Sobre o “se dar bem”

Hoje eu preciso falar de um tema delicado: o relacionamento entre as pessoas. Delicado porque cada pessoa é única e possui suas idéias, crenças e sentimentos. Mesmo duas pessoas super parecidas podem possuir diferenças marcantes ou estar em estágios diferentes da vida.

O que acontece comigo é que “eu me dou bem com todo mundo”, seja por obrigação (porque tem gente que somos obrigados a aturar, não é mesmo? hehehe), seja por educação (pessoas que se mostraram outras depois de um período) e aquelas que são legais (as quais, graças a Deus, o mundo está cheio!).

Este “se dar bem” é relativo: eu posso me dar bem com muitas pessoas, conhece-las, compartilhar alguns momentos e tê-las no meu orkut ou facebook. Mas amigos, aqueles que te conhecem, te respeitam e querem seu bem, esses são poucos. O engraçado disso tudo é que existem pessoas que te apoiam, que conseguem te fazer feliz e você não possui um convivio com elas. Aqui no blog eu recebo recados maravilhosos que vejo que são do fundo do coração. Pessoas que te querem bem e estão felizes com o seu sucesso. Por outro lado, eu fico extremamente triste e desapontada com certas atitudes e, indignada, com o descaso e a falta de consideração de algumas pessoas (não só comigo, mas com outras ao meu redor).

Estou num estágio da minha vida que preciso ser esposa, professora, pesquisadora, aluna de Doutorado, orientanda, mãe de cachorro, filha, irmã, nora, neta de uma avó que está doentinha e amiga. O problema (e, pra mim, é um grande problema) é que focando minhas energias pro estudo eu não consigo me dedicar 100% as tarefas familiares: infelizmente não consigo ser a esposa perfeita, a mãe de cachorro que eu queria, a filha que mora no outro país mas está sempre em contato com os pais, a irmã que mora fora mas sabe de tudo da ua vida da sua irmã, a neta que ajuda a avó no que ela precisa (quando ela mais precisa) e a amiga que você pode contar em todas as horas. Neste caso, sei que meus pais, sogros, avó, irmã e familiares entendem isso… mas o problema é que certos amigos não entendem! E é ai que entra o que estou querendo escrever: é importante respeitar a individualidade de cada um e o estágio da vida que a pessoa está. Só assim conseguiremos nos dar bem, respeitar uns aos outros e viver em harmonia.

Fica a dica! Bom início de semana!



  • 9 Responses

    1. Fê Pires disse:

      Gaby, sei bem o que você quer dizer, acabei de passar por isso. As vezes fazemos o nosso melhor para atender a todos no meio de tantas coisas a fazer, no pouco tempo que nos resta do dia, da semana ou do mês, mesmo assim muitos não entendem o esforço. Fazer doutorado além de consumir muito de nosso tempo e de nossas energias, não é uma tarefa fácil, e não é só isso ainda tem os afazeres domésticos, marido, família, amigos…te admiro por ainda conseguires manter o blog e estar sempre presente nas redes sociais…sinto você muito perto apesar de estar longe. Sucesso e força para superar qualquer dificuldade que apareça nesta sua caminhada, pois um dia você vai ver que valeu a pena. Seus amigos de verdade irão entender sua ausência, e estarão sempre torcendo por você. Beijo grande, Fe.

    2. Gabriela disse:

      ADOREI ADOREI os recadinhos! Todas vcs são muito especias!
      Beijos

    3. Carophyna disse:

      Eu sei q estou mto mais perto de Floripa do q vc, mas tb sinto a maior dificuldade em me desdobrar em mil e ver td mundo q eu gostaria em dois dias do final de semana… enfim, a gente tem q ficar c a cabeça tranquila e pensar q estamos fazendo o melhor possível!
      Dá uma olhadinha nesse link:
      http://clarissacorrea.blogspot.com/2011/08/o-que-casa-oferece.html
      Bjs

    4. Letícia Giacomin disse:

      Gaby, o fato é que mesmo quando tentamos agradar a todos, isso nunca será possível. Por mais perfeita que sejamos, por mais correta e mais justa, sempre haverá quem vai nos apontar o dedo e enumerar mil defeitos – porque, sim, os defeitos sempre se sobressaem às qualidades na visão desse tipo de pessoa. Life’s a fact… isso sempre vai ocorrer. Cabe a nós filtrarmos as críticas relevantes e que realmente fazem sentido/importam na nossa vida e deixar de lado e tentar abstrair um pouco dessas críticas destrutivas, que só nos fazem mal e nos colocam pra baixo.
      É tão visível o quão corrido está sendo a tua vida aí, quem é teu amigo de verdade e se preocupa contigo percebe isso lendo um post. Aliás, lendo o seu blog dá pra saber mais de ti do que em um telefonema, ou seja, você mantém contato por aqui e sei que não preciso te escrever um email por semana perguntando como vc está, basta entrar aqui, ler o seu diário e comentar que pela sua resposta podemos conversar. Gostar de alguém e se preocupar com ela não significa ligações diárias, emails, cartas, sinais de fumaça – o mais importante é saber que cada um tem seu tempo e seu espaço, isso sim é se preocupar de verdade, ser amigo e entender. Saber que agora precisas de um apoio e espaço para que possas colocar o estudo em dia e a casa em ordem (e, prima, sei que essa vida acadêmica não é moleza. deusulivre, já nem penso mais em doutorado! o mestrado já tá me consumindo! hahahaha). Acho que o mais importante é a compreensão.
      As pessoas adoram nos cobrar coisas e se esquecem de que nem sempre eles nos fazem o que nos cobram. Não ligue, Gaby. Você sabe que aqueles que realmente gostam de ti e se preocupam contigo vão estar te apoiando quando tudo isso passar para comemorarem juntos, esteja certa disso!
      O mais importante é: sabes que, se precisares, estarei aqui sempre.
      O resto a gente tira de letra 🙂
      Fica bem! Estou com muiiiiiiitas saudades, mas sei que estás feliz!
      Beijo grande

    5. Ane disse:

      Gabi queridona… esses sentimentos acho eu que estão presentes em todas as cabeças.
      Sempre queremos agradar mais, fazer mais, ser mais.. e sempre mais… em tudo!!
      Esses dias ainda conversei com uma amiga sobre isso. Muitas vezes nos cobramos demais, de nós mesmas!! Também estou aprendendo a me cobrar menos!
      E se alguem fica te cobrando algo q vc sabe que está fazendo seu melhor, continue a fazer o seu melhor, e se a(s) pessoa(s) ainda acha(m) que não é suficiente, paciência! Esse é o seu melhor! Cada um teu o seu! Adorei teu post!
      Fique bem aí! E quem realmente é seu amigo, e te quer bem, entende mto bem e sabe muitíssimo bem que vc SEMPRE está fazendo o seu melhor. Em tudo!
      Bjos com muito carinho e saudade
      Ane.

    6. KIKI disse:

      Gostei muito da sua colocação Gabi. Muitas vezes as pessoas nos cobram sem ter noção do quanto nós nos cobramos antes e isso parece tirar nossas forças ne? Não sei se me expressei direito, mas vc com certeza transcreveu o que já senti e sinto mts vezes…e nunca deixe que isso te tire o fôlego…repira fundo e siga em frente!!! Sucesso sempre linda…sua luz nunca se apagará! Sinto felicidade mts vezes pelo que vc vive e registra em seu blog…e isso me faz mt bem…Que Deus abençoe vc e este seu dom de transmitir felicidade…bjs

    7. Alice Linck disse:

      Gaby, sabe o que é mais difícil. Te dedicando ou não… sempre vai ter alguém pra achar que não é suficiente…. mas sabe o que mais? os que realmente valem OURO, são aqueles que jamais cobram! Esses sim merecem que tu durma menos pra poder falar um pouquinho ou responder um email, que tu deixe de fazer algo pra ti pra dar atenção pra eles… mas ele não vão te cobrar isso JAMAIS! e muito menos falar pelas costas. Nessas horas a peneira da amizade bomba! E poucos são os que ficam !
      Fiquei quase um ano e meio sem conseguir falar direito com minha melhor amiga! Por momentos individuais dela e meus… NUNCA nos cobramos nada e quando foi possível parecia que tínhamos nos falado ontem! É sempre assim…….. 🙂 Isso pra mim é um grande indicador de quem são os Verdadeiros… com V maiúsculo! 🙂
      É um pouco triste e decepcionante se dar conta de certas coisas… ou será que somos ingênuas de achar que todo mundo é legal, compreensivo, altruísta!?
      Beijos
      Alice

    1. 30/05/2012

      […] O post que mais gerou discussão/controvérsia: Eu tenho uma mania: eu escrevo o que eu penso (realmente) aqui no blog. Nem sempre o que eu escrevo é bem entendido, mas mesmo assim eu escrevo. É uma maneira de colocar “pra fora” aquilo que me incomoda. Um dos posts que fiz isso, e foi super comentatdo, é este sobre o “se dar bem’. Vale a pena ler e dar sua opinião. […]

    Deixe um Comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *