Fluência

DSC_7081

A linguagem é a principal característica que distingue o ser humano das demais espécies. As diferentes línguas, idiomas e dialetos que existem no mundo me intrigam um pouco, especialmente vivendo neste centro multicultural que é Toronto. Há um pouco mais de 1 bilhão de pessoas no mundo e apesar do Inglês ser apenas a terceira linguagem do mundo com maior número de falantes nativos (depois do Chinês Mandarim e do Espanhol), a língua Inglesa detém a pole position no que se refere à língua mais falada no mundo. A gente sempre acha que se fala inglês consegue se virar bem em qualquer parte do mundo, não é mesmo? O Inglês é a língua de ligação entre os diferentes países, culturas e negócios pois é a única que pode ser usada em qualquer lugar do mundo inteiro, inclusive na web. E quando o assunto é falar outras línguas, a fluência é uma característica que deve ser levada em consideração.

Fluência oral é o aspecto mais importante da
habilidade lingüística. Refere-se à continuidade
de produção oral e intelectual da pessoa e reflete
sua capacidade funcional quando interage em
ambientes da língua e da cultura em questão.
Representa um grau inverso ao número de
interrupções, idéias não concluídas, falta de
clareza e constrangimentos causados por diferenças
culturais. Embora dependa de habilidades específicas
como pronúncia, familiaridade com estruturas
gramaticais e vocabulário, pode também ser
influenciada pelo grau de interferência da língua
materna e falta de familiaridade com a cultura, bem
como por fatores psicológicos como inibição,
perfeccionismo (excessiva preocupação com a forma em
detrimento do conteúdo), preconceito lingüístico, etc.
A fluência é difícil de ser medida e qualquer método de
avaliação será inevitavelmente subjetivo em grande parte.

Todos devem achar que eu falo fluente inglês, já que estou há quase dois anos aqui no Canadá: estudando, lendo, escrevendo, trabalhando e falando (muito) em inglês. Eu falo bem, entendo (quase) tudo, escrevo melhor que falo, mas não me acho fluente. Fluência é muito mais do que você falar, entender e ser entendido, está associada a falta de sotaque e a falar uma língua dentro de sua cultura, usando o dialeto local e os costumes da região. Como a citação acima diz, a fluência é difícil de ser avaliada e geralmente esta avaliação é subjetiva. Portanto, na minha opinião, ainda falta muito para eu ser fluente (e isso as vezes me incomoda).

Pra mim, há dois tipo de inglês: o inglês do cursinho, e o inglês da vida real. O inglês da vida real é o inglês verdadeiro, e é aquele que você coloca em prática o que aprendeu e gastou milhares de reais no cursinho. Acho que os cursos de inglês são válidos (especialmente quando feitos fora do Brasil), mas pra começar a ter fluência, pra você ter uma conversa produtiva com Americanos nativos, você precisa conviver com a língua, passar trabalho, vergonha e meter a cara: falar, falar, falar, usar gestos e mímicas quando a palavra não vem, falar e falar.

A tendência dos Brasileiros fora do Brasil é viver em bandos, ou seja, quando você encontrar um pode ter certeza que 10 virão atrás. Por exemplo, quando alguém está num curso e acha um Brasileiro corre pra grudar nele (segurança? incerteza?) ou quando você está num passeio e encontra algum Brasileiro parece que tudo tem uma cor diferente, tudo fica melhor, não é verdade? Comigo aconteceu isso várias vezes! O legal é você procurar ter amigos/conhecidos/namorados nativos em inglês e falar-falar-falar… no caso dos Canadenses, eles são super abertos e te corrigem de uma maneira positiva, além de fazerem esforço para te entenderem.

Eu sei que quero melhorar minha fluência… já que não vou trocar de marido, não troco minha amigas Brasileiras por nada neste mundo, não tenho tempo pra fazer mais curso de inglês, e não tem como falar mais no meu trabalho (senão serei despedida, eu já falo demais), o jeito é buscar novos ares canadenses e fluir por outras bandas…



  • 5 Responses

    1. Patricia disse:

      Ai Gaby! Se vc naõ fala fluente imagina nós.. Pretendo ir para Toronto em Maio / 14 , meu inglês é só de cursinho escrita e gramática…Não falo quase nada, imagina o MEDO.O duro q vou ficar só 3 meses, mas se precisar fico mais um pouquinho… Vamos ver… AH !!! já ia esquecendo … ADORO suas postagens. Vc nos AJUDA muito. MUITO OBRIGADA Gaby.

      • Gabriela disse:

        Ola Patricia…. para mim fluência não é falar inglês perfeito, mas entender a cultura do local, as girias, etc… agora estou melhor, mas longe de como quero estar! Obrigada pelo recado e pelo carinho. Beijos

    2. Com já se passaram mais de um ano deste Post sua fluência deve ter melhorado tenho certeza!!!Admiro muito seu esforço e competência. Vc é um orgulho para nós. Te amo. Bjs

    3. Liane disse:

      i cant say hello!!!! rsrsrsrsrsrsrs
      bjs gaby!

    4. Leide Lima disse:

      Hhahah fantastico post!!!! E a mais psura verdade….qdo agente encontra alguem da nossa nação fora, parece que tem uma cpr diferene mesmo!! Heheheh mas engraçado, como moro em portugal, não gsto mt de encontrar brasileiros…hehehehehe mas qd viajo, eh sempre gostoso!!! Hehehheh

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *