Decisões

Certo dia li no facebook (aquelas frases que as pessoas colocam aleatoriamente, sem destinatário e, na maioria das vezes, sem nexo): “Nós somos a soma das nossas decisões”. Adorei (e concordo plenamente!)… por isso eu acabei escrevendo-a no meu mural – faço sempre isso quando quero me lembrar de algo depois – e lá ficou… até hoje!… quando, ao sentar para estudar, dei de cara com a frase escrita de lápis, quase já apagada. E foi perfeito!

Eu não tenho medo de fazer decisões, não importa quais sejam. Isso pode ser um ponto positivo e, muitas vezes, negativo. Na parte profissional, não hesitei em escolher minha profissão, em montar meu consultório logo após formada, não pensei duas vezes em fazer 2 cursos de especialização e mestrado… ah, e também decidi rápido que queria meu doutorado no exterior. Do lado pessoal não foi diferente: desde o primeiro momento que beijei meu marido (7 de dezembro de 2003) eu vi que ele era diferente, especial… e desde então eu “decidi” fazer tudo certo…

Claro que as decisões não acontecem sozinhas… quando eu digo que “eu” decidi fazer o doutorado fora, obviamente eu contei com o apoio da minha família e de amigos… E confesso que é preciso estar ao lado de pessoas fortes, equilibradas e que te conhecem por completo para você fazer ótimas (e sábias) escolhas.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma escolha, estamos descartando outra. Lembro de quando era pequena e meus pais perguntavam o que eu queria de Natal: eu deveria escolhar um presente ou o outro. E de opção em opção vamos evoluindo e construindo a nossa vida.

Eu confesso que fiz muitas poucas escolhas erradas na minha vida (se bem que é difícil saber o que teria acontecido se tivessemos escolhido o outro lado)… Porém, se levarmos em consideração o lado matemático, todas as nossas escolhas tem 50% de chance de darem certo e 50% de chance de darem errado. Não dá pra prever o que é bom ou ruim pra gente… mas também não dá pra ficar esperando a vida passar e não arriscar.

Escolher faz parte da vida e estou muito feliz com a “nossa” escolha!

Foto tirada em 9 de novembro de 2011, as 8h30am, do 9 andar da Robarts Library (UofT). Vista da “nossa” cidade.



  • 4 Responses

    1. Gabriela Heringer disse:

      ei gabi, além dos nomes em comum eu tbm amo de paixão Toronto e sinto mta saudade qndo vejo seus posts! Parabéns pela sua história e carreira e CORAGEM! Apesar de não conhecer vcs, axo lindo o apoio do seu marido na sua trajetoria! Muito sucesso para você! Espero um dia ter a oportunidade de conversar com você sobre como foi o processo de ida para Toronto e como fazer essa façanha

    2. Debora Melo Loch disse:

      Gaby, como uma amiga muito sábia sempre diz: tudo está justo e perfeito como está. Tomaste uma decisão? Estão esta é a decisão correta. É a única escolha que poderias ter feito no momento, ou seja, com a cabeça e os projetos que tens hoje. Sejam felizes os 3!
      Bjs,

    3. Letícia Giacomin disse:

      Acho que, apesar da distância e da saudade, essa foi um ótima decisão que vc tomou, Gaby. Estudar numa universidade renomada, trabalhar com pessoas de alto nível de conhecimento e que podem te acrescentar muito quanto profissional (e também como pessoa) são fatores decisivos para que a sua carreira seja cada dia melhor. Aliado a tudo isso ainda tem a melhora significativa na qualidade de vida, outro ponto muito bacana de se morar no exterior. Tenho certeza de que vc vai brilhar muito aí, dinda! Pode apostar no que estou dizendo!
      Beijo enorme e com muita saudade!

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *