Dicas de como aproveitar o Toronto Nuit Blanche

IMG_7654

DSC_7078

Quem me acompanha no instagram sabe que sábado de madrugada eu e o maridão fomos nos aventurar pelo Nuit Blanche, um festival de arte que aconteceu durante toda a noite do dia 4 de outubro e madrugada do dia 5 de outubro, que conta com diversas exposições por todo o centro de Toronto. Em 2014, 130 projetos de arte criados por quase 400 artistas foram expostos. Este já é o meu quarto Nuit Blanche, e posso dizer que finalmente consegui aproveitá-lo como ele merece. Por causa isso – e para ajudar aqueles que certamente irão visitar as próximas edições do evento – selecionei uma lista de dicas de como curtir o Nuit Blanche e junto com elas estarei falando um pouco da nossa noite.

**Quero deixar registrado aqui meu super obrigado pro meu maridão, que além de ser um super companheiro está batendo fotos LINDAS. É ou não é talentoso esse meu amor? Obrigada!

1. Planejamento

Para curtir o Nuit Blanche você tem que planejar sua noite. Não dá para ficar andando na rua em busca das obras porque elas estão espalhadas pelo centro de Toronto (que é enorme). Também não dá para seguir a multidão, já que a cidade estará toda cheia. O jeito é entrar no site do evento e pesquisar um pouco sobre as obras e escolher umas 4-5 que você pretende ver (eles tem um app no website para você marcar as exposições que quiser assistir e pode acompanhar via google maps aonde elas estão). Certamente ao redor das escolhidas você vai encontrar muita coisa legal e ai vai acabar curtindo bem o evento.

Neste ano eu escolhi como minha principal obra – ou aquela que eu queria ir a qualquer custo – o Walk around World, uma exposição na qual o artista Máximo González (do México) trabalhou com 7000 globos terrestres plásticos e montou túneis e arcos no meio de um jardim perto da Spadina Avenue. Ali perto vimos também o Made in China, uma parede cheia de roupas cobrindo a fachada de um edifício em Chinatown, e o Global Rainbow, 7 raios laser representando as cores do arco-íris que saíram de um edifício de Chinatown e foram até a CN Tower, passando por mais de 60 km. Vale falar que a Spadina Avenue ficou fechada e foi ótimo poder caminhar por lá e curtir o movimento da cidade em uma noite cheia de arte.

DSC_6764

DSC_6766

DSC_6771

DSC_6785

DSC_6791

DSC_6856

DSC_6859

Também escolhi uma arte super dramática, chamada de Between Doors, que estava sendo exibida no Fort York. Nesta obra (também considerada uma pesquisa sociológica), o público é confrontado por uma série de portas que mostram a evolução sobre a natureza da escolha. O intuito da exibição era que as pessoas refletissem sobre: “O que é escolha?”, “Nós somos a soma das nossas escolhas?”, e “Será que estamos no controle das escolhas que fazemos, ou é a escolha apenas uma ilusão?”. Enfim, super diferente e adorei. Havia outras exibições no Fort York mas esta foi a mais popular.

DSC_7039

DSC_6977

DSC_6989

DSC_7009

DSC_7027

DSC_7045

Por fim eu escolhi uma arte super “nervosa” chamada de Holoscenes, aonde artistas ficavam fazendo várias performances dentro de um tanque com 12 toneladas de água. Vale falar que o tanque enchia e esvaziava – em 1 minuto. Super diferente, mas super nervoso.

DSC_7139

DSC_7126

DSC_7143

2. Transporte Público

Conforme disse anteriormente, a Spadina Avenue estava fechada para carros. Além dela, outras ruas como a Queen Street também ficaram fechadas. E isso resulta em muito caos no trânsito. O Nuit Blanche é um evento para ser visitado de transporte público, e para isso o metro ficou aberto durante toda a madrugada (geralmente ele fecha em torno de 2am). O TTC vende todos os anos um passe diário ($11) que dá direito a 2 adultos + 4 crianças utilizarem todos os transportes (metro, streetcar, ônibus) durante o sábado até domingo de manhã. Uma ótima maneira de curtir Toronto e o evento como eles merecem.

photo-(1)

3. Conhecer uma Toronto diferente

Uma coisa é passear por Toronto de dia, quando há carros nas ruas. Outra é caminhar pela cidade em uma noite de Nuit Blanche, aonde as ruas estão repletas de pessoas, os restaurantes lotados, muita música, muita arte… é uma experiência incrível. Eu confesso pra vocês que amo andar pela cidade durante o Nuit Blanche e esse é um dos motivos que faz o evento ser tão especial, na minha opinião.

DSC_6739

DSC_6796

DSC_6818

DSC_6874

4. Food trucks

Durante o Nuit Blanche vários food trucks ficaram espalhados pelas ruas de Toronto (parece até um food truck festival) e como nós somos fãs dos petiscos feitos e servidos nos caminhões não pudemos deixar de comer pelas suas estas gostosuras. Escolhemos tacos de frutos do mar do Buster’s Sea Cove e churros do I Love Churros. Se você quiser saber a localização de food trucks em um dia regular, clique aqui.

DSC_6898

DSC_7100

5. Perguntas frequentes

Muitas pessoas me perguntaram qual era o melhor horário para ir. Nas outras edições fomos cedinho (7pm) e nos arrependemos – muito lotado. Desta vez saímos de casa umas 9pm e, apesar de ser ainda cedo, achamos mais tranquilo. Lemos que o melhor da festa acontece as 2am, mas como já somos um casal idoso chegamos em casa às 3am (o que é muito muito tarde para nós).

Uma outra pergunta é quanto ao clima. Em todas as edições que fomos – inclusive na de 2014 – estava frio, muito frio. Coloquei 2 calças, bota, casaco, luva e cachecol. Foi suficiente pois estava 7C. Uma dica importante: sempre que tiver um Nuit Blanche coloquem muita roupa para poder curtir a noite sem se preocupar com o frio.

Espero que tenham gostado do post e se viram algo legal nesta noite me escrevam, vou adora ver o depoimento de vocês. Beijos

DSC_7162



  • 13 Responses

    1. Adorei!!! Que incrível, né? Nossa, amei o que vi nas fotos. Adorei Walk around world, as fotos ficaram sensacionais (Ju tá mandando bem demais!!).
      Atenção especial aos Food trucks, diliçaaaa! hehehe
      Beijão

    2. Juciara Espanha disse:

      Gaby, mais uma vez você se superou! Lindas fotos (parabéns maridão da Gaby) e dicas maravilhosas! Louca para participar de um Nuit Blanche, quem sabe em 2015! Bjs

    3. Thais disse:

      Gaby, parabéns pra vc e para o maridão pelas lindas fotos! Foi o nosso primeiro ano e não imaginava que o evento seria tão popular. O frio realmente não espantou ninguém. Amei a exposição Between Doors! Que pena que não nos vimos, de vez em quando eu procurava por vc pra te dar um abraço apesar de vc nem me conhecer! Hihihi beijos

      • Ah Thais, poisé não nos encontramos – e olha que não seria impossível de nos encontrarmos, apesar das ruas estarem lotadas né? Eu encontrei dois leitores do blog e foi super legal receber o carinho deles! Quem sabe não marcamos um dia algo? Beijos e obrigada pelo recado!

    4. Marina Moscardini disse:

      Olá, Gaby! Conheci seu blog há pouco tempo e confesso que já estou quase acabando de ler todos os posts. Primeiramente, gostaria de parabenizá-la por um trabalho tão bem feito. Seu blog é rico em detalhes e informações, as fotos são perfeitas. Fica impossível não se apaixonar ainda mais por Toronto! Ano passado eu e meu marido fomos para Toronto em nossas férias e passamos um mês estudando inglês e conhecendo a cidade, claro. Fomos no fim de setembro e pegamos esse festival. Não passeamos a noite toda, pois tínhamos passado o dia em Niagara e estávamos cansados, mas pudemos sentir um pouco desse evento tão bacana. Hoje, um ano depois, acho que a nossa única certeza é de que queremos voltar e quem sabe até morar aí. Ficamos completamente apaixonados pelo Canadá e estamos começando a procurar oportunidades para quem sabe um dia nos mudarmos para essa cidade que tanto amamos. Parabéns pelo blog e pela conclusão do seu mestrado. Grande beijo

    5. Fran disse:

      Oi Gaby! Fico impressionada com tantas informações validas que vocês(tu e o marido) trazem para o blog! Espero um dia conseguir fazer um trabalho parecido! Amei o evento, e a obra Walk around World, quando colocasse no Insta fiquei de cara! Hehehe… Espero um dia estar em Toronto na época da amostra! 🙂
      Beijinhos!

    6. Andrea disse:

      Eu e meu marido vamos todos os anos e adoramos apesar de achar que esse ano tinha menos obras que o ano passado.. talvez por estarem mais espalhadas, e muito mais multidao.. nao me animei em ficar nas filas das exposicoes mais famosas. Mas a minha favorita foi sem duvida o laser indo ate a CN Tower. Deu um UP geral no evento..

      • Ola Andrea, você achou? Eu achei que estava mais espalhado mas como nos planejamos conseguimos ver bastante coisa. Enfim, amo todos os anos pois é uma oportunidade de curtir a cidade de uma maneira diferente e bater fotos lindas! Beijos e obrigada pelo recado

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *