Episódio de hoje: “Tais chegando?”

[…] Passados dez minutos das duas da tarde “treme” meu telefone. Ninguém me liga aqui em Toronto (admito). Dizia no identificador de chamadas que era um número desconhecido. Eu pago 10 dólares a mais por mês pelo identificador de chamadas, que não está incluso nas contas telefônicas canadenses. Acho estranho a única ligação do dia ainda ser de número desconhecido […] Estou na aula, não posso atender!
Passados mais cinco minutos toca o telefone novamente. Era para eu ter saido da minha aula de Doenças Cardiovasculares as duas – lá fora parecia noite – mas o professor ficou falando sobre Campanhas de Saúde Canadenses e eu não quis atender o telefone da primeira vez e perder o rumo da conversa. Desta vez – mesmo número desconhecido – atendo com um “Hello” que até hoje não me acostumei a falar e ouço alguém falando baixo do outro lado da linha:
– Tais chegando?
[Era meu marido, que estava me esperando em casa para almoçarmos]
– Chego em 10!
– Ok – ele respondeu e desligou rapidamente.
Não entendi, mas imaginei que ele estava com fome.
Claro que demorou mais do que dez minutos para eu chegar, até porque o vento (polar norte) e o frio (de 4 graus) me impediam de caminhar a mais de 3 km/h os 2 km que faço do prédio que estava tendo aula até minha casa.
Chegando na 35 Charles Street West (mais especificamente no corredor do 18 andar) sinto um cheiro conhecido, familiar, um pouco ofuscado pelo fedor de comida chinesa que emana do apartamento dos vizinhos.
Nem preciso abrir a porta, ela se abre e a primeira visão que tenho é a de um marido sorridente, me pedindo para ir para a sala de jantar.
Ao olhar dou de cara com uma mesa posta (sem talheres, confesso) mas com peixe, camarão (com pesto). Tudo perfeito! Após provar, sei que estou no céu. Estou no céu!

[Espero poder ter narrado um pouco como foi o nosso primeiro almoço na nossa casa de Toronto. Eu poderia ter apenas escrito: “Meu marido fez um almoço maravilhoso hoje para mim”, mas acredito que as palavras têm poder e somente sabendo usá-las podemos realmente mostrar episódios das nossas vidas, sentimentos e descrever um momento como este meu: especial, almoço delicioso, marido mais que perfeito, vida escolhida e finalmente vivida – AMO ISSO]

You may also like...

5 Responses

  1. rosacorujinha disse:

    Ufaaaa li seu Blog num folego so rs…. Ate aqui, mas tem mais emocoes…… Parabens para os 2 !! Vcs realmente vivem um amor verdadeiro 🙂 Gaby, estou lendo seu blog (que caiu na minha mao ontem) como se fosse um livro contando uma linda historia de amor! Ou melhor, uma biografia de um lindo casal. Bjus p vcs! Namaste 😉

    • Gabriela disse:

      Obrigada pelo recado! Adorei e fiquei emocionada! Não deixe de “curtir” o blog no facebook: lá eu escrevo e posto outras coisas. Beijos e continue acompanhando o blog

  2. MIRIAN DEL CARMEN QUINTILHAN disse:

    è isso ai…
    Gabi…precisas escrever um livro e vai acrescentando na história teus contos maravilhosos…
    ADDDOOOOOOOOOOOOROOOOOOOOOOOOOOOO
    bjokas e muita saude

  3. Alexandra Ghisi disse:

    Gabi
    Já pensou em escrever um livro?!

    bjs

  4. Ana Paula disse:

    oinnnnnnnnnnnn! que lindo!!!! nem conheço o casal, mas vcs são muito fofos.. dá pra sentir o amor nas tuas palavras!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *