo compramos um assento comum, mas naqueles de 3 lugares. Tinha mais uma pessoa, mas a aeromoça o realocou e ficamos com os 3 bancos pra gente, o que foi ótimo!
    * Estava tensa com a viagem, mas por ser um voô noturno foi bem tranquilo, ele dormiu praticamente e viagem toda. A pressão é notada na descida, estava amamentando e ele não sentiu. Isso é uma dica que me passaram e o atendente falou que era ok.
    * vim com o meu marido mas retorno sozinha, por isso compramos as passagens separadamente. Notei que a disponibilidade de assentos era diferente, mas é por conta da localização de mascaras extras. No lugar que ficamos havia 4 máscaras e não 3. Quando você informa que viaja com infant o site dacAircanada já seleciona lugares apropriados. Achei super legal!
    * Não trouxe meu car seat pque tenho amigos que me emprestaram aqui e como volto sozinha, é um item a menos para transportar. Nesse caso contratamos uma empresa para nos levar até o aeroporto que oferece o car seat e enviou um carro bem grande para carregar toda a bagagem. As empresas de taxi de Toronto não oferecem car seat.

    Agora é torcer pra que a volta seja tranquila também…
    Beijos

  3. ana disse:

    Olá,
    Estarei em Montreal, Toronto e Niagara com meu filho de 2 anos e 5 meses, em julho. Você tem dicas de algo imperdível para esta idade?

    • Em Toronto acredito que o Aquário ele vai adorar. Ainda “descobrindo” a cidade com bebê. Indico o blog da Livi (baianos no polo norte) para você ver mais sobre Toronto com crianças.

  4. Bruna disse:

    Oi Gaby, o pagamento pelas malas foi porque vocês excederam o numero de malas por pessoa? Ou voces pagaram pela mala do Thomas?
    Bjs

  5. Livi disse:

    Oi Gaby,
    Adorei ler sobre a primeira viagem do Thomas e as diferenças que vocês estão notando agora.
    Sobre o saco que vocês compraram para o carrinho, tem um para o car seat também e outra marca que tem alças, tipo uma mochila, que facilita na hora de carregar, eu indico. Uma vez o car seat da Sophia chegou imundo porque o saco lascou. 🙁
    Beijos

  6. Debora disse:

    Oi gaby!!!
    Hoje estou voltando de Toronto pro Brasil. Na fila do embarque vi uma família com uma menininha e o mesmo carrinho tipo guarda chuva que você colocou nesse post (g-lite ne?). Ele parece ser realmente bem pratico. Durante o tempo que estive no Canadá e ano passado quando fui para NY, percebi que as mamães tem usado bastante essa marca uppababy para carrinho.
    Vi num outro post seu que vc havia comprado o modelo vista pro Thomás antes certo?!
    A minha pergunta é: o primeiro carrinho (vista) não pode ser levado como bagagem de mão como esse outro carrinho guarda chuva?
    Outra pergunta: o que pesou mais pra escolher o vista e não o cruz? Estava olhando o site da uppababy e vi que o vista vem com o Moises e o Cruz vem com os outros dois assentos, mas o vista eh um pouco menor em tamanho.
    Adoro essas coisas relacionada a bebes e estamos pensando em ter um filho.
    Obrigada!!
    Bjs Debora.

    • Olá Débora. Sim, as mamães canadenses usam muito esta marca e eu estou adorando. O Vista é maior que o Cruz e as rodas são maiores para andar no inverno. O que pesou foi que podemos adicionar um outro assento no Vista, e quando tivermos (se tivermos) outro filho não iremos precisar de outro carrinho. E o vista não pode ir até a porta do avião, por isso compramos o g-lite. Ainda, eu e meu marido somos bem altos e acho que o Vista fica bom pra gente (é um carrinho alto). Acho que é isso! 🙂 beijos

  7. T disse:

    Oi Gaby, adoro seu blog! 🙂
    Vc teve o Thomas de parto normal ou cesárea? procurei algum post a respeito e não encontrei, apenas a referência ”induzir o parto”.
    Queria saber se eles fazem sempre parto normal ou se pode marcar cesaárea tb.
    Beijos

    • Olá,
      No post de 1 mês do Thomas eu falo um pouco sobre isso. Em resumo tentei parto normal mas tive que fazer uma cesárea de emergência. Os médicos só marcam cesárea quando há necessidade ou um bom motivo para tal. Mas acredito que se você não quiser parto normal de jeito nenhum eles não vão te obrigar… Beijos

  8. Helena Mendes Constante disse:

    VEM VIAJAR PRA CONHECER A TIA LENA E O TIO LEO!!!

  1. 20/09/2016

    […] preocupada com o avião (a nossa primeira experiência foi compartilhada com vocês neste post aqui). Ao mesmo tempo era o primeiro vôo longo que ele ia fazer – as outras 3x tínhamos ido para […]

  2. 17/12/2016

    […] 3. Viajando de avião com nosso bebê de 6 meses […]

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *